segunda-feira, 31 de janeiro de 2022

Coatzacoalcos, no México, apura marchadores para Omã

Vencedores em Coatzacoalcos, Noel Ali, 20 km (dorsal 14), Ricardo Ortiz, 35 km (6),
 Ilse Guerrero, 35 km, no pódio, e Alegna González, 20 km, a cortar a meta.
Imagens: fb Circuito Nacional de Caminata Coatzacoalcos, fb Caminata MX,
IG Ilse Guerrero e fb Noel Ali. Montagem: O Marchador

A 5.ª edição do Circuito Nacional de Marcha, que teve lugar este domingo em Coatzacoalcos, Veracruz, numa manhã fria e algo ventosa - as provas inicialmente eram para ter lugar no dia anterior, mas as condições atmosféricas forçaram o seu adiamento por um dia – tiveram como ponto alto a realização das provas de 20 e 35 km, integradas no World Race Walking Tour da World Athletics.

Nos 20 km femininos, a grande revelação da marcha mexicana, a chihuahuense Alegna González, que foi quinta classificada nos Jogos Olímpicos de Tóquio e realizou após estes a sua primeira competição, impôs o seu favoritismo triunfando com o tempo de 1:31:38, a apenas 31 segundos dos mínimos para os Mundiais de Oregon, que oportunamente deverá confirmá-los já que tem um recorde pessoal de 1:28:40, obtido na Corunha, no ano passado. Nadia González Monjarrez, com 1:35:48, e a campeã mundial Sub20, Sofía Ramos Rodríguez, com 1:37:13, completaram o pódio.

Nos 20 km masculinos, Noel Ali Chama foi o vencedor obtendo a marca de 1:22:39, sendo seguido de Saúl Mena, com 1:23:04, e de Carlos Sánchez Cantera, com 1:24:36.

Nos 35 km femininos, Ilse Guerrero triunfou com a marca de 2:53:48, seguida de Arisay Cruz Salinas (3:00:49) e Aura Libertad Morales (3:22:03).

Nos 35 km masculinos, Ricardo Ortiz Rivera foi o melhor classificado com o tempo de 2:30:07, enquanto José Luis Doctor Morales, com 2:34:23, e Ever Jair Palma Olivares, com 2:39:11, foram segundo e terceiro classificados, respetivamente.

Todos os vencedores, pelas marcas realizadas, obtiveram o direito de participar no Campeonato Mundial de Seleções de Marcha, que terá lugar nos dias 4 e 5 de março, na capital de Omã.

Nos Sub20 destaque para os vencedores da prova de 10 km, nos masculinos, Lorenzo Antonio Dávila Ruiz, com 44:16, e nos femininos, Karla Ximena Serrano Olivares, com 47:20, marcas que os colocam na posição de favoritos à seleção para os Mundiais Sub20 de Cali, sendo ainda de salientar, na prova masculina, a prestação de Angel Vazquez Montes (44:24).

Principais classificações
20 km masculinos
1.º, Noel Chama (1997), 1:22:39
2.º, Saul Mena (2001), 1:23:04
3.º, Carlos Sánchez Cantera (1985), 1:24:36
4.º, Brandon Segura (1996), 1:24:49
5.º, Isaac Porcayo (2001), 1:27:55
6.º, Jesus Calderon (1997), 1:28:21
7.º, Cristhian Juárez López (2002), 1:30:37
8.º, José Mauricio Arteaga (1988), 1:31:16
9.º, Ismael Bernal (1999), 1:33:14
10.º, Carlos Mercenario (2000), 1:34:32
(...)

20 km femininos
1.ª, Alegna González (1999), 1:31:38
2.ª, Nadia Lizeth Gonzalez Monjarrez (1997), 1:35:48
3.ª, Sofia Ramos Rodríguez (2002), 1:37:13
4.ª, Valeria Ortuño (1998), 1:38:06
5.ª, Alejandra Ortega (1994), 1:41:20
6.ª, María Guadalupe Sánchez (1995), 1:42:47
7.ª, Yadira Franco (2001), 1:44:48
8.ª, Rocio Estefanía Sánchez (2001), 1:50:49
(...)

35 km masculinos
1.º, Ricardo Ortiz (1995), 2:30:07
2.º, José Luis Doctor (1996), 2:34:23
3.º, Ever Jair Palma Olivares (1992), 2:39:11
4.º, José Leyver (1985), 2:41:47
5.º, Isaac Vazquez Ferreyra (1985), 2:47:08
6.º, Luis Bustamante (1984), 2:53:36
(...)

35 km femininos
1.ª, Ilse Guerrero (1993), 2:53:48
2.ª, Arisay Cruz Salinas (1992), 3:00:49
3.ª, Aura Libertad Morales (1982), 3:22:03
4.ª, Mariela Sánchez Terán (1991), 3:25:18
5.ª, Lizbeth Silva (1989), 3:31:01
(...)

10 km sub-20 masculinos
1.º, Lorenzo Antonio Davila Ruiz (2001), 44:16
2.º, Angel Vazquez Montes (2005), 44:24
3.º, Jorge Hernandez Sanabria (2002), 45:10
4.º, Alejandro Francisco Gonzalez Del Prado (2004), 45:15
5.º, Hugo Alexis Reyes Vera (2004), 45:22
6.º, Sebastián Escutia Bermúdez (2004), 45:57
7.º, Adan Ledezma Zamora (2003), 45:59
8.º, Carlos Gabriel Gonzalez Orta (2005), 46:59
9.º, Abraham Natanael Peña Guerrero (2003), 46:59
10.º, Jonathan Jacob Pena Martinez (2003), 46:59
(...)

10 km sub-20 femininos
1.ª, Karla Ximena Serrano (2004), 47:20
2.ª, Maria Fernanda Santiago (2004), 48:55
3.ª, Vanessa Jimena Martinez Martinez (2004), 50:18
4.ª, María Camila Mena Gómez (2003), 50:56
5.ª, Dana Paola Aceves (2002), 51:33
6.ª, Anahi Gisela Vicente Mayoral (2004), 52:16
7.ª, Vania Acosta Jimenez (2005), 52:17
8.ª, Ashmy Citlali González Zepeda (2003), 54:29
9.ª, Danna Paulina Zepeda Martinez (2006), 54:55
10.ª, Yessica Lizeth Velazquez Andrade (2003), 55:26
(...)

FADU - Universitários de pista coberta 2022 (resultados)

Nas provas de marcha em Braga, a chegada de Ricardo Opinião e a liderança de
Maria Bernardo. Fotos: photofinish A.A. Braga e fb Teresa Bernardo
Montagem: O Marchador

Maria Bernardo, em representação da Associação de Estudantes da Faculdade de Belas Artes de Lisboa (AEFBAUL), e Ricardo Opinião, da Associação Académica da Universidade da Beira Interior (AAUBI), revalidaram os títulos universitários nas provas de marcha dos Campeonatos Nacionais de Atletismo em Pista Coberta da Federação Académica de Desporto Universitário (FADU), evento realizado no sábado (29/1) em Braga.

Numa interessante e bem disputada prova feminina de 3.000 metros, participada por 8 atletas, Maria Bernardo registou a marca de 13:21.87, imediatamente seguida por Joana Pontes, do PLeiria, com 13:22.18, com a terceira posição a ser ocupada por Inês Mendes, da AEFPIE, com 13:35.05, todas a baterem recordes pessoais na distância.

Nos masculinos, sobre 5.000 metros (4 participantes), Ricardo Opinião, sagrou-se campeão universitário em 28:12.11. Bem mais recuados, os seus colegas de universidade (AAUBI), Ricardo Sousa e Rodrigo Marto obtiveram 40:51.85 e 46:36.14. Na condição de extra-campeonato, o primeiro atleta a cortar a meta seria André Miranda (ACPV), com 26:21.63.

Classificações
3.000 m femininos
1.ª, Maria Bernardo, sub-23 (AEFBAUL), 13:21.87
2.ª, Joana Pontes, sub-23 (PLeiria), 13:22.18
3.ª, Inês Mendes, sub-20 (AEFPIE), 13:35.05
4.ª, Raquel Pimentel, sub-23 (UPorto), 13:46.32
5.ª, Bruna Marques, sub-20 (PPORTO), 14:13.91
6.ª, Margarida Sá, sub-20 (AAUBI), 14:52.96
7.ª, Mariana Serrão, sub-20 (UPorto), 16:12.88
8.ª, Ana Costa, sub-20 (AACoimbra), 17:37.24

5.000 m masculinos
1.º, Ricardo Opinião, sub-23 (AAUBI), 28:12.11
2.º, Ricardo Sousa, sénior (AAUBI), 40:51.85
3.º, Rodrigo Marto, sub-20 (AAUBI), 46:36.14
Extra: André Miranda, sénior (ACPV), 26:21.63.

domingo, 30 de janeiro de 2022

O ponto a que isto chegou!

Fotos: ADAL e FOTOS Oliveirinha. Montagem: O Marchador

Quando ressurgiu em Portugal, nos anos de 1974 e 1975 a marcha atlética viu desenvolver-se à sua volta um ambiente de festa, amizade e solidariedade, que não se comprometia mesmo nos momentos de disputa competitiva mais acesa. No final de cada torneio, campeonato ou grande prémio, os participantes juntavam-se em convívio (geralmente à volta da mesa) congregando num mesmo abraço, atletas, treinadores, dirigentes, juízes, autarcas, familiares e amigos.

Com o crescimento verificado e desejado para uma modalidade em ascensão, os intervenientes tiveram de definir modelos de desenvolvimento, opções estratégicas, planos de actividade, tanto vertente do clube como na da associação ou ainda da autarquia e, mais tarde no âmbito federado. Para cada caso foi adoptada uma solução, nem sempre coincidente com a opção do vizinho, por vezes com registo mesmo divergente das linhas adoptadas por outras entidades congéneres. No entanto, a diferença de opiniões e de acções não dava origem a conflitos, apenas a diferentes escolhas traduzindo modos também distintos de ver os problemas.

Se uns consideravam prioritário avanços na formação de treinadores, outros preferiam formar juízes; se uns queriam sensibilizar dirigentes, outros procuravam mobilizar as autarquias; se uns apostavam na internacionalização das suas realizações, outros contentavam-se com a dimensão local dos eventos que promoviam – mas todos, cada um a sua maneira e com os recursos de que dispunha, visavam o crescimento e o desenvolvimento da marcha. Qualquer discordância que surgisse, fosse de interpretação técnico-regulamentar fosse de estratégia directiva, ficava no plano do confronto de ideias, aí nascia, se desenvolvia e, por fim morria.

Alguns casos recentes dão ideia que esta realidade pode estar em perigo por intervenção de agentes pouco identificados com os princípios e os valores que têm marcado a marcha atlética em Portugal nas ultimas décadas. Situações em que se chega a confronto físico ou em que sistematicamente se perseguem juízes, responsabilizando-os pelo insucesso de tal ou tal atleta (ao ponto de se chegar à ameaça e ao insulto) são sintoma de que há quem esteja a mais no mundo do desporto e em particular da marcha atlética. Está a mais quem pratica actos como esses; está a mais quem, podendo, não intervém para pôr cobro a este tipo de situações; está a mais quem anda de braço dado com agentes que não reflectem (antes desrespeitam) um património de valores que tornaram a marcha atlética numa modalidade ou disciplina atlética de referencia em Portugal, tanto pela qualidade dos resultados desportivos que foi alcançando de forma crescente como pelo exemplo de dirigentes, atletas, treinadores, juízes e familiares de dedicação e empenho ético no desenvolvimento da última especialidade do atletismo a afirmar-se no plano nacional.

Havia alguma necessidade de chegar a este ponto? Falta assumir responsabilidades e pôr à margem quem está a mais.

Japão no Mundial de Seleções de Marcha 2022

Fotos: JAAF. Montagem: O Marchador

São 7 os atletas que constituem a seleção nacional do Japão para os Campeonatos Mundiais de Seleções de Marcha, na sua 29.ª edição (antes designada de Taça do Mundo) que decorrerão pela primeira vez num país do Médio Oriente, em Omã, na capital Muscat, a 4 e 5 do próximo mês de março.

Nos 20 km masculinos, a seleção será composta por Koki Ikeda (medalha de prata nos Jogos Olímpicos de Tóquio), Toshikazu Yamanishi (campeão mundial em Doha e medalha de bronze nos Jogos de Tóquio) e Motofumi Suwa.

Nos 20 km femininos, Nanako Fujii, finalista (7.ª) nos Jogos de Tóquio, é a única atleta selecionada para o evento.

Nos 35 km marcha, os nomes dos atletas selecionados para Omã são: Masatora Kawano (6.º classificado nos Jogos Olímpicos), Hayato Katsuki (2.º na Taça do Mundo de 2018) e Kazuki Takahashi.

A reduzida delegação japonesa aos Mundiais de Seleção, que não se apresenta com a sua fortíssima seleção Sub-20, pode ser explicada com as medidas restritivas, nomeadamente de viagens, que o governo japonês tem imposto aos seus cidadãos e também aos estrangeiros que entram no país, devido à situação da pandemia da covid19, obrigando a todos um período de quarentena na entrada ao país do sol nascente, que regista atualmente um crescente número de casos, especialmente com a nova variante.

Fonte: JAAF

Colaboração: Tomoya Ishii

sábado, 29 de janeiro de 2022

Inês Henriques ruma a sul

Inês Henriques. Foto: ADAL. Montagem: O Marchador

A mais cotada marchadora portuguesa nas distâncias longas participará amanhã no Campeonato de España de Marcha en Ruta, que tem lugar na zona balnear de La Antilla, província de Huelva.

Em vista os mínimos para os Europeus de Munique (2:55.00) ou mesmo para os Mundiais de Eugene (2:54.00), embora Inês Henriques esteja bem colocada para ser apurados pela sua posição no Ranking da World Athletics. Melhorar as posições neste ranking é também um objetivo que esta participação pode concretizar.

A riomaiorense defrontar-se-á com (quase) todas as melhores espanholas da atualidade, com a campeã em título, líder do Ranking da WA e 4ª nos Jogos em 20km, Maria Pérez, à cabeça. A local Laura García-Caro, poster girl do evento, Mar Juarez, 4ª o ano passado em Podebrady, e Martina Peña são as outras mais destacadas adversárias da atual Campeã da Europa e antiga campeã e recordista mundial. Ausentes estarão Raquel Gonzalez, vice-campeã o ano transato em Sevilha, e a recordista espanhola dos 50km, Julia Takacs.

Inês Henriques não será o único representante português no evento já que se prevê igualmente a participação de Hélder Santos e João Pedro Vieira, além do sub-20 Tiago Ramos que marchará na prova de 10km, onde se baterá com os melhores espanhóis. Pedro Dias também está inscrito, mas sabemos que não irá participar.

Pedro Peixoto em La Antilla

Campeonatos de Espanha de 35 km marcha este domingo, em La Antila-Lepe (Huelva)

O cartaz do evento e o plano do circuito. Montagem: O Marchador

312 marchadores (167 mulheres e 145 homens) inscreveram-se para os Campeonatos de Espanha de Marcha Atlética em estrada, que terão lugar na manhã deste domingo, sendo que é a primeira vez em 91 edições que La-Antilla-Lepe, na província de Huelva, acolhe o evento, organizado pela Real Federação Espanhola de Atletismo em colaboração com a Federação de Atletismo da Andaluzia.

O ponto alto dos campeonatos será a prova de 35 km marcha, destinada a atletas de ambos os sexos, prova que integra o “World Athletics World Race Walking Tour”, na categoria bronze e que, de forma oficial, poderá assinalar a queda de novos recordes nacionais da disciplina, desde que se registem tempos melhores que 2:44:17 de María Pérez e 2:30:33 de Valentí Massana.

A competição, que terá fortes motivos de interesse e poderá ser acompanhada em direto e durante cerca de 5 horas, via streaming, através da plataforma LaLigaSportsTV, além de se saber a quem serão atribuídos os primeiros títulos espanhóis do ano, ajudará a definir os atletas que integrarão a seleção espanhola ao Campeonato do Mundo de Seleções de Marcha, marcada para início de março, em Omã, e para os Mundiais de Eugene (Oregon) e Europeus de Munique, em julho e agosto, respetivamente.

A série de provas abrirá com a realização da prova rainha, os 35 km absolutos e masters (masculinos e femininos), pelas 9:00 horas locais (uma hora a menos em Portugal continental), prosseguindo com os Campeonatos de Federações Autonómicas nas categorias Sub-16, Sub-18 e Sub-20, às 10:40 horas (10 km Sub-18 e Sub-20 masculinos), às 11:45 horas (10 km Sub-18 e Sub-20 femininos), às 12:50 (5 km Sub-16 masculinos) e terá a última prova às 13:20 horas (5 km Sub-16 femininos).

De destacar, entre as 17 presenças femininas nos 35 km, a figura de María Pérez, atual campeã na distância e a detentora da melhor marca espanhola de todos os tempos e que se apresenta num grande momento de forma como atesta o resultado alcançado recentemente na prova dos 20 km (1:29:51), uma séria candidata às medalhas nos Europeus e Mundiais. Laura García-Caro, a figura de prova da cidade acolhedora do evento, medalha de bronze no Europeu de Marcha, em Podebrady, e a também internacional Mar Juárez, são outros nomes a ter em conta na prova, que contará ainda com a presença da portuguesa Inês Henriques (campeã mundial em Londres 2017 e antiga recordista nos 50 km) que procurará os mínimos para os Mundiais de Eugene (2:54:00), ela que tem um recorde pessoal de 2:45:51, obtido em 2018.

No setor masculino, Álvaro Martín, que esteve à beira da medalha nos Jogos Olímpicos de Tóquio, é um dos grandes candidatos à vitória. Miguel Ángel López, o atual campeão, com um recorde pessoal de 2:32:56, é outro dos candidatos ao título. De notar que são vários os estrangeiros inscritos na prova, sendo de referir a presença dos portugueses Hélder Santos (2:48:21) e João Pedro Vieira (3:14:16), do irlandês Alex Wright (2:36:29), do polaco Rafal Sikora (2:44:48), do francês Vincent de Bontin (3:07:57), do argentino Juan Manuel Cano, e dos romenos Marius Julian Cocioran e Naarcis-Stefan Mihaila. Nos jovens (Sub20 – 10 km) estão inscritos os algarvios Pedro Dias e Tiago Ramos.

O circuito de provas foi homologado por um membro do Painel de Medidores Internacionais da AIMS/WA, sendo que o árbitro do evento é o nosso amigo e bem conhecido Jorge Blanco, da Galiza, integrando a equipa de juízes de marcha os internacionais espanhóis Sergio Solana (Catalunha), juiz-chefe, Luis Maroto (Madrid), Dolores Rojas (Galiza) e Guillermo Sandino (Galiza).

A lista de atletas inscritos pode ser consultada aqui.

sexta-feira, 28 de janeiro de 2022

Circuito Nacional de Caminhada em Coatzacoalcos, México, este sábado (adiado para domingo, 30/1)

Cartaz do evento. Montagem: O Marchador

A próxima etapa da série de competições de marcha atlética integrada no programa da World Athletics, a denominada “World Athletics Race Walking Tour”, na categoria bronze, vai ter lugar no dia de amanhã, com a 5.ª edição do Circuito Nacional de Caminhada, em Coatzacoalcos, cidade mexicana do Estado de Vera Cruz, no Litoral Malecon.

O evento, que é organizado pelo Município de Coatzacoalcos, Comité do Circuito Nacional de Caminata Coatzacoalcos e Associação Veracruzana de Atletismo y Afines, A.C., realiza-se num circuito certificado de 1 quilómetro, a partir das 7:00 horas matinais, com o programa a integrar provas de 20 e 35 km marcha, destinadas a ambos os sexos e seletivas para o Campeonato Mundial de Seleções de Marcha, em Omã, constando ainda do programa provas destinadas aos escalões Sub16, Sub18, Sub20 e veteranos.

A organização do evento vai homenagear este ano a figura de Bernardo Segura, que conquistou a medalha de bronze nos 20 km marcha dos Jogos Olímpicos de Atlanta, em 1996, e que nos Jogos de Sydney chegou mesmo a cruzar a linha de meta em primeiro lugar, festejos interrompidos com a raqueta vermelha de desclassificação a ser-lhe exibida pelo juiz-chefe da prova. Outros dos eventos em destaque para o marchador mexicano, que agora conta 51 anos de idade e figura no cartaz promocional da prova, foram, entre outros, os 20 km das Taças do Mundo de Marcha de 1995, em França (3º lugar) e de 1999, na China (1.º lugar).

Sendo uma das provas que igualmente permitirá que as marcas, eventualmente obtidas, sejam homologadas quer para mínimos nos Mundiais de Eugene, Oregon, ou para acesso aos rankings mundiais, portanto, com a obrigatoriedade da presença de juízes internacionais de marcha, teremos, assim: Carlos Barrios (Guatemala), Cándido Vélez (Porto Rico), Ricardo Servin (México) e Juan del Toro (México) a que se juntarão, pelo menos, Natalio Hernández e Andrea Ramos, do nível I.

O México é uma das grandes potências da marcha atlética no mundo, um desporto que é muito popular no país desde que, pouco dantes da realização dos Jogos Olímpicos de 1968 na Cidade do México, e a fim de evitar passar por alguma vergonha de resultados menos conseguidos, as entidades governamentais decidiram contratar do estrangeiro 7 treinadores e um deles foi o polaco Jerzy Hausleber, que desempenhara um excelente trabalho na área da marcha atlética no seu país.

Tal foi o sucesso da iniciativa que logo em 1968, o sargento José Pedraza ganharia a primeira medalha (prata) da marcha mexicana em Jogos Olímpicos. Despois destes Jogos o atletismo azteca voltaria a ganhar outras 10 medalhas nos Jogos e apenas uma delas fora da marcha com a medalha de ouro, em Atenas’2004, da quatrocentista Ana Guevara.

Para a história do atletismo no México aqui ficam os nomes dos outros marchadores mexicanos que ganharam medalhas nos Jogos: Daniel Bautista (ouro nos 20 km, em 1976), Raúl Gonzalez (ouro nos 50 km e prata nos 20 km, em 1984), Ernesto Canto (ouro nos 20 km, em 1984), Carlos Mercenário (prata nos 50 km, em 1992), Bernardo Segura (bronze nos 20 km, em 1996), Noé Hernandez (prata nos 20 km, em 2000), Joel Sánchez (bronze nos 50 km, em 2000) e María Guadalupe González (prata nos 20 km, em 2016).

FADU - Camp. Nacional de Pista Coberta, amanhã em Braga

Imagens: FADU e AA Braga. Montagem: O Marchador

O Altice Forum Braga recebe este sábado (29/1) o Campeonato Nacional Universitário de Atletismo em Pista Coberta, numa organização da Federação Académica de Desporto Universitário (FADU) e da Associação Académica da Universidade do Minho.

O evento inclui no programa as provas tradicionais de marcha de 3.000 metros femininos, às 9:30 horas, com 10 atletas inscritas, e 5.000 metros masculinos, às 10 horas, com 6 inscritos.

Os recorde nacionais universitários pertencem a Daniela Cardoso (IPSantarém), com 13:15,05 (Pombal, 28/02/2015), e a Acácio Diogo (ISCAL), com 20:58,90 (Espinho, 13/3/1999).

Os títulos em 2021 foram conquistados por Maria Bernardo (AEFBAUL, 13:24.87) e Ricardo Opinião (AAUBI, 30:15.40).

A lista de Inscritos é a seguinte:

3.000 m femininos
Ana Costa (AAC);
Margarida Sá (AAUBI);
Juliana Galvão (AAUM);
Maria Bernardo (AEFBAUL);
Inês Mendes (AEFPIE);
Andreia Lourenço (Nova);
Joana Pontes (P. Leiria);
Bruna Marques (P. Porto);
Mariana Serrão (U. Porto);
Raquel Pimentel (U. Porto).

5.000 m masculinos
André Pagaime (AAUAb);
Pedro Bessa (AAUBI);
Ricardo Opinião (AAUBI);
Ricardo Sousa (AAUBI);
Rodrigo Marto (AAUBI);
Tiago Rosas (U. Porto).

«Minsk Winter» com 10.000 m e 25.000 m marcha em pista coberta (resultados)

Nos 10.000 m marcha indoor em Minsk, o pódio da prova feminina e os metros finais da
prova masculina. Imagens de vídeo da BFLA e foto fb de Anna Terlyukevich
Montagem: O Marchador

A primeira competição da época de Inverno na Bielorrússia teve lugar na Arena RTSOP em Minsk (21/22-1) e contou no programa com provas de marcha para masculinos e femininos em distâncias pouco habituais, de 10.000 metros e muito particularmente de 25.000 metros, esta a significar 125 voltas à pista.

Nos 10.000 metros, foi muita renhida a prova masculina com Dmitriy Lukyanchuk vencer com a marca de 40.01,0, logo seguido por Anatoliy Gomelev, com 40.04,3, e pelo sub-23 Nikita Kolyada, 40.05,0, marcas que superam largamente os seus registos em pista ao ar livre. Na prova feminina sobre a mesma distância, expressivo registo de Anna Terlyukevich, com um recorde pessoal de 43.13,0, fechando o podio, Alina Yushchenko, com 44.40,0, e Anastasia Rarovskaya, com 45.08,0.

Nos 25.000 metros, o medalhado europeu Dmitriy Dyubin (3.º em Berlim-2018 e 2.º em Alytus-2019), venceu e cumpriu a distância em 1:49.31,8, com os segundo e terceiro lugares a pertencerem a Vladimir Kolesnik, com 1:50.17,0, e Alexandr Lyakhovich, com 1:52.27,0. Nos femininos, Nadezhda Dorozhuk impôs-se com 2:08.31,7, seguida de Anastasia Rodkina, com 2:11.16,6, e Anastasia Yatsevich, com 2:17.37,2.

Colaboração: Kristina Saltanovic

Classificações
10.000 m masculinos
1.º, Dmitriy Lukyanchuk, 1997 (Brestskaya), 40.01,0
2.º, Anatoliy Gomelev, 1996 (Vitebskaya), 40.04,3
3.º, Nikita Kolyada, 2000 (Grodnenskaya), 40.05,0
4.º, Pavel Olhovik, 2000 (Brestskaya), 40.53,0
5.º, Kirill Kren, 2004 (Brestskaya), 43.16,0
6.º, Aleksandr Zhdan, 2004 (Minskaya), 43.33,0
7.º, Dmitriy Velichko, 1999 (Mogilevskaya), 43.44,0
8.º, Kirill Grickevic, 2004 (Grodnenskaya), 43.49,0
9.º, Vladeislav Korneychuk, 2004 (Brestskaya), 45.05,5
10.º, Sergey Yuhno, 2003 (Brestskaya), 46.12,0
11.º, Aleksandr Evenkov, 2004 (Brestskaya), 48.17,0
12.º, Denis Baranecki, 2004 (Brestskaya), 49.37,0

10.000 m femininos
1.ª, Anna Terlyukevich, 1987 (Minskaya-Mogilevskaya), 43.13,0
2.ª, Alina Yushchenko, 1990 (Brestskaya), 44.40,0
3.ª, Anastasia Rarovskaya, 1996 (Grodnenskaya), 45.08,0
4.ª, Yana Zubkova, 2001 (Brestskaya-Minskaya), 48.27,0
5.ª, Elizaveta Grishkevic, 2003 (Brestskaya), 49.13,0
6.ª, Elizaveta Korshunova, 2004 (Minskaya), 52.53,0
7.ª, Anna Zubkova, 2001 (Minskaya), 53.57,0

25.000 m masculinos
1.º, Dmitriy Dyubin, 1990 (Minskaya-Vitebskaya), 1:49.31,8
2.º, Vladimir Kolesnik, 1992 (Brestskaya), 1:50.17,0
3.º, Alexandr Lyakhovich, 1989 (Grodnenskaya), 1:52.27,0

25.000 m femininos
1.ª, Nadezhda Dorozhuk, 1990 (Grodnenskaya), 2:08.31,7
2.ª, Anastasia Rodkina, 1994 (Mogilevskaya), 2:11.16,6
3.ª, Anastasia Yatsevich, 1985 (Minsk), 2:17.37,2

Atletas colombianos destacam-se nos Nacionais de 20 e 35 km marcha em Tunja, Boyacá

Os 20 km e 35 km dos Nacionais de Marcha da Colômbia em Tunja, Boyaca.
Fotos: Running Colombia. Montagem: O Marchador

Disputados a uma altitude de 2.800 metros acima do nível do mar, na Cordilheira Oriental dos Andes, em Tunja, capital da província de Boyacá, os Campeonatos Nacionais de Marcha da Colômbia tiveram lugar no passado fim de semana, nas principais distâncias de 20 e 35 km, naturalmente, com os resultados condicionados com aquele fator.

Nos 20 km a grande figura da prova foi Eider Arévalo que, controlando o ritmo da prova do princípio ao fim, realizou o tempo de 1:30:06, seguido de Juan José Soto, com 1:30:20, surgindo na terceira posição do pódio César Herrera, com 1:30:57, tempos que ficaram abaixo do limite fixado pela Federação Colombiana de Atletismo para acesso ao Mundial de Seleções, em março próximo. E só não foi possível para Christian Rojas em lugar de pódio, mas viu-se relegado para a quarta posição, com 1:32:52, por lhe terem sido assinaladas três faltas, a última certamente na volta final e, por via disso, penalizado com o acrescento de 2 minutos.

Nos 20 km femininos Laura Chalarca, medalhada nos Jogos Pan-Americanos da Juventude, venceu com o tempo de 1:43:47, completando o pódio a atleta da região acolhedora do evento, Carolina Mariño, com 1:48:50, e Sara Pulido, com 1:52:59.

Nos 35 km masculinos Diego Pinzón concluiu na primeira posição com 2:44:44, seguido de Kenny Pérez, com 2:48:49, e de Jorge Ruiz, com 2:52:53. Os três atletas do pódio, todos incluídos na equipa das Forças Armadas, lamentaram que a prova tivesse sido realizada na altitude que foi e prometeram melhorar as suas marcas desde que a prova se realize em locais de baixa altitude.

Nos 35 km femininos, Arabelly Orjuela, a primeira mulher colombiana a estrear-se na distância, mostrou-se bem satisfeita com o resultado final que não só lhe permitiu sagrar-se campeã nacional como superou a marca imposta pela sua federação como passaporte para os Mundiais de Seleções (3:10:00) ao alcançar o tempo de 3:08:26.

Fonte: Running Colombia

Principais classificações
20 km masculinos
1.º, Eider Arevalo (Bogota), 1.30.06
2.º, Juan Jose Soto (Bogota), 1.30.20
3.º, Cesar Alberto Herrera Cortes (Bogota), 1.30.57
4.º, Christian Alexander Rojas Guzman (Bogota), 1.32.52
5.º, Brayan Alberto Fuentes Rozo (Boyaca), 1.33.11
6.º, Diego Fernando Cuellar (Valle), 1.34.27
7.º, Brayan Alejandro Lugo Quintero (Ffaa), 1.35.58
8.º, Fabian Andres Gonzalez Triana (Boyaca), 1.38.38
9.º, Cristian Camilo Marquez Avendaño (Bogota), 1.40.54
10.º, Anderson Callejas (Valle), 1.40.57
11.º, Daniel Figueroa (Valle), 1.41.06
12.º, Miguel Angel Calderon Muñoz (Huila), 1.41.39
13.º, Sebastian Felipe Merchan (Bogota), 1.44.59
14.º, Joan Sebastian Sanchez (Bogota), 1.45.48
15.º, Cristian David Merchan (Bogota), 1.48.04
16.º, Lizmeyer Aldemar Lizarazo Caipa (Boyaca), 1.48.32
17.º, Asdruval Hernandez Jimenez (Boyaca), 1.49.40

20 km femininos
1.ª, Laura Cristina Chalarca Mojica (Bogota), 1.43.47
2.ª, Carolina Mariño Fonseca (Boyaca), 1.48.50
4.ª, Sara Patrcia Pulido Sandoval (Bogota), 1.52.59
5.ª, Yeimi Katerine Cañon Diaz (Boyaca), 2.08.20
6.ª, Aura Sofia Mejia Ruiz (Bogota), 2.24.00

35 km masculinos
1.º, Diego Pinzon Florez (Ffaa), 2.44.44
2.º, Kenny Martin Perez Parra (Ffaa), 2.48.49
3.º, Jorge Armando Ruiz Fajardo (Ffaa), 2.52.53
4.º, Juan Bautista Solano Diaz (Boyaca), 3.27.35

35 km femininos
1.ª, Arabelly Orjuela (Bogota), 3.08.26

quinta-feira, 27 de janeiro de 2022

Guatemala realizou os seus campeonatos nacionais de 20 e 35 km marcha

Os Campeonatos Nacionais de Marcha da Guatemala, que tiveram lugar na manhã do passado domingo (23) em San Jerónimo, Baja Verapaz, contaram com a participação de quase uma centena de atletas de vários escalões etários, incluindo uma representação do México.

Os vencedores dos 20 km, Erick Barrondo (dorsal 2558), Maritza Poncio (2532), e dos
35 km, Jefferson Segura (2545) e Yasury Palacios (2555). Fotos: CDAG Guatemala
Montagem: O Marchador

Nos 20 km marcha masculinos, Erick Barrondo, medalha de prata nos Jogos Olímpicos de Londres’2012, destacou-se ao vencer com o tempo de 1:23:27, relegando para a segunda posição o seu primo, José Barrondo, que concluiu a prova no tempo de 1:23:31, ambos a serem selecionados para os Mundiais de Atletismo. Oscar Pop, com 1:28:01, obteve a medalha de bronze.

Nos 20 km femininos, Maritza Poncio ganhou com 1:32:27, que agora seguirá a sua preparação tranquilamente sabendo que estará garantida para os Mundiais de Eugene. Maidy Monge foi segunda com 1:33:39, e María Peinado terceira com 1:41:16.

Nos 35 km masculinos, o mexicano Jefferson Segura dominou a prova de princípio a fim terminando com o tempo de 2:39:21. O pódio guatemalteco ficou preenchido com Sergio Sacul (2:43:55), que se sagrou campeão nacional, Erwin Morales (2:45:29) e José Raymundo (2:52:26).

Nos 35 km marcha femininos Yasury Palacios, fez o tempo de 2:53:03, obtendo os mínimos para os Mundiais de Eugene, nos EUA. Mayra Carolina Herrera desistiu.

Nos 10 km, realce para as prestações, no setor masculino, dos ainda sub-18, Bryan Matías, com 41:18, qualificando-se desde já para os Mundiais de Cali, e de Miguel San José, com 42:39, e no setor feminino, das sub-20, Yaquelyn Teletor, com 47:24 e de Lisbeth López, com 47:27, ambas com passaporte para Cali.

Colaboração: Carlos Barrios

Principais classificações
20 km masculinos
1.º, Erick Bernabé Barrondo García (Proy. Marcha GT), 1:23:27
2.º, José Alejandro Barrondo Xuc (Equipo de Marcha S23), 1:23:31
3.º, Oscar Macdaniel Pop Choc (Alta Verapaz), 1:28:01
4.º, Samuel Alfonso E., Ruíz Arriola (Equipo de Marcha S23), 1:37:10
5.º, Hector Geovanny Jocol Toc (Quetzaltenango), 1:40:05
6.º, Roberto Carlos Marroquín Panjoj (Quiché), 1:41:20
7.º, Luis Fernando Gómez (Equipo de Marcha S23), 1:58:48
8.º, Jorge Emanuel Castro Aguilar (Lavarreda zona 18), 2:03:25
Desistente: Oseas Abimael Ac Cu (Alta Verapaz).

20 km femininos
1.ª, Maritza Rafaela Poncio Tzul (Equipo de Marcha S23), 1:32:27
2.ª, Maidy Emileni Monge Pérez (Equipo de Marcha S23), 1:33:39
3.ª, María Fernanda Peinado Pérez (Proy. Marcha GT), 1:41:16
4.ª, Glendy Verónica Teletor Jerónimo (Proy. Marcha GT), 1:41:37
5.ª, Brenda Celina Tzaquitzal Can (Totonicapán), 2:02:33
6.ª, Keila Litzulli B. García Tax (Totonicapán), 2:17:01

35 km masculinos
1.º, Jefferson Daniel Segura Zepeda (MEX - México), 2:39:21 - extra-campeonato
2.º, Sergio Daniel Sacul Caal (Alta Verapaz), 2:43:55
3.º, Erwin Ernesto Morales Paau (Alta Verapaz), 2:45:29
4.º, José María Raymundo Cox (Equipo de Marcha S23), 2:52:26

35 km femininos
1.ª, Yasury Betzaida Palacios SanJosé (Proy. Marcha GT), 2:53:03
Desistente: Mayra Carolina Herrera Pérez (Equipo de Marcha S23).

quarta-feira, 26 de janeiro de 2022

Campeonatos sub-20 da Ucrânia em pista coberta (2022) - resultados

Os pódios da marcha feminina e masculina do sub-20 da Ucrânia em Sumy.
Fotos: facebook Alexey Shelest. Montagem: O Marchador

Os campeonatos sub-20 da Ucrânia em pista coberta tiveram lugar em Sumy, a 22 e 23 de janeiro, evento com uma participação global de mais de 400 atletas de 24 regiões do país.

Nas provas de marcha sobre 5.000 metros disputadas no sábado (22/1), vitórias e respetivos títulos nacionais, nos masculinos, para Mykola Rushchak, de Sumska, ele que é estudante em Oleksiy e tem como treinadora Lyudmyla Shelest, obtendo 21:08.80, e nos femininos, para Valeriya Sholomitska, atleta de Volinska e pupila de Olena Borysiuk, bem destacada com a marca de 22:48.70.

O pódio masculino ficou completo com Roman Horbachov, de Khmelnicka, ainda no seu primeiro ano sub-18, (Khmelnicka), com 21:40.55, e Eduard Kravchenko, de Sumska, com 21:59.14. Participaram 12 atletas.

Já o pódio feminino teve, na segunda posição, a sub-18 Viktoriia Dizhak, de Lvivska, com 24:48.89, e na terceira, Sofiia Krylovetska, de Sumska, com 25:06.06. Participaram 14 atletas.

Colaboração: Kristina Saltanovic

Classificações
5.000 m masculinos
1.º, Mykola Rushchak, 2003 (Sumska), 21:08.80
2.º, Roman Horbachov, 2006 (Khmelnicka), 21:40.55
3.º, Eduard Kravchenko, 2004 (Sumska), 21:59.14
4.º, Oleksii Polishchuk, 2005 (Zhitomirska), 22:07.27
5.º, Stanislav Bohatyryov, 2003 (Kievska), 22:25.91
6.º, Eduard Muravskyi, 2006 (Volinska), 22:48.57
7.º, Vadym Shevchenko, 2006 (Sumska), 24:08.43
8.º, Dmytro Vilkhovenko, 2004 (Kievska), 24:18.68
9.º, Ruslan Lazorenko, 2003 (Sumska), 25:24.99
10.º, Yaroslav Mosiichuk, 2004 (Zhitomirska), 25:43.51
11.º, Maksym Nechyporenko, 2003 (Zhitomirska), 25:53.28
12.º, Oleg Oryshchenko, 2005 (Zhitomirska), 27:06.35

5.000 m femininos
1.ª, Valeriya Sholomitska, 2004 (Volinska), 22:48.70
2.ª, Viktoriia Dizhak, 2005 (Lvivska), 24:48.89
3.ª, Sofiia Krylovetska, 2003 (Sumska), 25:06.06
4.ª, Yuliya Lutska, 2004 (Ivano-Frankivska), 27:06.19
5.ª, Veronika Lytvynova, 2005 (Zhitomirska), 27:22.13
6.ª, Veronika Melnychuk, 2006 (Zhitomirska), 27:23.70
7.ª, Anna Mohylina, 2006 (Sumska), 27:23.80
8.ª, Karyna Zhyhadlo, 2005 (Zhitomirska), 28:33.04
9.ª, Hanna Chudnenko, 2005 (Dnipropetrovska), 29:55.92
10.ª, Daria Holomozova, 2004 (Kiev), 31:18.70
11.ª, Olha Romanenko, 2003 (Sumska), 34:37.79
Desistentes: Alina Doroshenko, 2003 (Sumska), Anna Skrypchenko, 2005 (Sumska) e Olha Demenko, 2006 (Chernigivska).

Fonte: Federação de Atletismo da Ucrânia

Atletas chineses sobem às posições cimeiras das listas mundiais do ano

Em Nanjing, preparativos para a partida e as provas femininas de 20 km e de 35 km,
 nesta a vencedora, Quanming Wu (dorsal 108), com 2:43:25. Fotos: May Wang e Sohu
Montagem: O Marchador

Foram excelentes os resultados alcançados pelos marchadores chineses no decorrer das provas de observação com vista aos Mundiais de Seleções de Marcha, que tiveram lugar no passado sábado (22/1) na cidade de Nanjing, nas distâncias de 20 e 35 km marcha, em estrada.

Nos 20 km femininos, ainda que sem a presença das conceituadas Hong Liu e Shenjie Qieyang, o nível global dos resultados não desmereceu de forma alguma com as quatro primeiras a realizarem marcas abaixo da uma hora e trinta minutos, que as colocam nas primeiras posições da lista mundial do ano. Jiayu Yang foi a primeira com o tempo de 1:27:14, Zhenxia Ma a segunda com 1:28:03, Li Ma a terceira com 1:28:04, e Liujing Yang a quarta com 1:29:43. As 12 primeiras fizeram tempos abaixo da uma hora e 33 minutos.

Nos 35 km femininos, outra prova de bom recorte técnico, Quanming Wu venceu com o tempo de 2:43:25, seguida de Maocuo Li com 2:46:12, ambas ascendendo às posições cimeiras na lista mundial do ano. O pódio ficou completo com o terceiro lugar de Guo Na no tempo de 2:48:26, concluindo ainda a prova num tempo abaixo das duas horas e cinquenta minutos Xueying Bai com 2:49:37.

Nos 20 km masculinos, os cinco primeiros classificados concluíram a prova com tempos abaixo da uma hora e vinte e um minutos, Zhaozhao Wang com 1:20:10, Lihong Cui com 1:20:12, Wenchao Niu com 1:20:17, Hao Xu com 1:20:18 e Yandong Li com 1:20:46. Os 10 primeiros lugares da lista mundial do ano são ocupados, nesta fase ainda inicial da época por marchadores chineses e japoneses.

Nos 35 km masculinos e para não destoar das outras provas, os três primeiros realizaram as melhores marcas mundiais da época, com a vitória a sorrir a Xianghong com 2:31:05. Segundo lugar para Yangben Zhaxi com 2:31:09 e a fechar o pódio, Wang Zhenhao com 2:32:21.

Colaboração: May Wang

Principais classificações
35 km masculinos
1.º, Xianghong He (1998), 2:31:05
2.º, Yangben Zhaxi (1996), 2:31:09
3.º, Wang Zhenhao (2001), 2:32:21
4.º, Ning Lu (1999), 2:32:42
5.º, Yingchao Gao (1998), 2:32:50
6.º, Yongjie Wen (1999), 2:35:54
7.º, Jun Yin (2000), 2:36:26
8.º, Xiaobin Li (1999), 2:37:18
9.º, Haofeng Huang (1998), 2:39:20
10.º, Xiaoqiang Zhu (2000), 2:41:59
(...)

35 km femininos
1.ª, Quanming Wu (2001), 2:43:25
2.ª, Maocuo Li (1992), 2:46:12
3.ª, Guo Na (1999), 2:48:26
4.ª, Xueying Bai (2000), 2:49:37
5.ª, Faying Ma (1993), 2:50:10
6.ª, Xue Zhao (1999), 2:54:16
7.ª, Xiangkun Chang (1998), 2:57:33
8.ª, Liwei Huang (2000), 2:57:47
9.ª, Jing Li (2001), 3:02:46
10.ª, Cailing Cao (1998), 3:08:41
(...)

20 km masculinos
1.º, Zhaozhao Wang (1999), 1:20:10
2.º, Lihong Cui (1999), 1:20:12
3.º, Wenchao Niu (1998), 1:20:17
4.º, Hao Xu (1999), 1:20:18
5.º, Yandong Li (1998), 1:20:46
6.º, Shuai Sun (1999), 1:22:47
7.º, Jun Zhang (1998), 1:22:47
8.º, Li Xingfu (2002), 1:22:50
9.º, Kaihua Wang (1994), 1:23:55
10.º, Wang Shuoshuo (2002), 1:25:32
11.º, Tao Li (2002), 1:25:43
12.º, Cai Yishun (2002), 1:29:00
13.º, Zhenjiang Liu (1997), 1:32:42
14.º, Qiejia Jia (2002), 1:33:03
15.º, Yonglong Qi (2002), 1:33:23
(...)

20 km femininos
1.ª, Jiayu Yang (1996), 1:27:14
2.ª, Zhenxia Ma (1998), 1:28:03
3.ª, Li Ma (2000), 1:28:04
4.ª, Liujing Yang (1998), 1:29:43
5.ª, Zhuoma Qiji (1998), 1:30:26
6.ª, Lan Gao (2000), 1:30:27
7.ª, Haiying Ji (2000), 1:30:29
8.ª, Jinyan Jiang (2003), 1:30:52
9.ª, Zhuomayingji Niu (2002), 1:32:05
10.ª, Lamei Yin (2002), 1:32:05
11.ª, Zhang Lingfen (2001), 1:32:08
12.ª, Shuangshuang Jiao (2002), 1:32:16
13.ª, Li Peng (2002), 1:34:39
14.ª, Roumei Liu (2002), 1:35:33
15.ª, Jinyu Wan (2002), 1:36:16
16.ª, Hailu Cun (1997), 1:38:35
17.ª, Mengdie Bai (2000), 1:40:04
(...)

Fonte: World Athletics

terça-feira, 25 de janeiro de 2022

Pedro Dias e Mariana Mestre vencem em Santa Luzia, Tavira

Em Santa Luzia, Mariana Mestre, Tiago Ramos, Pedro Dias e a equipa vencedora,
o CRD Santaluziense. Fotos: fb AA Algarve e CRD Santaluziense
Montagem: O Marchador

A primeira edição do Grande Prémio de Marcha CRD Santaluziense, evento realizado no passado domingo (23/1) em Santa Luzia (Tavira), vila considerada a Capital do Polvo, em simultâneo com o Campeonato do Algarve de Marcha de Estrada, proporcionou vitórias absolutas nas principais provas de 5 km do programa aos jovens sub-20 Pedro Dias e Mariana Mestre, ambos do CO Pechão.

Nos masculinos, o internacional Pedro Dias obteve 22:10, sendo seguido de perto por outro internacional e sub-20, Tiago Ramos, do CA Tunes, com 22:10 (na véspera registara 22:00.83 na pista cob. em Pombal). A terceira posição absoluta e primeiro veterano M40 pertenceu a Ludovino Dias, do CO Pechão, com 27:17. Uma referência especial para o nosso amigo e antigo internacional (décadas de 70 e 80) da República Federal Alemã, Alfons Schwarz, aos 67 anos de idade (8.º geral, 33:59). Participaram 10 atletas.

Nos femininos, Mariana Mestre cortou a meta no tempo de 29:03 (17:26 na passagem dos 3 km), com as posições absolutas imediatas a serem ocupadas pelas atletas da casa, o CRD Santaluziense, Justina Pereira, primeira W45, com 31:00 (t.p. 3 km, 18:31), e Verónica Fernandes, primeira W40, com 31:25 (t.p. 3 km, 18:37). Tal como nos masculinos, participaram 10 atletas.

Na classificação coletiva do Grande Prémio, a vitória pertenceu ao Clube Recreio e Desporto Santaluziense, com 108 pontos, à frente das formações do CO Pechão (94 pontos) e CA Tunes (86 pontos). Classificaram-se ainda o CD Quarteira (18 pontos) e o AA Bela Vista (8 pontos).

O evento reuniu a participação de 66 atletas de 6 clubes, cujos resultados completos (individuais das diversas provas e coletivos por escalão) podem ser consultados aqui.