sexta-feira, 12 de abril de 2024

Japão no Mundial de Seleções de Marcha Atlética 2024

Imagens: World Athletics

O Japão, uma das maiores potências mundiais na marcha atlética, vai apresentar-se no Campeonato Mundial de Seleções de Marcha Atlética com uma equipa constituída por 20 atletas (9 mulheres e 11 homens).

Do conjunto de atletas selecionados para Antália, a 21 de abril, serão de destacar Koki Ikeda, atual vice-campeão olímpico nos 20 km marcha, e Masatora Kawano, medalhado nos 35 km marcha dos últimos dois Campeonatos Mundiais de Atletismo, 2º em Eugene e 3º em Budapeste.

Ambos os referidos atletas farão parte das três seleções mistas de estafetas que pela primeira vez integrará o programa do atletismo para os Jogos Olímpicos de Paris 2024 juntando-se àqueles, no setor masculino, Kazuki Takahashi, que farão equipa com Nanako Fujii, que foi 7ª no Mundial de 2022, Serena Sonoda e Kumiko Okada.

Os outros nomes anunciados para as provas individuais são os seguintes:

20 km masculinos: Ryo Hamanishi, Yuta Koga, Satoshi Maruo, Tomohiro Noda, Kento Yoshikawa.

20 km femininos: Masumi Fuchise, Yukiko Umeno, Ayane Yanai

10 km Sub-20 masculinos: Sotaro Osaka, Yuki Shimoda, Taisei Yoshizako

10 km Sub-20 femininos: Suzuka Kuge, Suzu Okuno, Sumika Tani

Fonte: World Athletics

quinta-feira, 11 de abril de 2024

É daqui a um mês o Grande Prémio Internacional de Rio Maior

O cartaz do evento internacional em Rio Maior.

No próximo dia 11 de maio (sábado) Rio Maior acolherá um grande evento internacional de marcha atlética, a mais importante prova da especialidade que se realiza anualmente no nosso país e que terá a presença de algumas das maiores figuras mundiais deste desporto que integra o programa olímpico desde as suas primeiras edições.

O evento, que já vai na sua 31ª edição e integra, como em anos anteriores, a série Gold da World Race Walking Tour da World Athletics, é uma organização do Município de Rio Maior, da Desmor e do Clube de Natação de Rio Maior e conta com o apoio da Federação Portuguesa de Atletismo e da Associação de Atletismo de Santarém e o patrocínio de entidades e empresas do concelho.

O circuito, com um perímetro de um quilómetro, situar-se-á nas principais artérias da cidade de Rio Maior, envolvente ao Jardim Municipal 25 de abril, com o programa de atividades a centrar as maiores expetativas nas provas de 20 km masculinos e femininos, que contempla a realização dos Campeonatos Nacionais de Marcha.

Os recordistas do evento, que no seu historial já atraiu a presença de atletas de 53 países, são, no setor feminino, a bielorrussa Margarita Turava, com 1:27:19 (2005) e no setor masculino, o russo Valeriy Borchin, com 1:18:55 (2011), enquanto os portugueses mais rápidos de sempre em Rio Maior foram Susana Feitor, com 1:27:55 (2001), e João Vieira, com 1:21:08 (2013), todos vencedores nas respetivas edições.

Em 2023 os vencedores foram a chinesa Jiayu Yang (campeã mundial de 2017), com 1:29:10, e o equatoriano Brian Daniel Pintado (medalha de prata nos Mundiais de 2023), com 1:19:05.

Ainda faltando algum tempo para a realização da competição, já é possível referir que até ao momento estão inscritos atletas de 10 países, provenientes de 3 continentes, sendo os mais sonantes nomes os da peruana Kimberly García León, bicampeã mundial (Eugene 2022) e vice-campeã mundial (Budapeste 2023) e os dos brasileiros Caio Bonfim, medalhado de bronze nos Mundiais de 2017 e 2023, e Erica Sena, 4ª nos Mundiais de 2017 e 2019.

quarta-feira, 10 de abril de 2024

EA Moita Tejo vence Taça de Portugal de Marcha - Bombarral 2024

No Bombarral, a equipa feminina do EA Moita Tejo, e os vencedores individuais por
escalão da Taça de Portugal de Marcha: Eduardo Camarate (dorsal 56, sub-20),
Ana Monteiro (48, sén.), Tiago Sucena (23, sén.), Isa Ferreira (57, sub-20),
David Ferreira (63, sub-18) e Helena Rodrigues (54, sub-18).
Fotos: fb ADAL - Atletismo Leiria. Montagem: O Marchador

A Escola de Atletismo Moita Tejo, coletividade do distrito de Setúbal, foi a grande vencedora, em masculinos e femininos, da edição deste ano da Taça de Portugal de Marcha realizada no sábado (6/4) no Bombarral, evento com provas para os escalões seniores, sub-20 e sub-18.

Em masculinos (3 equipas classificadas), o EA Moita Tejo obteve 34 pontos, superiorizando-se às formações do SC União Torreense, com 18, e do CD Quarteira, com 15. De lamentar que o clube vencedor tivesse sido desprovido de receber o troféu já que, por erro da organização (que mais tarde, e após protesto, reconheceu o engano) foi chamado ao pódio o clube segundo classificado.

Em femininos (6 equipas classificadas), a vitória do mesmo clube foi bem mais dilatada, com 46 pontos, à frente da ACS Senhora do Desterro, com 15, e da Juventude Ilha Verde, com 11 (pontuações provisórias)!

Num evento eminentemente coletivo, as provas de 10 km tiveram como vencedores individuais absolutos, nos masculinos, Eduardo Camarate, da Juventude Vidigalense, o primeiro da categoria sub-20 com 45:19, e nos femininos, Ana Monteiro, sénior do GD Estreito, com 48:02. Ainda na mesma distância, o primeiro sénior masculino foi Tiago Sucena, do CA Marinha Grande, segundo da geral, com 46:53, e a primeira posição sub-20 foi alcançada por Isa Ferreira, da Juventude Vidigalense, com 53:42.

Nas provas de 5 km destinadas à categoria sub-18, que incluíram atletas sub-16, sagraram-se vencedores, David Ferreira, do SCU Torreense, com 23:32, nos masculinos, e Helena Rodrigues, da Juventude Ilha Verde, com 27:03, nos femininos.

Referência para o reduzido número de participantes na Taça de Portugal, 52 atletas (21 clubes), especialmente no escalão sub-20, com apenas 4 atletas masculinos e 4 femininos.

Relembra-se ainda o inconveniente da data escolhida pela Federação Portuguesa de Atletismo para realização da competição bem como a referência feita na apresentação que teve lugar no Salão Nobre da Câmara Municipal do Bombarral (16/3) em como «a prova do calendário competitivo da FPA irá servir também de qualificação para a Taça do Mundo de Marcha, que vai ser disputada na Turquia» algo que não correspondeu à verdade em face do limite temporal de inscrições fixado pela World Athletics [ver peça no blogue, aqui].

Este evento nacional integrou ainda uma iniciativa de promoção da disciplina denominada «Bombarral a Marchar» para os escalões mais jovens, sub-14, sub-12 e sub-10 (e mais alguns nos 10 km e 5 km), com a participação de 40 atletas.

Classificações
10 km masculinos - absolutos / sub-20
1.º, Eduardo Camarate (JV), 45:19 - 1.º, sub-20
2.º, Tiago Sucena (CAMG), 46:53
3.º, Rúben Santos (SCP), 49:05
4.º, Filipe Fernandes (CDQ), 52:47 - 2.º, sub-20
5.º, Flávio Ramalho (EAMT), 53:17
6.º, Ricardo Vendeira (ACRSD), 53:20
7.º, Jorge Coelho (EAMT), 55:04
8.º, Henrique Lavos (EAMT), 55:30
9.º, João Pinel (CABB), 57:52
10.º, Afonso Duarte (SCUT), 57:56 - 3.º, sub-20
11.º, Diogo Santos (CPPEA), 1:03:30 - 4.º, sub-20
12.º, José Oliveira (CPRAB), 1:11:31
13.º, Joaquim Figueiredo (EAMT), 1:13:44 - extra Taça/B-a-M
Desistente: Pedro Martins (ACRSD).

10 km masculinos - absolutos / sub-20
1.ª, Ana Monteiro (GDE), 48:02
2.ª, Isa Ferreira (JV), 53:42 - 1.ª, sub-20
3.ª, Gabriela Santos (ACRSD), 53:45 - 2.ª, sub-20
4.ª, Alexandra Lamas (AFS), 56:09
5.ª, Andreia Jesus (EAMT), 1:00:24
6.ª, Elisabete Silva (EAMT), 1:01:29
7.ª, Inês Belbute (ACDRA), 1:02:00 - 3.ª, sub-20
8.ª, Maria Lavos (EAMT), 1:04:55
9.ª, Filipa Morgado (EAMT), 1:05:35
10.ª, Leonor Fernandes (UAP), 1:06:44
11.ª, Ana Macedo (UAP), 1:07:36
12.ª, Tânia Lima (EAMT), 1:08:49
13.ª, Cátia Rodrigues (EAMT), 1:10:48 - extra Taça/B-a-M
14.ª, Ana Costa (EAMT), 1:12:44 - extra Taça/B-a-M
15.ª, Rita Filipe (EAMT), 1:13:07 - extra Taça/B-a-M
16.ª, Beatriz Lopes (COP), 1:14:28 - 4.ª, sub-20
17.ª, Maria Henriques (EAMT), 1:18:22 - extra Taça/B-a-M
Desistente: Lúcia Henriques (EAMT) - extra Taça/B-a-M.

5 km sub-18 masculinos
1.º, David Ferreira (SCUT), 23:32
2.º, Celestino Pacheco (JIV), 25:17
3.º, Dinis Silva (EAMT), 25:46
4.º, Diogo Pinho (ACDCVC), 27:18
5.º, Hugo Filipe (CDQ), 28:08
6.º, Bruno Amorim (EAMT), 34:34
7.º, Ícaro Dias (GDRV), 35:48

5 km sub-18 femininos
1.ª, Helena Rodrigues (JIV), 27:03
2.ª, Ana Sofia Santos (CPPEA), 27:28
3.ª, Matilde Angélico (CAMG), 28:09
4.ª, Lara Beato (GDP-L), 28:35
5.ª, Isabel Laginhas (ACRSD), 29:13
6.ª, Raquel Ramalho (EAMT), 30:12
7.ª, Beatriz Vitorino (SISMARIA), 30:35
8.ª, Clara Rijo (COP), 31:07
9.ª, Dawene Reis (ACM-A), 31:55
10.ª, Daniela Delgado (GDRV), 32:06
11.ª, Vanessa Rosa (EAMT), 32:31
12.ª, Bruna Augusto (SCUT), 33:03
13.ª, Rita Orge (COP), 34:08
14.ª, Maria Ferreira (JIV), 34:07
15.ª, Leonor Pinhão (SCUT), 35:43
16.ª, Helena Carromeu (EAMT), 35:45 - extra Taça/B-a-M
17.ª, Madalena Miguel (EAMT), 35:45
18.ª, Marta Belchior (SCUT), 39:52
Desclassificada: Isabel Luís (CPPEA).
Desistente: Beatriz Svidruk (COP).

Entretanto, as classificações do «Bombarral a Marchar», que inclui a Taça de Portugal, estão disponíveis aqui.

terça-feira, 9 de abril de 2024

Portugal no Mundial de Seleções de Marcha Atlética 2024

Imagens:  WA e fb RaceWalk Pictures. Montagem: O Marchador

A Federação Portuguesa de Atletismo (FPA) divulgou hoje a convocatória para o Campeonato do Mundo de Seleções de Marcha, evento que terá lugar na cidade turca de Antália, já no próximo dia 21 de abril.

A seleção, que tem em vista a participação na Estafeta Mista, resume-se a 4 atletas (2 masculinos e 2 femininos), a saber:

Inês Mendes - Sport Lisboa e Benfica
João Vieira - Sporting Clube de Portugal
Rui Coelho - Sport Lisboa e Benfica
Vitória Oliveira - Sport Lisboa e Benfica

A referida convocatória não especifica quem fará parte das duplas, admitindo-se que estas sejam formadas por João Vieira/Vitória Oliveira e Rui Coelho/Inês Mendes.

Tendo em conta os critérios federativos para a Estafeta Mista por «Marcas de Qualificação», fixadas em 1:24:00 (masculinos) e 1:34:00 (femininos) e a serem obtidas no período de 1 de novembro de 2023 a 31 de março de 2024, conclui-se que nenhum dos atletas selecionados as tem ou atingiu.

Assim, a própria FPA, que nada fez para proporcionar a realização de eventos nacionais sobre 20 km nesse período (optou por campeonatos sobre 10 km e 15 km), socorre-se assim de outros critérios para selecionar atletas sem as marcas de qualificação que estipulou, como « ... considerar tecnicamente justificável e enquadrado em eventuais objetivos coletivos ... », sem dizer quais, e ainda « ... convocar atletas englobados no Projeto de Preparação Olímpica e/ou que estejam bem posicionados no “Road to Paris” ... ».

Sabendo-se que, na prova de estafetas, serão 22 as equipas selecionadas automaticamente em Antália para os Jogos Olímpicos de Paris, a World Athletics regulamentou que cada país poderia apresentar até três equipas. Estranhamente, a FPA, nos seus critérios de seleção, restringiu esse número, indicando « ... podendo serem selecionadas no máximo 2 equipas», impossibilitando dessa forma a ida de uma terceira equipa!

Cabe perguntar: por que carga de água se limitou a participação a duas equipas, quando o limite internacional era de três? Que visão de planeamento do alto rendimento da marcha prevaleceu para se chegar a essa decisão? Que expectativas havia em relação à qualidade e à capacidade de evolução dos marchadores portugueses?

Por outro lado, torna-se evidente a contradição entre a não seleção de atletas para as provas de 20 km e para as dos sub-20 (por falta de marcas de referência alcançadas pelos atletas) e a opção de agora selecionar atletas para as estafetas igualmente sem marcas de referência. Sendo até louvável a selecção dos quatro atletas identificados acima, o mau planeamento da época pela FPA conduziu a esta circunstância de acabarem por ficar arredados da participação em Antália atletas que teriam lugar na selecção nacional, pelo menos à luz da regulamentação internacional. Sim, havia condições para Portugal ter uma terceira equipa!

Para as provas individuais de 20 km masculinos e femininos e de 10 km sub-20 masculinos e femininos, não haverá representação portuguesa em Antália. Numa competição em que Portugal também conquistou pergaminhos ao longo das participações iniciadas em 1987, torna-se cada vez menos compreensível que o nível da marcha atlética portuguesa tenha descido a este ponto em que já nem é possível ter sequer um atleta em qualquer dessas quatro provas (do total de cinco do programa).

segunda-feira, 8 de abril de 2024

Kimberly García venceu na sua estreia em Podebrady com tempo recorde

A partida dos 20 km femininos, Kimberly García a vencer e no pódio com Glenda Morejón
e Antonella Palmisano. Fotos: Jan Houska, Miriam Stewartová e YouTube Czech Athletics.
Montagem: O Marchador

Numa demonstração de grande classe a atleta peruana Kimberly García triunfou nos 20 km femininos disputados este sábado na cidade checa de Podebrady, isto na primeira vez em que a bicampeã de 2022 participava naquela emblemática competição, realizando o tempo de 1:27:08, recorde da prova.

Kimberly haveria de dizer na entrevista concedida ao locutor do evento (e nunca é demais sublinhar a excelência da transmissão, via streaming, com câmaras instaladas em vários pontos do circuito) que gostou muito do circuito, queixando-se do calor, mas referindo ter a prova constituído para si um bom teste para aquele que é o seu grande objetivo da época, os Jogos Olímpicos de Paris.

Ainda nos 20 km femininos, referências ainda para os resultados obtidos pela equatoriana Glenda Morejón, segunda classificada com o tempo de 1:27:21, igualmente recorde da prova, e para a campeã olímpica de Tóquio, a italiana Antonella Palmisano, com 1:27:27, a sua terceira melhor marca na carreira e a um segundo apenas do tempo que lhe deu a medalha de bronze nos Mundiais de Budapeste, com o objetivo agora centrado em Antalya na conquista (com Stano) de uma vaga na estafeta mista para Paris.

Outras relevantes prestações foram obtidas por Alegna González (México), 4ª com 1:28:04, Viviane Lyra (Brasil), 5ª com 1:28:25, recorde pessoal, Magaly Bonilla (Equador), 6ª com 1:28:26, recorde pessoal, Eleonora Anna Giorgi (Itália), 7ª com 1:28:47, as cinco primeiras a confirmarem os mínimos olímpicos e as duas últimas a fazerem-nos, o de Giorgi com um sabor muito especial e a dedicá-lo ao seu avô que faleceu há alguns meses e que nunca a deixou de acompanhar às provas.

Das portuguesas, destaque para Vitória Oliveira a classificar-se na 15ª posição com um recorde pessoal de 1:32:39, melhorando em 25 segundos a anterior melhor marca, estabelecida nos Mundiais do ano passado, e para Carolina Costa, na 22.ª posição com 1:34:36, recorde pessoal batido por um minuto. Andreia Sousa, Adriana Viveiros e Bruna Marques desistiram.

Nos 10 km Sub-20 femininos, o triunfo sorriu à checa Ema Klimentová (47:37), com recorde pessoal, na segunda posição a espanhola Claudia Ventura (47:52) e a fechar o pódio a alemã Tabea Kiefer (47:59), recorde pessoal. A portuguesa Carolina Dias desistiu.

Classificações
20 km femininos
1.ª, Kimberly Garcia Leon, 1993 (PER - Peru), 1:27:08
2.ª, Glenda Morejón, 2000 (ECU - Equador), 1:27:21
3.ª, Antonella Palmisano, 1991 (ITA - Itália), 1:27:27
4.ª, Alegna González, 1999 (MEX - México), 1:28:04
5.ª, Viviane Lyra, 1993 (BRA - Brasil), 1:28:25
6.ª, Magaly Bonilla, 1992 (ECU - Equador), 1:28:26
7.ª, Eleonora Anna Giorgi, 1989 (ITA - Itália), 1:28:47
8.ª, Paula Milena Torres, 2000 (ECU - Equador), 1:29:32
9.ª, Pauline Stey, 2001 (FRA - França), 1:29:49
10.ª, Valentina Trapletti, 1985 (ITA - Itália), 1:30:05
11.ª, Camille Moutard, 2001 (FRA - França), 1:30:08
12.ª, Katarzyna Zdziebło, 1996 (POL - Polónia), 1:30:31
13.ª, Laura Cristina Mojica Chalarca, 2000 (COL - Colômbia), 1:31:13
14.ª, Olga Chojecka, 1997 (POL - Polónia), 1:31:22
15.ª, Vitória Oliveira, 1992 (POR - Portugal), 1:32:39
16.ª, Hana Burzalova, 2000 (SVK - Eslováquia), 1:32:40
17.ª, Lucy Alejandra Mendoza Malagon, 1999 (COL - Colômbia), 1:32:40
18.ª, Karel Ximen Serrano, 2004 (MEX - México), 1:33:08
19.ª, Rita Récsei, 1996 (HUN - Hungria), 1:33:34
20.ª, Mirna Ortíz, 1987 (GUA - Guatemala), 1:34:17
21.ª, Angela Melania Castro Chirivechz, 1993 (BOL - Bolívia), 1:34:26
22.ª, Carolina Costa, 1998 (POR - Portugal), 1:34:36
23.ª, Clemence Beretta, 1997 (FRA - França), 1:34:44
24.ª, Yaquelin Teletor Jerónimo, 2004 (GUA - Guatemala), 1:35:05
25.ª, Sandra Viviana Galvis, 1986 (COL - Colômbia), 1:36:08
26.ª, María Fernanda Peinado, 2001 (GUA - Guatemala), 1:36:54
27.ª, Austeja Kavaliauskaite, 2000 (LTU - Lituânia), 1:37:01
28.ª, Tiziana Spiller, 2003 (HUN - Hungria), 1:37:18
29.ª, Natalia Alfonzo, 1994 (VEN - Venezuela), 1:37:19
30.ª, Sofia Ramos Rodriguez, 2002 (MEX - México), 1:37:54
30.ª, Alejandro Ortega, 1994 (MEX - México), 1:37:54
32.ª, Anabella Orjuela, 1988 (COL - Colômbia), 1:38:55
33.ª, Giada Train, 2004 (ITA - Itália), 1:39:05
34.ª, Ana Pulgarin Cardeno, 2001 (ESP - Espanha), 1:39:06
35.ª, Noelia Vargas, 2000 (CRC - Costa Rica), 1:39:06
36.ª, Sofia Fiorini, 2004 (ITA - Itália), 1:39:14
37.ª, Bianca Maria Dittrich, 1993 (GER - Alemanha), 1:39:17
38.ª, Agathe Millé, 2004 (FRA - França), 1:39:53
39.ª, Kate Veale, 1994 (IRL - Irlanda), 1:39:58
40.ª, Celia Ferrari, 2002 (ESP - Espanha), 1:40:10
41.ª, Eliška Martínková, 2002 (CZE - República Checa), 1:40:25
42.ª, Lidia Barcella, 1997 (ITA - Itália), 1:40:32
43.ª, Nelly Lagrange, 2004 (FRA - França), 1:40:43
44.ª, Miranda Melville, 1989 (USA - E.U. América), 1:40:45
45.ª, Agnieszka Ellward, 1989 (POL - Polónia), 1:41:06
46.ª, Lena Sonntag, 2004 (GER - Alemanha), 1:41:13
47.ª, Mar Juarez, 1993 (ESP - Espanha), 1:42:48
48.ª, Abigail Jennings, 2000 (GBR - Grã-Bretanha), 1:42:55
49.ª, Dana Paola Aceves, 2002 (MEX - México), 1:43:41
50.ª, Siri Glittenberg, 2002 (NOR - Noruega), 1:44:23
51.ª, Naomi Garcia, 1998 (PUR - Porto Rico), 1:44:28
52.ª, Sharon Lisseth Herrera Soto, 2004 (CRC - Costa Rica), 1:44:35
53.ª, Klaudia Žárska, 1999 (SVK - Eslováquia), 1:44:42
54.ª, Rocio Estefania Sanchez, 2001 (MEX - México), 1:47:30
55.ª, Julia Schmidt, 2004 (GER - Alemanha), 1:47:51
56.ª, Karin Devaldova, 2003 (SVK - Eslováquia), 1:50:34
57.ª, Venla-Nora Nirkkonen, 2001 (FIN - Finlândia), 1:50:54
58.ª, Anna Kokko, 2004 (FIN - Finlândia), 1:51:33
59.ª, Arely Enríquez, 1998 (MEX - México), 1:52:14
60.ª, Michaela Baklikova, 2001 (CZE - República Checa), 1:52:55
61.ª, Nelly Bugárová, 2001 (CZE - República Checa), 1:53:00
62.ª, Štěpánka Pohlová Kučerová, 1987 (CZE - República Checa), 1:55:26
63.ª, Lenka Borovičková, 1973 (CZE - República Checa), 2:07:56
Desclassificada: Anett Torma, 1984 (HUN - Hungria).
Desistentes: Tereza Pittner, 2004 (CZE - República Checa), Ema Hačundova, 1999 (SVK - Eslováquia), Johana Petřiková, 2002 (CZE - República Checa), Andreia Sousa, 1998 (POR - Portugal), Adriana Viveiros, 2002 (POR - Portugal), Bruna Marques, 2002 (POR - Portugal), Sara Vitiello, 1996 (ITA - Itália), Ada Junghannss, 2004 (GER - Alemanha), Dora Csörgő, 2001 (HUN - Hungria), Marion Manaresi, 2000 (FRA - França), Johan Ordóňez, 1987 (ECU - Equador), Heta Veikkola, 2003 (FIN - Finlândia), Victoria Madarász, 1985 (HUN - Hungria), Monika Vaiciukevičiute, 1996 (LTU - Lituânia), Mária Katerinka Czaková, 1988 (SVK - Eslováquia) e Elizabeth Ragasova, 2002 (SVK - Eslováquia).

10 km sub-20 femininos
1.ª, Ema Klimentova, 2005 (CZE - República Checa), 47:37
2.ª, Claudia Ventura, 2006 (ESP - Espanha), 47:52
3.ª, Tabea Kiefer, 2005 (GER - Alemanha), 47:59
4.ª, Lena Auvray, 2006 (FRA - França), 48:14
5.ª, Chloe Le Roch, 2007 (FRA - França), 48:35
6.ª, Anna-Maria Gabriel, 2005 (GER - Alemanha), 48:40
7.ª, Elizabeth Frankl, 2005 (CZE - República Checa), 49:20
8.ª, Kylie Garreis, 2005 (GER - Alemanha), 49:26
9.ª, Emelie Cheze, 2006 (FRA - França), 49:39
10.ª, Beatrice Palmonari, 2008 (ITA - Itália), 50:08
11.ª, Elvira Barrón, 2006 (ESP - Espanha), 50:27
12.ª, Alexandra Kovacs, 2006 (HUN - Hungria), 50:42
13.ª, Judit Erdős, 2005 (HUN - Hungria), 51:50
14.ª, Bianca Zoboli, 2006 (ITA - Itália), 52:10
15.ª, Aliisa Kiiski, 2005 (FIN - Finlândia), 52:20
16.ª, Ivana Dudová, 2005 (SVK - Eslováquia), 52:32
17.ª, Francesca Buselli, 2007 (ITA - Itália), 52:55
18.ª, Aquila Orliukaite, 2005 (LTU - Lituânia), 53:13
19.ª, Aiva Believed, 2005 (LTU - Lituânia), 53:29
20.ª, Benedetta Falasconi, 2007 (ITA - Itália), 54:33
21.ª, Angelina Pauline Sommer, 2006 (GER - Alemanha), 55:04
22.ª, Timea Indrišková, 2008 (SVK - Eslováquia), 55:43
23.ª, Iris Airaksinen, 2007 (FIN - Finlândia), 57:04 p.z.
24.ª, Augusté Balnyté, 2005 (LTU - Lituânia), 58:44
25.ª, Franziska Gruhn, 2006 (GER - Alemanha), 59:15
26.ª, Lucie Krinwald, 2005 (CZE - República Checa), 1:03:45
Desistentes: Marine Merbitz, 2006 (FRA - França) e Carolina Dias, 2005 (POR - Portugal).

Perseus Karlström vitorioso em Podebrady com recorde do evento

Grupo na liderança dos 20 km masculinos, a vitória de Perseus Karlstrom e no pódio
com Evan Dunfee e Caio Bonfim. Fotos: Jan Houska e YouTube Czech Athletics
Montagem: O Marchador

O sueco Perseus Karlström foi a grande figura da prova masculina dos 20 km marcha que teve lugar este sábado em Podebrady, na República Checa, ao vencer a prova com o tempo de 1:18:22, a constituir recorde da prova, melhorando em 32 segundos o que ele próprio fizera na edição de 2021 e o que o brasileiro Caio Bonfim conseguira em 2022.

Mas, no plano geral, os resultados obtidos foram de excelente qualidade com o pódio a ficar completo com o canadiano Evan Dunfee na segunda posição com o tempo de 1:18:41 e o terceiro lugar para o consistente atleta brasileiro Caio Bonfim, que chegou à meta com a marca de 1:18:50, todos bem destacados da concorrência e isto apesar do tempo quente que se fazia sentir à hora da prova (15:00 horas), o que não é muito usual por aquelas bandas. Na quarta e quinta posições classificaram-se o francês Gabriel Bordier (1:19:56) e o italiano Francesco Fortunato (1:20:32), vencedor no ano passado.

Dos portugueses destaque-se a boa prestação de João Vieira, na 11ª posição, com a marca de 1:22:27, enquanto Rui Coelho se classificava no 38º lugar com 1:25:52, a 32 segundos do seu recorde pessoal, e Tiago Ramos no 44º lugar com um recorde pessoal de 1:27:45, batido por larga margem.

Nos 10 km Sub-20 masculinos, vitória do francês Quentin Chenuet (42:15) e com os outros dois do pódio a realizarem marcas também abaixo da cada dos 43 minutos, o alemão Nick Joel Richardt (42:21) e o checo Albert Kukla (42:44), todos com recordes pessoais.

Classificações
20 km masculinos
1.º, Perseus Karlström, 1990 (SWE - Suécia), 1:18:22
2.º, Evan Dunfee, 1990 (CAN - Canadá), 1:18:41
3.º, Caio Bonfim, 1991 (BRA - Brasil), 1:18:50
4.º, Gabriel Bordier, 1997 (FRA - França), 1:19:56
5.º, Francesco Fortunato, 1994 (ITA - Itália), 1:20:32
6.º, Andrea Cosi, 2001 (ITA - Itália), 1:20:56
7.º, Maher Ben Hlima, 1989 (POL - Polónia), 1:21:07
8.º, José Luis Doctor, 1996 (MEX - México), 1:21:11
9.º, José Leonardo Montana, 1992 (COL - Colômbia), 1:21:18
10.º, Dominik Cerný, 1997 (SVK - Eslováquia), 1:21:46
11.º, João Vieira, 1976 (POR - Portugal), 1:22:27
12.º, Noel Chama, 1997 (MEX - México), 1:22:32
13.º, Kévin Campion, 1988 (FRA - França), 1:22:52
14.º, Jonathan Hilbert, 1995 (GER - Alemanha), 1:22:57
15.º, Aleksi Ojala, 1992 (FIN - Finlândia), 1:22:59
16.º, Miroslav Uradnik, 1996 (SVK - Eslováquia), 1:23:00
17.º, Leo Köpp, 1998 (GER - Alemanha), 1:23:19
18.º, Cameron Corbishley, 1997 (GBR - Grã-Bretanha), 1:23:22
19.º, José Manuel Perez, 1999 (ESP - Espanha), 1:23:27
20.º, Bence Venyercsán, 1996 (HUN - Hungria), 1:23:30
21.º, Vit Hlaváč, 1997 (CZE - República Checa), 1:23:38
22.º, Ricardo Ortiz, 1995 (MEX - México), 1:23:49
23.º, Raivo Saulgriezis, 1994 (LAT - Letónia), 1:23:53
24.º, Georgiy Sheiko, 1989 (KZK - Cazaquistão), 1:24:08
25.º, Christian Donovan Juarez Lopez, 2002 (MEX - México), 1:24:10
26.º, Érick Bernabé Barrondo, 1991 (GUA - Guatemala), 1:24:12
27.º, Oisin Lane, 2002 (IRL - Irlanda), 1:24:12
28.º, Joe Mooney, 1998 (IRL - Irlanda), 1:24:38
29.º, Gabriel Gamba, 2002 (ITA - Itália), 1:24:44
30.º, Nathaniel Seiler, 1996 (GER - Alemanha), 1:24:52
31.º, Callum Wilkinson, 1997 (GBR - Grã-Bretanha), 1:24:57
32.º, Jakub Jelonek, 1985 (POL - Polónia), 1:25:07
33.º, Aldo Andrei, 2001 (ITA - Itália), 1:25:09
34.º, Carlos Emiliano Mercenario, 2000 (MEX - México), 1:25:10
35.º, Joni Hava, 1999 (FIN - Finlândia), 1:25:21
36.º, Carl Dohmann, 1990 (GER - Alemanha), 1:25:41
37.º, Jaromír Morávek, 2003 (CZE - República Checa), 1:25:47
38.º, Rui Coelho, 1994 (POR - Portugal), 1:25:52
39.º, Adam Jazíček, 2003 (CZE - República Checa), 1:25:54
40.º, Pablo Rodríguez Rojas, 2044 (ESP - Espanha), 1:25:58
41.º, Jerry Jokinn, 2002 (FIN - Finlândia), 1:26:08
42.º, Frederick Weigel, 2005 (GER - Alemanha), 1:26:24
43.º, Cesar Alberto Herrera Cortez, 1999 (COL - Colômbia), 1:26:53
44.º, Tiago Ramos, 2003 (POR - Portugal), 1:27:45
45.º, Lukáš Gdula, 1991 (CZE - República Checa), 1:28:24
46.º, Oscar Martinez, 2003 (ESP - Espanha), 1:28:28
47.º, Nick Christie, 1991 (USA - E.U. América), 1:28:45
48.º, Jaakko Mäattänen, 1999 (FIN - Finlândia), 1:30:39
49.º, Jassam Abu El Wafa, 2004 (GER - Alemanha), 1:30:48
50.º, Aymeric Hue, 2001 (FRA - França), 1:31:22
51.º, Kyrian Vallee, 1994 (FRA - França), 1:31:30
52.º, Konstantinos-Alexandros Ntentopoulos, 1992 (GRE - Grécia), 1:31:49
53.º, Artur Mastianica, 1992 (LTU - Lituânia), 1:31:55
54.º, Ismael Bernal, 1999 (MEX - México), 1:32:04 p.z.
55.º, Hugo Andrieu, 1992 (FRA - França), 1:32:37
56.º, Davide Finocchietti, 2001 (ITA - Itália), 1:33:12
57.º, Remi Rodriguez, 1989 (FRA - França), 1:35:17
58.º, Simon Bazzo Bortot, 1996 (FRA - França), 1:36:19
59.º, Lucas Dreville, 2002 (FRA - França), 1:36:31
60.º, Rafael Lopez Mendoza, 1989 (MEX - México), 1:38:22
61.º, David Tokodi, 1991 (HUN - Hungria), 1:39:01
62.º, Rostislav Kolář, 1987 (CZE - República Checa), 1:40:57
63.º, Tauras Jokubas Grincevicius, 2004 (LTU - Lituânia), 1:42:46
64.º, Jaromír Hloch, 1992 (CZE - República Checa), 1:43:13
65.º, Michal Duda, 2004 (SVK - Eslováquia), 1:43:19
66.º, Chun Hung Tse, 1981 (HKG - Hong Kong), 1:45:45
67.º, Deividas Balevicius, 1999 (LTU - Lituânia), 1:49:13 p.z.
Desclassificados: Matthew Glennon, 2003 (IRL - Irlanda) e Bernardo Uriel Barrondo, 1993 (GUA - Guatemala).
Desistentes: Karl Junghanns, 1996 (GER - Alemanha), Moises Beltran, 1997 (CHI - Chile), David Kenny, 1999 (IRL - Irlanda), Brendan Boyce, 1986 (IRL - Irlanda), Christopher Snook, 2000 (GBR - Grã-Bretanha), Johannes Frenzl, 2001 (GER - Alemanha), Christopher Linke, 1988 (GER - Alemanha), José María Raymundo, 1993 (GUA - Guatemala), Pietro Marchetti, 2002 (ITA - Itália), Arnis Rumbenieks, 1988 (LAT - Letónia), Stefano Cicalo, 1998 (ITA - Itália), Andrea Agrusti, 1995 (ITA - Itália), Aurélien Quinion, 1993 (FRA - França), Michal Morvay, 1996 (SVK - Eslováquia), Manuel Esteban Soto, 1994 (COL - Colômbia), Josef Smola, 1964 (CZE - República Checa), Alexander Malysa, 1997 (CZE - República Checa), Jonathan Javier Amores Carua, 1998 (ECU - Equador), Oscar Oswaldo Patin, 2001 (ECU - Equador), George Wilkinson, 2002 (GBR - Grã-Bretanha), Jakub Pšenička, 1991 (CZE - República Checa), César Cordova Fernandez, 2002 (MEX - México), Andres Eduardo Olivas Núnez, 1998 (MEX - México), Artur Brzozowski, 1985 (POL - Polónia), Isaac Antonio Palma Olivares, 1990 (MEX - México), Julio Cesar Salazar, 1993 (MEX - México) e Carlos Sánchez Cantera, 1985 (MEX - México).

10 km sub-20 masculinos
1.º, Quentin Chenuet, 2005 (FRA - França), 42:15
2.º, Nick Joel Richardt, 2006 (GER - Alemanha), 42:21
3.º, Albert Kukla, 2005 (CZE - República Checa), 42:44
4.º, Bastien Picart, 2006 (FRA - França), 43:04
5.º, Iván Molina Espartero, 2006 (ESP - Espanha), 43:25
6.º, Hugo Ellul, 2005 (FRA - França), 44:22
7.º, Filip Krestianko, 2005 (SVK - Eslováquia), 44:55
8.º, Lukas Lasevicius, 2005 (LTU - Lituânia), 45:17
9.º, Omar Moretti, 2006 (ITA - Itália), 45:23 p.z.
10.º, Matteo Arisi, 2006 (ITA - Itália), 45:57
11.º, Vojtěch Novák, 2006 (CZE - República Checa), 46:26
12.º, Pablo Postigo Gabarro, 2005 (ESP - Espanha), 46:50
13.º, Javier De Arriba Castilla, 2005 (ESP - Espanha), 47:10
14.º, Alessandro Rebosio, 2006 (ITA - Itália), 47:31
15.º, Nicola Vidal, 2008 (ITA - Itália), 47:31
16.º, Clemens Brunkel, 2006 (GER - Alemanha), 49:40
17.º, Cristian Serra, 2005 (ITA - Itália), 50:58
18.º, Liudas Grincevicius, 2006 (LTU - Lituânia), 51:47
19.º, Mantas Balevicius, 2005 (LTU - Lituânia), 52:35
20.º, Anthony Peter, 2006 (FRA - França), 52:38
21.º, Jakub Mažgút, 2007 (SVK - Eslováquia), 54:21
22.º, Pekka Peltola, 2006 (FIN - Finlândia), 54:22
23.º, Vojtěch Peroutka, 2006 (CZE - República Checa), 54:24
24.º, Oskar Matila, 2006 (FIN - Finlândia), 55:21
25.º, Tomas Gloser, 2006 (CZE - República Checa), 58:32

domingo, 7 de abril de 2024

1992, ano de altos e baixos

Os vários campeões de Portugal em 1992 em diferentes escalões etários,
em pista ao ar livre, pista coberta e estrada, e a representação da disciplina
da marcha atlética nos Jogos Olímpicos de Barcelona. Imagens: arquivo
«O Marchador», Revista Atletismo e IG Paulo Revêz.

A marcha atlética portuguesa experimentou em 1992 sentimentos contraditórios. Por um lado, os mais destacados representantes da disciplina superaram-se e bateram mais alguns recordes nacionais, demonstrando também por essa via o contínuo desenvolvimento da especialidade no país. Por outro lado, a participação em competições internacionais (desde logo nos Jogos Olímpicos) saldou-se por uma quantidade inusitada de desclassificações, que mancharam e deixaram em xeque as manifestações do crescimento que vinha a ser registado desde que a marcha foi reintroduzida em Portugal, no final de 1974.

Nunca antes os Jogos Olímpicos tinham tido lugar tão próximo do território português. Barcelona, a cerca de 700 quilómetros de Portugal em linha recta, iria acolher os Jogos da XXV Olimpíada e a proximidade suscitava grande entusiasmo e expectativa de boa presença dos marchadores portugueses. A missão olímpica nacional haveria de apresentar nada menos que cinco marchadores, cifra impensável poucos anos antes (ou mesmo meses) e que também resultou da circunstância de estes Jogos serem os primeiros a incluir provas de marcha para o sector feminino – no caso, a dos 10 km, juntando-se aos 20 e aos 50 km dos masculinos.

Entre os homens, o trio de Josés (Pinto, Urbano e Magalhães, todos treinados nesta fase por Luís Dias) iria competir na prova mais longa, sendo que José Urbano começaria por alinhar nos 20 km (era o único com mínimos nas duas distâncias). Já nos femininos, à esperada presença de Susana Feitor juntou-se a participação de Isilda Gonçalves, que alcançou os mínimos nos 10 km com os 46.43 m averbados a 6 de Junho, no Grande Prémio da Corunha. Um resultado que veio finalmente suplantar a sequência de três marcas entre 47.22 m e 47.26 m, obtidas de 22 de Março a 23 de Maio.

No global, esta seria a terceira (e última) presença de José Pinto nos Jogos Olímpicos e a segunda de José Urbano. Todos os demais teriam em Barcelona a estreia olímpica: José Magalhães, Susana Feitor e Isilda Gonçalves.

A fase de «apuramento» para os Jogos tinha decorrido de forma auspiciosa, dado que apresentar cinco atletas com mínimos olímpicos era extraordinário – mesmo para a maior parte dos que pensavam e organizavam a marcha em Portugal, era porventura até surpreendente que tantos atletas tivessem alcançado marcas tão exigentes como 4.05.00 h nos 50 km, 1.24.00 h nos 20 km ou 47.00 m nos 10 km femininos. Só que o desempenho na capital catalã acabaria por ser bem mais modesto do que o imaginado à partida para Barcelona. José Pinto, nos 50 km, e Susana Feitor, nos 10 km, foram desclassificados. A mesma sorte teve José Urbano nos 20 km, vindo a redimir-se uma semana depois, na prova longa, ainda que com resultado muito aquém do valor do atleta do Benfica: 4.16.31 h, correspondentes ao 25.º lugar. Três lugares mais atrás ficava José Magalhães, creditado com 4.20.12 h, resultado que o marchador do Atlético Clube Alfenense tinha superado em todas as provas da distância desse ano, desde as 4.15.19 h a 22 de Março nos nacionais de marcha em Estrada, realizados em Rio Maior, até às 4.04.46,0 h averbadas em Bergen (Noruega), a 15 de Maio, e que deram a José Magalhães o passaporte olímpico. Recorde-se, a propósito, que a marca obtida na Noruega constituiu novo recorde nacional da distância em pista.

Uma das justificações para a escassez de valor das marcas dos marchadores portugueses classificados relacionou-se com o perfil do circuito das provas, que começavam todas numa zona da baixa da cidade, desenrolavam-se depois num circuito de dois mil metros, terminando no Estádio Olímpico, após uma subida longa e muito íngreme. Naturalmente, também Isilda Gonçalves se ressentiu dessas condições, terminando os 10 km em 50.23 m (ou seja, no 34.º lugar).

Para estes atletas (ou para alguns, pelo menos), o ano já não começara bem em vários aspectos. Com a marca alcançada nos 5000 metros dos Campeonatos de Portugal de Pista Coberta (18.52,25), José Urbano posicionava-se como potencial candidato a bom resultado nos europeus de pista coberta, que iriam ter lugar em Génova (Itália). Numa prova especialmente exigente em matéria técnico-regulamentar, seria fundamental o acompanhamento do treinador, para dar indicações importantes ao longo da competição. No entanto, a Federação Portuguesa de Atletismo (FPA) entendeu não integrar na comitiva o treinador do atleta do Benfica, Luís Dias. Perante a situação, José Urbano decidiu não comparecer nos campeonatos, faltando à chamada no aeroporto. Terminados os campeonatos, a FPA fez um inquérito sobre as circunstâncias do acontecimento, acabando por advertir o atleta mas sem castigo de suspensão, como chegou a recear-se, evitando-se assim comprometer a participação de Urbano nos Jogos Olímpicos.

Ao longo da época, José Urbano averbou duas outras desclassificações: a 5 de Abril, no Memorial «Guerau Garcia» de Marcha (Espanha, 20 km, no circuito que iria ser usado nos Jogos Olímpicos), e a 10 de Maio, no Grande Prémio de L'Hospitalet (Espanha, 20 km). A primeira dessas provas ficou marcada pela circunstância de Urbano ter dominado a competição em grande parte do tempo, ter andado isolado a meio da prova, ter depois sido alcançado e ter finalmente concluído a distância na segunda posição, com 1.24.10 h, batido apenas pelo espanhol Valenti Massana, acabando minutos depois por ser informado de que, afinal, era desclassificado.

Pelo meio das desclassificações, Urbano ia batendo recordes nacionais – três recordes, em outras tantas distâncias. Logo em 22 de Fevereiro, nos Campeonatos de Portugal de Pista Coberta, em Braga, venceu os 5000 m marcha masculinos com 18.52,25 m, superando o máximo que já lhe pertencia de 19.18,26 m, estabelecido no mesmo local a 4 de Fevereiro de 1989, mas também o máximo absoluto de 18.56,61 m estabelecido no ano anterior em França.

Depois, a 15 de Março, veio o recorde na prova da hora realizada no Estádio Nacional e integrada no programa das Provas de Observação da FPA. José Urbano percorreu 14.647 metros ao longo de 60 minutos e apoderou-se do recorde que desde 6 de Setembro de 1986 pertencia a José Pinto (14.418 m, em Hildesheim, Alemanha).

Por fim, o recorde dos 20 km, a 23 de Maio, no Grande Prémio de Marcha «Cidade do Montijo», onde marcou 1.21.41 h e assim retirou 38 segundos ao máximo vigente, que lhe pertencia desde 27 de Maio de 1989 e fora obtido em L’Hospitalet (Espanha).

Susana Feitor teve em 1992 experiência semelhante de alternância entre recordes e desclassificações. Nos Jogos Olímpicos, pelo meio de incentivos e de chamadas de atenção para as duas advertências com que iniciava a escalada de Montjuich, a atleta expôs-se ao risco e acabou fortemente penalizada com a desclassificação a poucos metros da entrada no estádio. Não pôde, por isso, classificar-se na estreia olímpica nem conhecer a emoção da entrada num grande estádio repleto de público. Felizmente, haveria de ter muitas outras oportunidades para fazê-lo, mais madura e mais experiente.

Poucas semanas depois, a 20 de Setembro, nos 5000 m marcha femininos do mundiais de juniores de Seul (Coreia do Sul), nova desclassificação, também próximo do final da competição, quando estava praticamente garantida a medalha de prata, atrás da chinesa Gao Hongmiao e à frente da australiana Jane Saville, que haveria de finalizar em segundo lugar.

Mas a parte precedente da época tinha sido muito positiva e produtiva em matéria de recordes nacionais. A «caçada» abrira a 29 de Fevereiro, em Braga, com os 3000 m marcha femininos em pista coberta, com Susana Feitor a averbar 12.42,1 m. Tratou-se da estreia da atleta do Clube de Natação de Rio Maior em provas em recinto coberto, o que significa que veio riscar da lista de recordes nacionais outro nome, o da ainda mais jovem Sofia Avoila (com 15 anos), que seis dias antes, a 23 de Fevereiro, na mesma pista, se sagrara campeã nacional absoluta de pista coberta, com 13.16,2 m.

Veio depois a competição feminina da meia hora marcha, a 15 de Março, nas Provas de Observação da FPA no Estádio Nacional: 6696 metros foi o resultado averbado por Susana Feitor, numa prova em que, como quase sempre acontecia em Portugal, andou em contra-relógio individual e ainda registou a considerável passagem aos 5000 metros em 22.20,7 m. Suplantou assim o anterior máximo que Isilda Gonçalves estabelecera dois anos antes, com 6305 metros. A seguir, no dia 22 de Março, durante os Campeonatos de Portugal de Marcha em Estrada, em Rio Maior, recorde dos 10 km, com 45.24 m, melhorando 13 segundos a marca obtida em Tóquio (Japão), a 14 de Agosto do ano anterior, nos mundiais de atletismo.

Depois dos 10 km em estrada veio o recorde da mesma distância em pista: foi a 15 de Maio, no Grande Prémio Softleland, em Bergen (Noruega), com o registo de 45.45,5 m. De novo os 3000 metros, mas desta vez ao ar livre: a 31 de Maio, nos nacionais de juvenis realizados em Viseu, Susana Feitor registou 12.32,34 m. Por fim, a 1 de Julho, no Meeting de Schwechat, em Viena (Áustria), 5000 m cumpridos 21.30,91 m e superando os 21.44,30 com que, em 22 de Agosto de 1990, se tinha sagrado campeã mundial de juniores em Plovdiv, na Bulgária.

A estes recordes nacionais de José Urbano, Susana Feitor e Sofia Avoila, haverá que juntar outros dois para que o panorama anual fique completo. O primeiro, a 7 de Março em Rio Maior, nos 3000 m marcha iniciados masculinos, foi obtido por Pedro Veríssimo, do Clube de Natação de Rio Maior, com 13.22,6 m. O segundo, em Bergen, a 15 de Maio, nos 50 mil metros marcha (ou seja, 50 km em pista), por José Magalhães (AC Alfenense): recorde absoluto, com 4.04.46,0 h e que, como já se referiu, conferiu mínimos olímpicos para o atleta de Alfena.

Numa análise global do ano, pode dizer-se que José Urbano se libertou do que poderia chamar-se a sombra «tutelar» de José Pinto, a grande referência da marcha portuguesa durante década e meia. Em 1992, José Urbano foi invencível entre os marchadores portugueses: ganhou os 5000 m dos nacionais de pista coberta, os 50 km dos nacionais de marcha em estrada, os 5000 metros dos nacionais de clubes da I Divisão e os 20 mil metros dos Campeonatos de Portugal de Atletismo. Ou seja, triunfou em todos os campeonatos nacionais a que podia concorrer. Nas restantes provas realizadas em Portugal, saiu sempre vencedor, tendo por isso sido um ano de completo domínio em solo português.

Mas o seu grande momento de afirmação foi a participação nos nacionais de 50 km, em Rio Maior. Era a estreia do beirão na distância olímpica mais longa, na qual o grande dominador era José Pinto, desde a primeira prova da distância em Portugal, nove anos antes, em Alenquer. O belenense foi, de resto, o primeiro a isolar-se, cumprindo a primeira légua em menos 35 segundos que o benfiquista (23.20, contra 23.55). Mas Urbano recolaria perto dos 10 quilómetros, para se isolar cerca dos 14. A partir daí, José Urbano fez uma prova em ritmo crescente, enquanto Pinto acusava problemas físicos, que o obrigaram a várias paragens. A vantagem de Urbano aumentou para mais de seis minutos aos 35 quilómetros, mas nesse momento surgiu o «muro» dos cinquentistas. A quebra de José Urbano foi evidente, José Pinto fez valer a maior experiência e recuperou mais de um quilómetro da desvantagem que tinha acumulado, mas não chegou para renovar o título de campeão nacional, desta vez conquistado pelo colega do Benfica, por um minuto e 25 segundos de diferença (3.59.33, contra 4.00.58), mas ambos com mínimos para os Jogos de Barcelona.

O domínio que José Urbano demonstrou nos masculinos teve paralelo no sector feminino através de Susana Feitor – no seu caso, com ainda menos oposição do que a que teve o marchador do Benfica. Susana tornou-se recordista nacional absoluta de todas as distâncias da marcha feminina, numa paleta agora completa em função das estreias que registou com sucesso na pista coberta (3000 m) e nos 10 mil metros em pista ao ar livre. De resto, também só vitórias ante colegas portuguesas.

O problema das desclassificações que assolaram os melhores portugueses nas competições internacionais constituiu alerta para a necessidade de formação técnica e para a importância do treino específico da componente técnico-regulamentar. Era obrigatório que o futuro tivesse em conta essa experiência negativa de 1992, exigindo medidas para as correcções que se impunha produzir.

Para esse mesmo futuro, o ano de 1992 terminava com expectativas e confirmações de valores que representavam crédito para a continuação e até melhoria dos resultados nacionais e internacionais dos marchadores portugueses. Entre os atletas jovens em maior destaque ao longo do ano devem ser consideradas as confirmações de Sofia Avoila (CD Montijo, campeã nacional de pista coberta e 13.ª no mundial de juniores), Lídia Santos (Boavista FC, 2.ª nos grandes prémios de Gaia e do Montijo), Pedro Pinto (Académica de Coimbra, 1.º no nacional de clubes da II Divisão batendo Hélder Oliveira e 2.º no GP Grândola, batido apenas por Urbano), Rita Silva (Sporting CP, 1.ª no nacional de clubes da I Divisão e 3.ª nos nacionais de juniores e de sub-23), Joaquim Pentieiro (CIPA, campeão nacional de juniores em estrada e em pista e vice-campeão de sub-23), Sandra Monteiro (ADCR Bairro dos Anjos, 1.ª no interassociações de estrada de iniciados femininos e na final nacional do DN Jovem, 3.ª nos nacionais de juvenis) e Alexandra Lamas (União Desportiva da Tocha, 3.ª nos nacionais de pista coberta e no GP Grândola) e as revelações de Bruno Ferreira (CCD Paivas, campeão nacional de juvenis em estrada, 3.º nos nacionais de juvenis em pista, 2.º nos nacionais de juniores, 1.º no interassociações de juvenis), Pedro Veríssimo (CN Rio Maior, vencedor do interassociações em estrada de iniciados masculinos, 1.º na final nacional do DN Jovem e recordista nacional dos 3000 m iniciados masculinos) e Isilda Jorge (CN Rio Maior, vice-campeã nacional de juniores).

A estes haverá ainda que juntar os irmãos Sérgio e João Vieira, do Clube de Natação de Rio Maior, respetivamente primeiro e segundo nos nacionais de juvenis, em Viseu a 30 de Maio, e terceiro e quarto nos nacionais de juniores, a 25 de Julho, no Estádio Nacional. Irmãos gémeos nascidos em 1976 (portanto, um ano mais novos que Susana Feitor e da mesma idade que Sofia Avoila), tinham pela frente mais três épocas em que poderiam pensar em mundiais e europeus de juniores. Além disso, Sérgio apresentava-se como o mais «despachado» dos dois irmãos, impondo-se várias vezes a João nestes primeiros anos, mas acabando por ser este a resistir durante mais tempo na prática da marcha, continuando, três décadas depois, a acumular títulos de campeão nacional, excelentes classificações em grandes competições internacionais e a enriquecer um dos mais notáveis currículos mundiais de marchadores. Como haveremos de ver nas próximas edições deste apanhado histórico de 50 anos de marcha em Portugal.

Relação das provas mais importantes efetuadas em 1992 (...)

Internacional / Associação Europeia de Atletismo / ...

26 de Junho a 4 de Julho, Campeonato da Europa de Veteranos - Pista, Kristiansand, Noruega. 3/7, 20 km masculinos M55: 1.º, Gerhard Weidner (Alemanha), 1.38.55 (...) 12.º, Avelino Ferreira (Portugal), 2.06.35 (18 participantes).

25 de Julho a 9 de Agosto, Jogos Olímpicos de Barcelona, Espanha. 31/7, 20 km masculinos: 1.º, Daniel Plaza (Espanha), 1.21.25; 2.º, Guillaume Leblanc (Canadá), 1.22.25; 3.º, Giovanni De Benedictis (Itália), 1.23.11; José Urbano (Portugal), desclassificado (42 participantes). 3/8, 10 km femininos: 1.ª, Chen Yueling (China), 44.32; 2.ª, Yelena Nikolayeva (Equipa Unificada/Rússia), 44.33; 3.ª, Li Chunxiu (China), 44.41 (...) 34.ª; Isilda Gonçalves (Portugal), 50.23; Susana Feitor (Portugal), desclassificada (44 participantes). 7/8, 50 km masculinos: 1.º, Andrey Perlov (Equipa Unificada/Rússia), 3.50.13; 2.º, Carlos Mercenario (México), 3.52.09; 3.º, Ronald Weigel (Alemanha), 3.53.45 (...) 25.º, José Urbano (Portugal), 4.16.31 (...) 28.º, José Magalhães (Portugal), 4.20.12; José Pinto (Portugal), desclassificado (42 participantes).

15 a 20 de Setembro, Campeonatos do Mundo de Juniores de Atletismo, Seul, Coreia do Sul. 16/9, 10.000 m masculinos: 1.º, Jefferson Pérez (Equador), 40.42,66; 2.º, Jacek Müller (Polónia), 40.50,82; 3.º, Grzegorz Müller (Polónia), 41.12,28 (22 participantes). 20/9, 5000 m femininos: 1.ª, Gao Hongmiao (China), 21.20,03; 2.ª, Jane Saville (Austrália), 21.58,64; 3.ª, Mika Itakura (Japão), 22.25,58 (...) 13.ª, Sofia Avoila (Portugal), 23.10,69; Susana Feitor (Portugal), desclassificada (35 participantes).

Campeonatos nacionais

22 e 23 de de Fevereiro, 4.ª edição dos Campeonatos de Portugal de Pista Coberta, Braga. 22/2, 5000 m masculinos: 1.º, José Urbano (SL Benfica), 18.52,25 (recorde nacional); 2.º, Augusto Cardoso (Boavista FC), 20.35,3; 3.º, José Magalhães (AC Alfenense), 20.35,7 (14 participantes). 23/2, 3000 m femininos: 1.ª, Sofia Avoila (CD Montijo), 13.16,2 (recorde nacional absoluto); 2.ª, Isilda Gonçalves (CD Montijo), 14.30,8; 3.ª, Alexandra Lamas (UD Tocha), 14.47,7 (17 participantes).

22 de Março, VII Campeonatos de Portugal de Marcha em Estrada - 50 km (...), Rio Maior. 50 km seniores masculinos: 1.º, José Urbano (SL Benfica), 3.59.33; 2.º, José Pinto (CF «Os Belenenses»), 4.00.58; 3.º, José Magalhães (AC Alfenense), 4.15.19 (12 participantes). 10 km seniores femininos: 1.ª, Isilda Gonçalves (CD Montijo), 47.22; 2.ª, Siw Vera Ibáñez (Suécia), 48.19 (extracampeonato); 3.ª, Lígia Gonçalves (CD Montijo), 51.56; 4.ª, Lídia Santos (Boavista FC), 54.54 (14 participantes). Vencedores de outros escalões: 20 km juniores masculinos, Joaquim Pentieiro (CIPA), 1.41.38; 10 km juniores femininos, Susana Feitor (CN Rio Maior), 45.24 (recorde nacional absoluto); 10 km juvenis masculinos, Bruno Ferreira (CCD Paivas), 47.11; 5 km juniores femininos, Sofia Avoila (CD Montijo), 23.58. Interassociações/provas abertas: 2 km infantis masculinos, António Sérgio (CCR Válega/Aveiro), 10.08; 1 km infantis femininos, Clementina Costa (GD Lourocoop/Aveiro), 4.53; 3 km iniciados masculinos, Pedro Veríssimo (CN Rio Maior/Santarém), 13.20; 2 km iniciados femininos, Sandra Monteiro (ADCR Bairro dos Anjos/Leiria), 10.03.

30 e 31 de Maio, Campeonatos Nacionais de Juvenis, Fontelo, Viseu (org.: FPA). 30/5, 5000 m masculinos: 1.º, Sérgio Vieira (CN Rio Maior), 22.25,27; 2.º, João Vieira (CN Rio Maior), 22.48,73; 3.º, Bruno Ferreira (CCD Paivas), 23.03,16 (20 participantes). 31/5, 3000 m femininos: 1.ª, Susana Feitor (CN Rio Maior), 12.32,34 (recorde nacional absoluto); 2.ª, Sofia Avoila (CD Montijo), 13.45,29; 3.º, Sandra Monteiro (ADCR Bairro dos Anjos), 14.45,47 (19 participantes).

27 e 28 de Junho, Campeonatos Nacionais de Clubes - III Divisão, Estádio Nacional. 27/6, 5000 m masculinos, 1.º, Carlos Eduardo (CA Futebol), 24.02,75; 2.º, João Norte (CO Pechão), 25.04,90; 3.º, Carlos Carmino (ADCR Bairro dos Anjos), 25.19,75 (10 participantes). 28/6, 3000 m femininos: 1.ª, Ana Jardim (CS Marítimo), 20.02,8; 2.ª, Fernanda Lopes (CD Drizes), 20.35,2; 3.ª, Cristina Rolo (ESNA), 21.02,4 (4 participantes).

27 e 28 de Junho, Campeonatos Nacionais de Clubes - II Divisão, Fontelo, Viseu. 27/6, 5000 m masculinos: 1.º, Pedro Pinto (AA Coimbra), 22.38,1; 2.º, Hélder Oliveira (GD Vilamoura), 22.56,2; 3.º, Décio Ramos (AD Ovarense), 27.08,4 (7 participantes). 28/6, 3000 m femininos: 1.ª, Laurinda Ferreira (CP Mangualde), 15.56,60; 2.ª, Dora Cabrita (GD Vilamoura), 16.35,59; 3.ª, Paula Vieira (NAC Alcanena), 18.22,23 (7 participantes).

27 e 28 de Junho, Campeonatos Nacionais de Clubes - I Divisão, Maia. 17/6, 5000 m masculinos: 1.º, José Urbano (SL Benfica), 19.58,44; 2.º, Augusto Cardoso (Boavista FC), 20.22,93; 3.º, José Pinto (CF «Os Belenenses»), 20.22,94 (7 participantes). 3000 m femininos: 1.ª, Rita Silva (Sporting CP), 15.18,65; 2.ª, Fernanda Ferreira (Vitória FC), 15.25,28; 3.ª, Isabel Rodrigues (SC Braga), 17.33,73 (7 participantes).

4 e 5 de Julho, Campeonatos Nacionais Sub-23, Maia (org.: FPA). 4/7, 10.000 m masculinos: 1.º, Augusto Cardoso (Boavista FC), 44.01,17; 2.º, Joaquim Pentieiro (CIPA), 44.54,88; 3.º, Jaime Santos (GD Lourocoop), 49.37,38 (7 participantes). 5000 m femininos, 1.ª, Susana Feitor (CN Rio Maior), 22.09,99; 2.ª, Sofia Avoila (CD Montijo), 23.46,18; 3.ª, Rita Silva (Sporting CP), 24.53,09 (9 participantes).

11 e 12 de Julho, Campeonatos de Portugal, Braga (org.: FPA). 11/7, 20.000 m masculinos: 1.º, José Urbano (SL Benfica), 1.25.17,5; 2.º, José Magalhães (AC Alfenense), 1.30.15,3; 3.º, Augusto Cardoso (Boavista FC), 1.37.07,2 (8 participantes). 10.000 m femininos: 1.ª, Susana Feitor (CN Rio Maior), 46.38,5; 2.ª, Isilda Gonçalves (CD Montijo), 47.44,5; 3.ª, Lígia Gonçalves (CD Montijo), 50.02,4 (4 participantes).

25 e 26 de Julho, Campeonatos Nacionais de Juniores, Estádio Nacional (org.: FPA). 25/7, 10.000 m masculinos: 1.º, Joaquim Pentieiro (CIPA), 43.49,8; 2.º, Bruno Ferreira (CCD Paivas), 48.10,9; 3.º, Sérgio Vieira (CN Rio Maior), 48.56,0 (6 participantes). 26/7, 5000 m femininos: 1.ª, Sofia Avoila (CD Montijo), 23.54,2; 2.ª, Isilda Jorge (CN Rio Maior), 25.22,0; 3.ª, Rita Silva (Sporting CP), 25.56,4 (6 participantes).

Principais eventos (entre outros)

11 de Janeiro, II Grande Prémio de Marcha de Grândola (org.: Clube Recreativo Grandolense), 98 participantes de 17 clubes (vários escalões). 20 km masculinos: 1.º, José Urbano (SL Benfica), 1.24.02; 2.º, Pedro Pinto (AA Coimbra), 1.29.15; 3.º, José Magalhães (AC Alfenense), 1.31.49 (6 participantes). 10 km femininos: 1.ª, Isilda Gonçalves (CD Montijo), 48.39; 2.ª, Lígia Gonçalves (CD Montijo), 50.30; 3.ª, Alexandra Lamas (UD Tocha), 51.59 (5 participantes).

2 de Fevereiro, Campeonatos de Madrid de Marcha e IV Memorial «Pedro Moreno Cuaresma», Madrid, Espanha. 20 km masculinos, com a participação de José Urbano (Portugal): prova interrompida aos 6 km e anulada devido a erro de medição do circuito, que tinha claramente menos que os 2000 metros regulamentados.

15 de Fevereiro, II Grande Prémio de Palmela, 72 participantes de 16 clubes (vários escalões). 5 km masculinos absolutos: 1.º, José Urbano (SL Benfica), 19.32; 2.º, Mário Contreiras (Sporting CP), 20.04; 3.º, Carlos Leitão (SC Banheirense), 21.13 (20 participantes). 3 km femininos absolutos: 1.ª, Sofia Avoila (CD Montijo), 13.40, 1.ª juvenil; 2.ª, Isilda Gonçalves (CD Montijo), 13.41; 3.ª, Lígia Gonçalves (CD Montijo), 14.50 (14 participantes). Classificação colectiva: 1.º, CA Galinheiras, 73 pontos; 2.º, GR Grandolense, 69; 3.º, CD Montijo, 68.

15 de Março, Provas de Observação FPA, Estádio Nacional (org.: FPA). 1 hora marcha pista masculinos: 1.º, José Urbano (SL Benfica), 14.647 metros (recorde nacional), 10.000 m, 40.57,9 (10 participantes); meia hora marcha femininos: 1.ª, Susana Feitor (CN Rio Maior), 6696 metros (recorde nacional absoluto), 5000 m, 22.20,7 (16 participantes).

5 de Abril, Critérium National des 50 kms Piste, Héricourt, França. 50.000 m masculinos: 1.º, Martial Fesselier (Sra Caen, França), 3.49.23,4 (...) Jorge Esteves (Portugal), desclassificado (19 participantes).

5 de Abril, Memorial «Guerau Garcia» de Marcha, Barcelona, Espanha (org.: Fundació Guerau García/Marathon Catalunya). 20 km masculinos: 1.º, Valenti Massana (Espanha), 1.23.46 (...) José Urbano (Portugal), desclassificado; José Pinto (Portugal), desistente.

26 de Abril, VII Grande Prémio da Reboleira (Junta de Freguesia da Reboleira/CPMA), 78 participantes de 17 clubes (vários escalões). 20 km masculinos: 1.º, José Pinto (CF «Os Belenenses»), 1.26.03; 2.º, Mário Contreiras (Sporting CP), 1.26.31; 3.º, Augusto Cardoso (Boavista FC), 1.29.11 (7 participantes). 5 km femininos absolutos: 1.ª, Susana Feitor (CN Rio Maior), 22.40, 1.ª júnior; 2.ª, Isilda Gonçalves (CD Montijo), 23.32; 3.ª, Lígia Gonçalves (CD Montijo), 24.52 (7 participantes). Classificação colectiva: 1.º, CD Montijo, 46 pontos; 2.º, SL Benfica, 29; 3.º, CA Galinheiras, 25.

1 de Maio, 3.º Grande Prémio da Baixa da Banheira (org.: SC Banheirense), 91 participantes de 19 clubes (vários escalões). 10 km absolutos masculinos: 1.º, José Urbano (SL Benfica), 40.50; 2.º, Mário Contreiras (Sporting CP), 42.52; 3.º, Juan Luis Ramilo (Celta de Vigo/Espanha), 43.40 (15 participantes). 5 km absolutos femininos: 1.ª, Susana Feitor (CN Rio Maior), 23.20, 1.ª júnior; 2.ª, Sofia Avoila (CD Montijo), 24.27, 1.ª juvenil; 3.ª, Lígia Gonçalves (CD Montijo), 25.16 (13 participantes). Classificação colectiva: 1.º, CN Rio Maior, 70 pontos; 2.º, CA Galinheiras, 70; 3.º, CD Montijo, 55.

1 de Maio, 13.ª Marcha Internacional Sesto San Giovanni, Itália. 10 km femininos: 1.ª, Ileana Salvador (Sisport Fiat Torino/Itália), 42.07 (...) 16.ª, Isilda Gonçalves (Portugal), 47.24 (38 participantes).

2 e 3 de Maio, DN Jovem - Final Nacional, Estádio Nacional (org.: FPA). 3000 m sub-16 masculinos: 1.º, Pedro Veríssimo (Santarém), 13.46,6; 2.º, Cláudio Pires (Faro), 14.44,6; 3.º, Sérgio Silva (Aveiro), 15.03,5 (20 participantes). 2000 m sub-16 femininos: 1.ª, Sandra Monteiro (Leiria), 9.35,4; 2.ª, Maria Salomé Rodrigues (Aveiro), 10.00,3; 3.ª, Vanda Ribeiros (Faro), 10.21,8 (16 participantes). 2000 m sub-14 masculinos: 1.º, António Lopes (Aveiro), 9.41,1; 2.º, Gonçalo Fonseca (Leiria), 10.01,9; 3.º, Acácio Diogo (Setúbal), 10.19,5 (18 participantes). 1000 m sub-14 femininos: 1.ª, Felicidade Rosa (Lisboa), 4.48,0; 2.ª, Clementina Costa (Aveiro), 4.55,0; 3.ª, Liliana Martins (Porto), 5.00,2 (18 participantes).

10 de Maio, 6.º G.P. Cidade de Vila Nova de Gaia / 1.º Urbicoope (org.: CPMA), 101 participantes. 10 km absolutos masculinos: 1.º, Augusto Cardoso (Boavista FC), 42.10,3; 2.º, José Pinto (CF «Os Belenenses»), 42.25,8; 3.º, Jorge Esteves (GS Loures), 44.51,9 (5 participantes). 5 km absolutos femininos: 1.ª Susana Feitor (CN Rio Maior), 22.16,7, 1.ª júnior; 2.ª, Lídia Santos (Boavista FC), 25.49,6; 3.º, Laurinda Ferreira (CP Mangualde), 26.15,5 (10 participantes).

10 de Maio, 23.º Grande Prémio de L'Hospitalet, Espanha. 20 km masculinos: 1.º, Mikhail Schennikov (Equipa Unificada/Rússia), 1.19.53 (...) José Urbano (Portugal), desclassificado. 5 km femininos: 1.ª, Kerry Junna-Saxby (Austrália), 20.43 (...) 15.ª, Isilda Gonçalves (Portugal), 23.30 (49 participantes).

15 e 16 de Maio, Softleland Grand Prix, Bergen, Noruega. 15/5, 50.000 m masculinos: 1.º, Carlos Mercenario (México), 3.48,05,9 (...) José Magalhães (Portugal), 4.04.46,0 (recorde nacional) (17 participantes). 10.000 m femininos: 1.ª, Beate Anders (Alemanha), 42.11,5 (...) 13.ª, Susana Feitor (Portugal), 45.45,5 (recorde nacional de pista) (30 participantes). 16/5, 5 km masculinos: 1.º, Stefan Johansson (Suécia), 21.40 (...) 6.º, José Magalhães (Portugal), 22.45 (33 participantes).

23 de Maio, VI Grande Prémio de Marcha «Cidade do Montijo» (org.: CMM, ASAS), 71 participantes de 17 clubes (vários escalões). 20 km masculinos absolutos: 1.º, José Urbano (SL Benfica), 1.21.41 recorde nacional; 2.º, Mário Contreiras (GD Quimigal), 1.31.46; 3.º, Pedro Pinto (AA Coimbra), 1.34.36 (9 participantes). 10 km absolutos femininos: 1.ª, Isilda Gonçalves (CD Montijo), 47.26; 2.ª, Lídia Santos (Boavista FC), 49.58; 3.ª, Rita Silva (Sporting CP), 51.30, 1.ª júnior (8 participantes). Classificação colectiva: 1.º, CD Montijo, 42 pontos; 2.º, CA Galinheiras, 21; 3.º, Vitória FC, 20.

6 de Junho, VI Grande Prémio de Marcha da Corunha, Espanha. 20 km masculinos: 1.º, Maurizio Damilano (Itália), 1.18.54 (...) 21.º, Augusto Cardoso (Portugal), 1.28.36; 22.º, Mário Contreiras (Portugal), 1.29.59 (...) 26.º, José Magalhães (Portugal), 1.33.50 (27 participantes). 10 km femininos: 1.ª, Madelein Svensson (Suécia), 43.28 (...) 15.ª, Isilda Gonçalves (Portugal), 46.43 (31 participantes). 5 km juniores femininos: 1.ª, María Vasco Gallardo (Espanha), 22.38 (...) 6.ª, Sofia Avoila (Portugal), 23.14 (29 participantes).

20 e 21 de Junho, Torneio Interassociações de Juvenis, Estádio de Alvalade (org.: FPA). 20/6, 5000 m masculinos: 1.º, Bruno Ferreira (Setúbal), 23.18,0; 2.º, Sérgio Marques (Porto), 24.34,3; 3.º, Hélder Neves (Aveiro), 25.06,7 (15 participantes). 21/6, 3000 m femininos: 1.ª, Susana Feitor (Santarém), 12.45,6; 2.ª, Sofia Avoila (Setúbal), 14.00,0; 3.ª, Sandra Oliveira (Viana do Castelo), 14.58,5 (12 participantes).

1 de Julho, Meeting de Schwechat, Viena, Áustria. 5000 m femininos: 1.ª, Yelena Arshintseva (Rússia), 21.18,39; 2.ª, Susana Feitor (Portugal), 21.30,91 (recorde nacional absoluto); 3.ª, Tatiana Ragozina (Rússia), 21.34,34.

3 de Julho, Meeting d’Athlétisme, Reims, França. 5000 m masculinos: 1.º, Robert Korzeniowski (Polónia), 18.17,22; 2.º, José Urbano (Portugal), 19.05,30; 3.º, Sandor Urbanik (Hungria), 19.32,54 (7 participantes).

30 de Agosto, Meeting de Pádua, Itália. 5000 m masculinos: 1.º, Maurizio Damilano (Itália), 18.44,86. 3000 m femininos, 1.ª, Ileana Salvador (Itália), 12.20,12 (...) 4.ª, Susana Feitor (Portugal), 12.48,88.

28 de Novembro, 8.º Grande Prémio das Galinheiras (org.: CA Galinheiras), 94 participantes. 10 km seniores masculinos: 1.º, Mário Contreiras (Sporting CP), 44.20,89; 2.º, Bartolomeu Konde (CF «Os Belenenses»), 50.15,89; 3.º, Pedro Marques (CCD Olivais Sul), 53.54,26 (4 participantes). 5 km absolutos femininos: 1.ª, Isilda Gonçalves (CD Montijo), 24.19,37; 2.ª, Lígia Gonçalves (CD Montijo), 25.46,33; 3.ª, Paula Silva (SL Benfica), 29.02,27 (7 participantes).

20 de Dezembro, Grande Prémio de Natal (org. AA Lisboa). 7,5 km absolutos masculinos: 1.º, José Urbano (SL Benfica), 32.14; 2.º, José Pinto (CF «Os Belenenses»), 33.21; 3.º, Carlos Graça (AC Alfenense), 33.27 (12 participantes). 5 km absolutos femininos: 1.ª, Sofia Avoila (CD Montijo), 25.01, 1.ª juvenil; 2.ª, Isilda Gonçalves (CD Montijo), 25.01; 3.ª, Lígia Gonçalves (CD Montijo), 26.11 (13 participantes). 2,5 km infantis e iniciados, vencedores: infantis, Leandro Rosa (CA Galinheiras), 18.06, e Ana Lúcia (CD Montijo), 16.57; iniciados, Nuno Dias (SL Benfica), 12.59, e Helena Simões (CA Galinheiras), 18.28.

ESTATÍSTICA 1992

Recordes nacionais vigentes no final de 1992

Masculinos
Infantis, 2000 m, António Lopes (CCR Válega), 9.41,1 (Lisboa-N, 2/5/1992)
Iniciados, 3000 m, Pedro Veríssimo (CN Rio Maior), 13.22,6 (Rio Maior, 7/3/1992)
Seniores, 5000 m pista coberta, José Urbano (SL Benfica), 18.52,25 (Braga, 22/2/1992)
Seniores, 1 hora, José Urbano (SL Benfica), 14.681 m (Lisboa-L, 7/6/1992)
Seniores, 20.000 m, José Urbano (SL Benfica), 1.22.28,0 (Lisboa-N, 7/6/1992)
Seniores, 20 km, José Urbano (SL Benfica), 1.21.41 (Montijo, 23/5/1992)
Seniores, 50.000 m, José Magalhães (AC Alfenense), 4.04.46,0 (Bergen, Noruega, 15/5/1992)

Femininos
Juvenis, 3000 m, Susana Feitor (CN Rio Maior), 12.32,34 (Viseu, 31/5/1992)
Juvenis, 3000 m pista coberta, Susana Feitor (CN Rio Maior), 12.42,1 (Braga, 29/2/1992)
Juvenis, 5000 m, Susana Feitor (CN Rio Maior), 21.30,91 (Viena, Áustria, 1/7/1992)
Juvenis, Meia hora pista, Susana Feitor (CN Rio Maior), 6696 metros (Lisboa-N, 15/3/1992)
Juvenis, 10000 m, Susana Feitor (CN Rio Maior), 45.45,5 (Bergen, Noruega, 15/5/1992)
Juvenis, 10 km estrada, Susana Feitor (CN Rio Maior), 45.24 (Rio Maior, 22/3/1992)
Juniores, 3000 m, Susana Feitor (CN Rio Maior), 12.32,34 (Viseu, 31/5/1992)
Juniores, 5000 m, Susana Feitor (CN Rio Maior), 21.30,91 (Viena, Áustria, 1/7/1992)
Juniores, meia hora pista, Susana Feitor (CN Rio Maior), 6696 metros (Lisboa-N, 15-3-1992)
Juniores, 10.000 m, Susana Feitor (CN Rio Maior), 45.45,5 (Bergen, Noruega, 15/5/1992)
Juniores, 10 km estrada, Susana Feitor (CN Rio Maior), 45.24 (Rio Maior, 22/3/1992)
Seniores, 3000 m, Susana Feitor (CN Rio Maior), 12.32,34 (Viseu, 31/5/1992)
Seniores, 5000 m, Susana Feitor (CN Rio Maior), 21.30,91 (Viena, Áustria, 1/7/1992)
Seniores, meia hora pista, Susana Feitor (CN Rio Maior), 6696 metros (Lisboa-N, 15/3/1992)
Seniores, 10. 000 m, Susana Feitor (CN Rio Maior), 45.45,5 (Bergen, Noruega, 15/5/1992)
Seniores, 10 km estrada, Susana Feitor (CN Rio Maior), 45.24 (Rio Maior, 22/3/1992)