sábado, 21 de maio de 2022

Laura García-Caro sagra-se campeã ibero-americana nos 10.000 metros marcha femininos

Laura García-Caro, Kimberly García e Ana Cabecinha, as três atletas nas posições
do pódio da marcha feminina em La Nucía. Imagens: YouTube FPAtletismo TV
Montagem: O Marchador

Foi uma prova bem disputada esta que se assistiu na manhã de hoje, na pista do Estádio de La Núcia com quatro atletas a destacarem-se logo nos primeiros quilómetros de prova com a espanhola Laura García-Caro e a portuguesa Ana Cabecinha tomando conta das operações e um pouco mais atrás as peruanas Kimberly García e Evelyn Inga, esta a ceder cedo, estando então encontradas as três do pódio.

A primeira a descolar do trio da frente seria Ana Cabecinha ficando a luta para o primeiro lugar do pódio a cargo de Kimberly e García-Caro. Quando faltavam pouco menos de duas voltas do final a espanhola atacou e venceu categoricamente com o tempo de 43:33.72, recorde pessoal. Kimberly García foi medalha de prata com o tempo de 43:41.50 e Ana Cabecinha medalha de bronze com 44:23.69, conquistando a sua quarta medalha nos Jogos Ibero-americanos após a medalha de prata de 2004 (Huelva), o ouro de 2006 (Ponce) e em 2010 (São Fernando).

As provas contaram com a atuação dos juízes internacionais de marcha Cándido Velez (Porto Rico), que foi o juiz-chefe, Dolores Rojas (Espanha), David Kidd (Irlanda), Mara Baleani (Itália), Martin Skarba (Eslováquia) e Joaquim Graça (Portugal) com as funções de Secretário a serem exercidas pelo espanhol Guillermo Sandino.

Classificação
10.000 m masculinos
1.ª, Laura Garcia-Caro, 1995 (ESP - Espanha), 43:33.72
2.ª, Kimberly Garcia, 1993 (PER - Perú), 43:41.50
3.ª, Ana Cabecinha, 1984 (POR - Portugal), 44:23.69
4.ª, Evelyn Inga, 1998 (PER - Perú), 45:01.87
5.ª, Karla Johanna Jaramillo, 1997 (ECU - Equador), 47:32.04
6.ª, Gabriela de Souza Muniz, 2002 (BRA - Brasil), 48:43.33
7.ª, Rachelle Marie de Orbeta, 2000 (PUR - Porto Rico), 48:58.51
Desistente: Viviane Santana Lyra, 1993 (BRA - Brasil).

Álvaro Martín dominador nos 10.000 metros marcha dos Ibero-americanos

A partida da marcha masculina em La Nucía, Álvaro Martín, o vencedor, Caoio Bonfim
e César Rodríguez nos segundo e terceiro lugares. Imagens: YouTube FPAtletismo TV
Montagem: O Marchador

Realizada esta manhã no Estádio Olímpico Camilo Cano em La Núcia, a prova masculina dos 10.000 metros marcha constituiu um antêntico recital para o marchador espanhol Álvaro Martín, campeão europeu dos 20 km marcha e segundo no Mundial de Seleções em Muscat, que desde o tiro de partida liderou a prova distanciando-se progressivamente do brasileiro Caio Bonfim.

Marchando a um ritmo seguro e regular, Martín passaria à metade da prova no tempo de 19:29.40 para concluir vitorioso no tempo de 39:24.20, a menos de um segundo apenas do seu recorde pessoal estabelecido no ano de 2016, em Gijón. Caio Bonfim foi segundo baixando igualmente da casa dos 40 minutos fazendo 39:57.59, enquanto o peruano César Rodríguez alcançaria a medalha de bronze com o tempo de 40:13.10, libertando-se nos últimos quilómetros do espanhol Iván López, quarto com 49:17.60.

Praticamente todos os atletas que competiram nos Ibero-americanos seguirão rumo à Corunha onde tomarão parte na muito aguardada competição de 20 km marcha do tradicional Grande Prémio dos Cantones, património do Atletismo Mundial.

Classificação
10.000 m masculinos
1.º, Alvaro Martin, 1994 (ESP - Espanha), 39:24.20
2.º, Caio Oliveira e Sena Bonfim, 1991 (BRA - Brasil), 39:57.59
3.º, Cesar Rodriguez, 1997 (PER - Peru), 40:13.10
4.º, Ivan Lopez, 1997 (ESP - Espanha), 40:17.60
5.º, Brian Daniel Pintado, 1995 (ECU - Equador), 41:16.60
6.º, Matheus Gabriel de Liz Correa, 1999 (BRA - Brasil), 41:20.76
7.º, Juan Manuel Cano, 1987 (ARG - Argentina), 41:32.71
Desistentes: Leonidas Romero, 1983 (HON - Honduras), Luis Henry Campos, 1995 (PER - Peru) e Cristian Andres Chocho, 1983 (ECU - Equador).

sexta-feira, 20 de maio de 2022

Marius Žiūkas e Olena Sobchuk vencem em Alytus, Lituânia

Marius Žiūkas (dorsal 228) e Olena Sobchuk vencedores dos 20 km em Alytus.
Fotos: Emmanuel Tardi e Grazina Gostautaite. Montagem: O Marchador

A 48.ª edição do Festival Internacional de Marcha Atlética de Alytus, na Lituânia, teve lugar esta manhã, com a abertura oficial do evento na principal praça da cidade, seguindo-se uma parada dos atletas mais novos, acompanhados de uma orquestra municipal militar, a percorrerem as ruas até à pista do complexo desportivo.

Com a presença do Presidente da Câmara Municipal de Alytus e de representantes de várias e importantes entidades, foram hasteadas as bandeiras da cidade, da Lituânia e da União Europeia pelos olímpicos lituanos Brigita Virbalyte, Marius Ziukas e Artur Mastianica, e ainda a bandeira da Ucrânia por atletas convidados deste país. Participaram igualmente atletas da Polónia, Letónia, Itália e Alemanha.

As principais provas do programa foram sobre 20 quilómetros, num trajecto diferente do habitual, com partida e chegada na pista, disputando-se para além dos troféus do Festival Internacional também os campeonatos nacionais lituanos.

Vitória na prova masculina para o atleta da casa, o olímpico Marius Ziukas, com 1.25.48 (10 km em 43:18), deixando em segundo lugar internacional da Letónia Arnis Rumbenieks, com 1.29.20, e logo a seguir o lituano, também olímpico, Artur Mastianica com 1.29.22. Foram 9 os participantes.

Na prova feminina a vitória coube à internacional ucraniana Olena Sobchuk com 1.30.59 (10 km, 44:48), marca que constitui mínimos para os Campeonatos do Mundo de Eugene, Oregon. Sobchuk superou a atleta da casa, Brigita Virbalyte, que foi segunda classificada a sagrar-se campeã da Lituânia, com 1.37.37, e Austeja Kavaliauskaite, também lituana, terceira classificada com um recorde pessoal de 1.37.51. Participaram 11 atletas.

Na pista decorreram as provas para os mais jovens, desde 1.000 metros para os mais pequenos até 10.000 metros para os sub-20, cujos resultados completos podem ser consultados aqui.

Colaboração: Kristina Saltanovic

Principais classificações
20 km masculinos
1.º, Marius Žiūkas, 1985 (LTU - Lituânia/Jonava- Vilnius), 1:25:48
2.º, Arnis Rumbenieks, 1988 (LAT - Letónia), 1:29:20
3.º, Artur Mastianica, 1992 (LTU - Lituânia/Švenčionys), 1:29:22
4.º, Raivo Saulgriezis, 1994 (LAT - Letónia), 1:31:30
5.º, Normunds Ivzans, 1971 (LAT - Letónia), 1:37:35
6.º, Dmytro Medvedyuk, 2000 (UKR - Ucrânia), 1:41:20
7.º, Taras Koretskyi, 2002 (UKR - Ucrânia), 1:45:05
Desclassificados: Deividas Balevičius, 1999 (LTU - Lituânia/Švenčionys) e Tadas Šuškevičius, 1985 (LTU - Lituânia/Vilnius).

20 km femininos
1.ª, Olena Sobchuk, 1995 (UKR - Ucrânia), 1:30:59
2.ª, Brigita Virbalytė Dimšienė, 1985 (LTU - Lituânia/Vilnius), 1:37:37
3.ª, Austėja Kavaliauskaitė, 2000 (LTU - Lituânia/Vilnius, Kėdainiai), 1:37:51
4.ª, Adrija Meškauskaitė, 2000 (LTU - Lituânia/Kaunas, Švenčionys), 1:41:54
5.ª, Agnieszka Ellward, 1989 (POL - Polónia), 1:42:34
6.ª, Alina Bilorus, 1993 (UKR - Ucrânia), 1:43:24
7.ª, Emilia Lehmeyer, 1997 (GER - Alemanha), 1:45:00
8.ª, Irina Koval, 1996 (UKR - Ucrânia), 1:50:27
9.ª, Miglė Damynaitė, 2002 (LTU - Lituânia/Prienai), 2:00:13
Desistentes: Monika Vaiciukevičiūtė, 1996 (LTU - Lituânia/Klaipėda) e Aušrinė Kuzmickaitė, 1998 (LTU - Lituânia/Kaunas, Švenčionys).

Iberoamericanos Alicante 2022 iniciam-se hoje em La Nucía

Foto: fb Álvaro Martín Uriol. Montagem O Marchador

De hoje a domingo (22) disputa-se em Alicante a 19.ª edição do Campeonato Iberoamericano de Atletismo, com a participação de atletas de 24 países e ainda uma delegação da Ucrânia, evento que contará com a participação de vários medalhados olímpicos, panamericanos e iberoamericanos.

O programa do evento contempla provas na pista principal do Estádio Olímpico «Camilo Cano» em La Nucía e a Meia Maratona em Torrevieja.

As provas de marcha sobre 10.000 metros estão agendadas para a manhã do segundo dia, sábado (21), em La Nucía, a masculina às 9:40 horas e a feminina às 10:45 horas (horas locais, menos 1 hora em Portugal continental).

A lista de inscritos na marcha atlética é a seguinte:

Masculinos
Juan Manuel Cano Ceres, 1987 (ARG - Argentina);
Matheus Gabriel de Liz Correa, 1999 (BRA - Brasil);
Caio Oliveira De Sena Bonfim, 1991 (BRA - Brasil);
Ronaldo Hernández Castellano, 1994 (CUB - Cuba);
Cristian Andres Chocho Leon, 1983 (ECU - Equador);
Brian Daniel Pintado Alvarez, 1995 (ECU - Equador);
Ivan Lopez Perez, 1997 (ESP - Espanha);
Alvaro Martin Uriol, 1994 (ESP - Espanha);
Leonidas Romero, 1983 (HON - Honduras);
Luis Henry Campos Cruz, 1995 (PER - Peru);
Cesar Rodriguez Diburga, 1997 (PER - Peru).

Femininos
Gabriela de Souza Muniz, 2002 (BRA - Brasil);
Viviane Santana Lyra, 1993 (BRA - Brasil);
Yuniabel Conteras Maqueira, 2000 (CUB - Cuba);
Karla Johanna Jaramillo Navarrete, 1997 (ECU - Equador);
Laura Garcia-Caro Lorenzo, 1995 (ESP - Espanha);
Kimberly Garcia Leon, 1993 (PER - Peru);
Evelyn Inga Huaynalaya, 1998 (PER - Peru);
Ana Cabecinha, 1984 (POR - Portugal);
Rachelle Marie De Orbeta Pérez, 2000 (PUR - Porto Rico).


quinta-feira, 19 de maio de 2022

Lilian Bittencourt e José Bagio destacam-se nos 20.000 metros marcha do Estadual de Santa Catarina (Brasil)

A marcha atlética no Estadual de Santa Catarina, com vitórias de Lilian Bittencourt
e José Bagio. Fotos: José Dutra, fb Jose Bagio e Cifesc. Montagem: O Marchador

Os Campeonatos Estaduais Loterias Caixa de Atletismo Adulto, que tiveram lugar no passado fim de semana, na cidade de Timbó, contemplaram no  competições de marcha na distância de 20.000 metros (pista), com estas a realizarem-se no dia 14.

Na prova feminina, a ainda júnior Lilian Bittencourt, de Balneário Camboriú, venceu destacadamente com o tempo de 1:48:20.60, classificando-se nos lugares imediatos duas atletas do Estado de Paraná que competiram extracompetição, Laryssa Frois, com 1:50:57.28, e a júnior Gabrielly Cristina dos Santos, com 1:54:43.54.

De notar que Lilian Bittencourt, que passou à metade da prova no tempo de 49.51.3 (melhor tempo sul-americano do ano na categoria e 14º registo mundial do ano), superou o seu recorde pessoal que era de 50:52.17, obtido em abril deste ano em São Paulo, e Gabrielly dos Santos, passando os 10.000 metros em 50:38.8, igualmente melhorou o seu recorde pessoal por larga margem (antes, na pista de Cascavel, em março deste ano, fizera 53:07.80), as duas atingindo os mínimos (50:40.00) para os Mundiais Sub-20 de Cali, na Colômbia.

Na prova masculina, o veterano e olímpico (Pequim 2008) José Bagio (FME Timbó) venceu com a marca de 1:27.35.84, ele que, a ropósito da aproximação dos Campeonatos Ibero-Americanos, conquistou três medalhas no evento, com ouro em 2008, em Iquique, no Chile, prata em 2004, em Huelva, em Espanha, e bronze em 2016, no Rio de Janeiro, no Brasil. Paulo Ribeiro (AABLU) com 1:37.03.25, e Otávio Vicente (Corville) com 1:41.52.79, conquistaram as medalhas de prata e bronze, respetivamente.

Classificações
20.000 m femininos
1.ª, Lilian Dumes Bittencourt, 2003 (SC - Balneário Camboriú), 1.48.20.60
2.ª, Emily Pistor , 1994 (SC - UCA), 1.55.22.05
3.ª, Karlana Malaghini Pavinato, 2003 (SC - Balneário Camboriú), 2.01.56.03
Extra: Gabrielly Cristina dos Santos, 2004 (PR - FECAM/ASSERCAM), 1.54.43.54 e Laryssa Fernanda Frois, 2000 (PR - Curitiba SMELJ), 1.50.57.28.
Desistente: Nair da Rosa, 1980 (SC - AABLU).

20.000 m masculinos
1.º, Jose Alessandro Bernardo Bagio, 1981 (SC - FME TIMBO), 1.27.35.84
2.º, Paulo Henrique Ribeiro, 2001 (SC - AABLU), 1.37.03.25
3.º, Otavio Henrique Vicente, 2004 (SC - Corville), 1.41.52.79
4.º, Micael Reichert Fernandes, 2004 (SC - AABLU), 1.47.52.25
5.º, Erison Gerson dos Santos da Silva, 1999 (PR - Curitiba SMELJ), 1.32.15.77
Desistentes: Bruno Lorenzett Nascimento, 2002 (SC - AABLU), Ivan Carlos Gutz, 1977 (Avulso), Jairo Vieira , 1978 (SC - UCA), Heron Rodrigues Miranda, 2003 (SC - Balneário Camboriú) e Luiz Felipe dos Santos, 1983 (SC - Balneário Camboriú).

Alytus vai receber a 48ª edição do Festival Internacional de Marcha

O cartaz da 48.ª edição do evento. Montagem: O Marchador

É já esta sexta-feira (20) que a cidade de Alytus, que fica a cerca de 100 quilómetros de Vilnius, a capital e que em 2019 mereceu a honra de acolher a Taça da Europa de Marcha, vai receber mais uma edição (a quadragésima oitava) do Festival Internacional de Marcha Atlética (a primeira teve lugar 1975), desta vez da parte da manhã com a realização das principais provas do programa, os 20 km masculinos, às 11:00 horas locais, incluindo os 10 km Sub-20 masculinos, e cinco minutos depois com o tiro de partida a ser dado para a prova dos 20 km femininos e 10 km Sub-20 femininos.

Ainda no período da parte da manhã estão previstas competições para os escalões mais jovens e para os veteranos em distâncias que variam entre os mil e os cinco mil metros, usualmente contando com uma participação elevada de atletas, num ambiente muito festivo e em que o principal rosto do evento é o nosso bem conhecido Kastytis Pavilionis, que em 1974 lançou a primeira edição com sucesso e longevidade quando se aproxima a passos largos a comemoração do quinquagésimo aniversário da prova.

Os juízes internacionais de marcha a atuar no prestigiado evento europeu são o polaco Janusz Krynicki (juiz-chefe), o francês Emmanuel Tardi, o dinamarquês Bent Bundgaard e um outro ainda que substituirá o português José Ganso, impedido de se deslocar, sendo as funções de Assistente do Juiz-chefe asseguradas pelo nosso apreciado amigo Alfonsas Buliuolis, que conhecemos há vários anos, pelo menos desde Kaunas, em 2005, quando aí colaborou na segunda edição dos Europeus Sub-20. A certificação do circuito de um quilómetro esteve a cargo do medidor internacional de grau A da WA-AIMS, Tadeusz Dziekonski.

Os recordes da competição estão na posse de Yevgeniy Misyulya, da Bielorússia (20 km masculinos), com 1:20:33 (1995) e de Neringa Aidietyté, da Lituânia (20 km femininos), com 1:29:01 (2014), esperando-se a presença de atletas de 10 países.

Pode consultar a lista geral de inscritos nas várias provas do programa, aqui.

quarta-feira, 18 de maio de 2022

Luso recebeu os Nacionais Individuais ANDDI 2022 (resultados)

Alguns dos participantes nas provas de marcha, Joana Campos, Afonso Roll,
Francisco Gouveia, João Oliveira e João Silva. Fotos: fb Sandra Campos, Escola
do Movimento (arq.), Clube Desportivo Os Especiais e APPACDM de Santarém.
Montagem: O Marchador

Os Campeonatos Nacionais Individuais de Atletismo ANDDI (Associação Nacional de Desporto para Desenvolvimento Intelectual) realizaram-se nos passados dias 14 e 15 de maio, na pista do Centro de Estágios do Luso, Mealhada, evento que integrou a 3.ª edição dos Jogos de Portugal ANDDI - Anadia 2022.

As provas de marcha do programa dos campeonatos de atletismo integraram a jornada de sábado (14/5), apurando como campeões de pista ao ar livre, nos 3.000 metros femininos, Joana Campos, da AC Póvoa de Varzim, com 18:29.90, e nos 5.000 metros masculinos, Afonso Roll, da Escola do Movimento, com 32:59.13.

Outros vencedores foram, na categoria Síndrome Down, Daniela Tavares, do CD Santa Clara, nos 800 metros e 1.500 metros (7:17.74 e 14:44.88), e Francisco Gouveia, do CD Os Especiais, nos 1.500 metros (10:57.84), no Desenvolvimento, João Oliveira, da APPACDM de Santarém, nos 1.500 metros Desenvolvimento, e na Atividade Adaptada, Tiago Pizarro, da Escola do Movimento, nos 100 metros (58.89).

Classificações
100 m marcha masculinos - ATAD
1.º, Tiago Pizarro, 2008 (ESCMOV), 58.89

1.500 m marcha masculinos - DES/SDown
1.º, João Oliveira, 1984 (APPACDM), 10:20.82 - 1.º, DES
2.º, João Silva, 1998 (APPACDM), 10:52.08 - 2.º, DES
3.º, Francisco Gouveia, 1981 (CDESP), 10:57.84 - 1.º, Sdown

1.500 m marcha femininos - SDown
1.ª, Daniela Tavares, 1992 (CDSC), 14:44.88

3.000 m marcha femininos - Seniores
1.ª, Joana Campos, 2001 (ACPV), 18:29.90
2.ª, Melissa Cardoso, 2000 (CDACM), 20:47.40

800 m marcha femininos - SDown
1.ª, Daniela Tavares, 1992 (CDSC), 7:17.74

5.000 m marcha masculinos - Seniores
1.º, Afonso Roll, 1992 (ESCMOV), 32:59.13
2.º, Alexandre Rodrigues, 1994 (FSC-SM), 33:32.25

Quentin Rew e Kelly Ruddick vencem Campeonatos da Oceânia de 35 km marcha

Partida dos campeonatos de 35 km em Melbourne, os neozelandeses Quentin Rew
e Laura Langley e os australianos Kelly Ruddick e Rhydian Cowley.
Fotos: JAZZ DEOL Photography (IG @quads.of.fury)/VRWC
Montagem: O Marchador

Disputados pela primeira vez sobre 35 km marcha, os Campeonatos da Oceânia da distância disputaram-se no passado domingo (15/5) no Fawkner Park, Melbourne, no estado australiano de Victoria, apurando como campeões absolutos o neozelandês Quentin Rew e a australiana Kelly Ruddick.

Nos masculinos (4 participantes), Rew, com a marca de 2:32:58, não só conseguiu a qualificação direta (mínimo 2:33:00) para os próximos mundiais de Eugene, Oregon, como bateu o recorde da Nova Zelândia antes em poder de Craig Barrett desde 1998 (2:37:35). O título australiano ficou na posse de Rhydian Cowley, de Victoria, o segundo classificado, com 2:37:57, com mais dois atletas a concluírem a distância, Carl Gibbons (NSW), com 2:43:04, e Kim Mottrom (SA), com 3:03:17.

Nos femininos (3 participantes), vitória nos campeonatos da australiana Kelly Ruddick, aos 49 anos de idade, de Victoria, a registar 3:00:04, com a segunda posição a pertencer à neozelandesa Laura Langley, com 3:15:58.

Nas provas extra-campeonato, destaque-se a prova feminina dos 20 km, vencida por Jemima Montag, com 1:32:32, à frente da vice-campeã olímpica Sandra Lorena Arenas que obteve 1:34:27, e da jovem Olivia Sandery, de 19 anos de idade, em estreia na distância com 1:34:35. Na prova masculina sobre igual distância, o primeiro lugar pertenceu a Tim Fraser, com 1:26:52, recorde pessoal.

Resultados completos, aqui.

Fonte: Athletics Australia

terça-feira, 17 de maio de 2022

EMACNS Grosseto 2022: 30 km masculinos M35+ (resultados)

Os 30 km marcha masculinos EMACNS Grosseto 2022.
Imagens: LOC Grosseto 2022. Montagem: O Marchador

E para finalizar os Campeonatos da Europa de Veteranos de Estrada (EMACNS) em Grosseto no que à marcha atlética diz respeito, os 30 km masculinos realizados no domingo passado, 15/5 (partida conjunta com os 20 km femininos), prova que contou com 58 atletas de 12 países, sendo que concluíram 40 (13 desclassificados e 5 desistentes).

A principal menção vai para o letão Normunds Ivzans, da categoria M50, o primeiro absoluto nos 30 km que concluiu bem destacado com 2:46:11. Os lugares imediatos foram ocupados por atletas da mesma faixa etária, o espanhol Jose Aparicio Montagud, com 2:49:16, e o italiano Giuseppe Saponaro, 2:51:05.

Nos escalões M60+ referência para o espanhol Jose Munoz Belmonte, vencedor M60 com 3:03:52 e 12.º classificado da geral.

Eis os campeões da Europa de 30 km masculinos:

M35: Cedric Bouele, 1985 (SUI - Suíça), 3:32:07
M40: Victor Castro Mateo, 1980 (ESP - Espanha), 2:54:27
M45: Marco Giachetti, 1974 (ITA - Itália), 2:52:34
M50: Normunds Ivzans, 1971 (LAT - Letónia), 2:46:11
M55: Juan De Lucas Pasalodo, 1966 (ESP - Espanha), 2:56:24
M60: Jose Munoz Belmonte, 1961 (ESP - Espanha), 3:03:52
M65: Edoardo Alfieri, 1956 (ITA - Itália), 3:15:04
M70: Stefan Lehmann, 1951 (GER - Alemanha), 3:32:33
M75: John Mcmullin, 1946 (IRL - Irlanda), 3:42:25

O maior número de medalhas individuais nesta prova foi conseguido pela formação da Alemanha, com 7 (1 ouro, 3 de prata 3 de bronze). Com 6 medalhas cada, ficou a Espanha (3;1;2) e a Itália (2;3;1).

Classificação individual
30 km masculinos - Geral M35+
1.º, Normunds Ivzans, 1971 (LAT - Letónia), 2:46:11 - 1.º, M50
2.º, Jose Aparicio Montagud, 1969 (ESP - Espanha), 2:49:16 - 2.º, M50
3.º, Giuseppe Saponaro, 1969 (ITA - Itália), 2:51:05 - 3.º, M50
4.º, Marco Giachetti, 1974 (ITA - Itália), 2:52:34 - 1.º, M45
5.º, Victor Castro Mateo, 1980 (ESP - Espanha), 2:54:27 - 1.º, M40
6.º, Juan De Lucas Pasalodo, 1966 (ESP - Espanha), 2:56:24 - 1.º, M55
7.º, Vincenzo Pontrandolfo, 1978 (ITA - Itália), 2:56:44 - 2.º, M40
8.º, Samuele Calo, 1976 (ITA - Itália), 2:58:11 - 2.º, M45
9.º, Steffen Meyer, 1966 (GER - Alemanha), 2:58:43 - 2.º, M55
10.º, Denis Franke, 1969 (GER - Alemanha), 2:59:59 - 4.º, M50
11.º, Josef Smola, 1964 (CZE - República Checa), 3:02:06 - 3.º, M55
12.º, Jose Munoz Belmonte, 1961 (ESP - Espanha), 3:03:52 - 1.º, M60
13.º, Antonio Camano-Mesa, 1980 (ESP - Espanha), 3:04:38 - 3.º, M40
14.º, Fabio Aina, 1966 (ITA - Itália), 3:05:15 - 4.º, M55
15.º, Ross Alexander, 1980 (IRL - Irlanda), 3:05:56 - 4.º, M40
16.º, Gianmauro Pirino, 1972 (ITA - Itália), 3:06:27 - 5.º, M50
17.º, Gabriele Caldarelli, 1959 (ITA - Itália), 3:09:33 - 2.º, M60
18.º, Jose Rodriguez Jimenez, 1975 (ESP - Espanha), 3:10:44 - 3.º, M45
19.º, Giancarlo Giuliano, 1966 (ITA - Itália), 3:12:31 - 5.º, M55
20.º, Gennaro De Lello, 1979 (ITA - Itália), 3:14:38 - 5.º, M40
21.º, Edoardo Alfieri, 1956 (ITA - Itália), 3:15:04 - 1.º, M65
22.º, Miroslaw Luniewski, 1957 (POL - Polónia), 3:16:11 - 2.º, M65
23.º, David Cervello, 1977 (ESP - Espanha), 3:16:21 - 4.º, M45
24.º, Hartmut Bretag, 1960 (GER - Alemanha), 3:20:20 - 3.º, M60
25.º, Joachim Maier, 1970 (GER - Alemanha), 3:23:30 - 6.º, M50
26.º, John Laste, 1962 (IRL - Irlanda), 3:27:50 - 6.º, M55
27.º, Marco Mura, 1976 (ITA - Itália), 3:31:23 - 5.º, M45
28.º, Cedric Bouele, 1985 (SUI - Suíça), 3:32:07 - 1.º, M35
29.º, Stefan Lehmann, 1951 (GER - Alemanha), 3:32:33 - 1.º, M70
30.º, Gunter Evertz, 1957 (GER - Alemanha), 3:34:46 - 3.º, M65
31.º, Renzo Mengoni, 1966 (ITA - Itália), 3:38:33 - 7.º, M55
32.º, Reinhard Kruger, 1960 (GER - Alemanha), 3:39:45 - 4.º, M60
33.º, John Mcmullin, 1946 (IRL - Irlanda), 3:42:25 - 1.º, M75
34.º, Bernd Ocker Hoelters, 1946 (GER - Alemanha), 3:42:53 - 2.º, M75
35.º, Ian Torode, 1956 (GBR - Grã-Bretanha e Irlanda do Norte), 3:45:53 - 4.º, M65
36.º, Horst Kiepert, 1951 (GER - Alemanha), 3:47:12 - 2.º, M70
37.º, Nicola Ferrante, 1957 (ITA - Itália), 3:53:58 - 5.º, M60
38.º, Luigi Spaggiari, 1957 (ITA - Itália), 4:33:15 - 6.º, M60
39.º, Otmar Seul, 1943 (GER - Alemanha), 4:35:15 - 3.º, M75
Extra: Michel Didi Akamse Mbah, 1978 (CMR - Camarões), 2:51:58 - M40.
Desclassificados: Miguel Carvajal Ortega, 1965 (ESP - Espanha) - M55, Franco Venturi Degli Esposti, 1957 (ITA - Itália) - M65, Ian Richards, 1948 (GBR - Grã-Bretanha e Irlanda do Norte) - M70, Rene Colombo, 1950 (LUX - Luxemburgo) - M70, Johann Siegele, 1948 (AUT - Áustria) - M70, Stanislav Marek, 1942 (CZE - República Checa) - M75, Gianni Siragusa, 1968 (ITA - Itália) - M50, Ferdinando Rutolo, 1947 (ITA - Itália) - M75, Reinhard Langhammer, 1952 (GER - Alemanha) - M70, Mauro Manfrini, 1955 (ITA - Itália) - M65, Walter Brandenburg, 1946 (SUI - Suíça) - M75, Vitalijs Deksnis, 1958 (LAT - Letónia) - M60 e Ino Abbo, 1947 (ITA - Itália) - M70.
Desistentes: Alexis Jordana, 1937 (FRA - França) - M85, Corrado Carbonaro, 1947 (ITA - Itália) - M70, Biagio Giannone, 1943 (ITA - Itália) - M75, Jurgen Albrecht, 1953 (GER - Alemanha) - M65 e Antonio Lopetuso, 1958 (ITA - Itália) - M60.

EMACNS Grosseto 2022: 20 km femininos W35+ (resultados)

Os 20 km marcha femininos no EMACNS Grosseto 2022.
Imagens: LOC Grosseto 2022. Montagem: O Marchador

Em Grosseto, Itália, 24 atletas de 7 países alinharam nos 20 km marcha femininos disputados no domingo (15/5), prova a contar para os Campeonatos da Europa de Veteranos de Estrada (EMACNS).

Uma vez mais, a italiana Rosetta La Delfa, da categoria W40, foi a melhor absoluta, cortando a meta em 1:51:53. Tal como já tinha sucedido na prova de 10 km de sexta-feira, foi seguida pela compatriota Valeria Pedetti, W45, com 1:54:27, e pela alemã Bianca Schenker, também W45, com 1:55:29.

Nas categorias mais idosas, referência para a 10.ª da geral, Cath Duhig, 1.ª, W65, a competir pela Espanha, com 2:14:38.

As campeãs da Europa sobre 20 km são as seguintes:

W40: Rosetta La Delfa, 1977 (ITA - Itália), 1:51:53
W45: Valeria Pedetti, 1973 (ITA - Itália), 1:54:27
W50: Katali Bodorkos-Horvath, 1967 (HUN - Hungria), 1:58:19
W55: Patrizia Furegon, 1965 (ITA - Itália), 2:15:34
W60: Christa Triebl, 1960 (AUT - Áustria), 2:41:45
W65: Cath Duhig, 1954 (ESP - Espanha), 2:14:38
W70: Claudine Anxionnat, 1951 (FRA - França), 2:32:40
W75: Ursula Klink, 1944 (GER - Alemanha), 2:30:44

Na soma das medalhas individuais, a Itália obteve 7 (3 de ouro, 3 de prata e 1 de bronze), a Áustria 3 (1;1;1), e a Alemanha 2 (1;1;0).

Classificação individual
20 km femininos - Geral W35+
1.ª, Rosetta La Delfa, 1977 (ITA - Itália), 1:51:53 - 1.º, W40
2.ª, Valeria Pedetti, 1973 (ITA - Itália), 1:54:27 - 1.º, W45
3.ª, Bianca Schenker, 1974 (GER - Alemanha), 1:55:29 - 2.º, W45
4.ª, Katali Bodorkos-Horvath, 1967 (HUN - Hungria), 1:58:19 - 1.º, W50
5.ª, Cinca Elena, 1970 (ITA - Itália), 1:59:45 - 2.º, W50
6.ª, Anna Savarese, 1971 (ITA - Itália), 2:04:35 - 3.º, W50
7.ª, Francesca Frulla, 1968 (ITA - Itália), 2:06:50 - 4.º, W50
8.ª, Lenka Borovickova, 1973 (CZE - República Checa), 2:10:53 - 3.º, W45
9.ª, Melania Aurizzi, 1970 (ITA - Itália), 2:13:22 - 5.º, W50
10.ª, Cath Duhig, 1954 (ESP - Espanha), 2:14:38 - 1.º, W65
11.ª, Alessandra Canuti, 1979 (ITA - Itália), 2:15:02 - 2.º, W40
12.ª, Patrizia Furegon, 1965 (ITA - Itália), 2:15:34 - 1.º, W55
13.ª, Silvia Bicocchi, 1973 (ITA - Itália), 2:19:01 - 4.º, W45
14.ª, Maria Antonia Pais, 1964 (ITA - Itália), 2:20:55 - 2.º, W55
15.ª, Gabriele Schwarz, 1965 (AUT - Áustria), 2:30:22 - 3.º, W55
16.ª, Ursula Klink, 1944 (GER - Alemanha), 2:30:44 - 1.º, W75
17.ª, Claudine Anxionnat, 1951 (FRA - França), 2:32:40 - 1.º, W70
18.ª, Brigitte Zeidler, 1964 (GER - Alemanha), 2:33:03 - 4.º, W55
19.ª, Anna Maria Famea, 1966 (ITA - Itália), 2:37:53 - 5.º, W55
20.ª, Christa Triebl, 1960 (AUT - Áustria), 2:41:45 - 1.º, W60
21.ª, Dorothea Grolig, 1951 (AUT - Áustria), 2:44:14 - 2.º, W70
Desclassificadas: Diana Obermeyer, 1980 (GER - Alemanha) - W40, Daniela Ricciutelli, 1956 (ITA - Itália) - W65 e Giuseppina Comba, 1957 (ITA - Itália) - W65.

segunda-feira, 16 de maio de 2022

Shenjie Qieyang foi a melhor no Grande Prémio Internacional de Madrid

A marcha feminina em Madrid vencida por Shenjie Qieyang, seguida de
Kimberly Garcia León e Laura García-Caro. Imagens: LaLigaSportsTV
Montagem: O Marchador

A chinesa Shenjie Qieyang, campeã olímpica em 2012, venceu categoricamente a edição inaugural do Grande Premio Madrid Marcha LaLiga, prova integrada no Circuito Mundial da World Athletics com a categoria de ouro, ao percorrer os 10 quilómetros no tempo de 43:07, evidenciando um excelente estilo e um ritmo demolidor a que as demais concorrentes não puderam acompanhar.

A peruana Kimberly García, depois da sua vitória em Rio Maior, foi segunda com o tempo de 43:37, não muito longe do seu recorde pessoal, seguida da espanhola Laura García Caro, residente na capital madrilena, com um recorde pessoal de 43:50. A única atleta portuguesa presente nas provas internacionais de 10 km, Ana Cabecinha, treinada por Paulo Murta, esteve em muito bom plano ao classificar-se na quinta posição com o tempo de 44:35, imediatamente a seguir à jovem revelação chinesa, Haihing Ji, quarta com 44:27.

A competição contou com a atuação de seis juízes (além do juiz-chefe), de diferentes países europeus, todos dos painéis internacionais de marcha, incluindo o português Joaquim Graça que no dia anterior atuara nos Campeonatos da Polónia de 35 km marcha.

Daqui a cerca de duas semanas outra grande competição mundial de marcha em perspectiva, o Grande Prémio dos Cantones, na Corunha.

Classificação
10 km femininos
1.ª, Shijie Qieyang (China), 43:07
2.ª, Kimberly Garcia León (Peru), 43:37
3.ª, Laura García-Caro (Espanha), 43:50
4.ª, Halying Li (China), 44:27
5.ª, Ana Cabecinha (Portugal), 44:35
6.ª, Magaly Bonilla (Equador), 44:58
7.ª, Maocuo Li (China), 45:03
8.ª, Johana Ordoñez (Equador), 45:20
9.ª, Bawna Jat (Índia), 45:20
10.ª, Priyanka (Índia), 45:47
(...)

Referência final para os vencedores das provas de 5 km dos mais jovens (masculinos e femininos), nos sub-20,  Óscar Martínez Rodríguez (21:05) e Eva Rico Rufas (23:36), e nos sub-18, Daniel Morilla García (21:35) e Júlia Suarez Pizà (24:03). Na participação portuguesa, Guilherme Rodrigues foi 3.º sub-20 (21:31), Carolina Dias, 4.ª sub-18 (25:28) e ainda neste escalão, Matilde Sousa, 7.ª (30:14).

Classificações completas, aqui.

Perseus Karlström vence os 10 km marcha masculinos de Madrid

O vencedor Perseus Karlström, no pódio com Diego García e Caio Bonfim,
e a homenagem a García Bragado. Imagens: LaLigaSportsTV
Montagem: O Marchador

O sueco Perseus Karlström foi o grande vencedor da prova masculina dos 10 km marcha que hoje teve lugar em Madrid, na emblemática Gran Vía, ao lançar o derradeiro ataque na última das dez voltas ao circuito no tempo de 38:42, o que além de constituir um novo recorde pessoal para o atleta, é também a melhor marca mundial do ano. Após a prova manifestou-se muito agradado com o cenário escolhido para a prova afirmando-se em condições para competir nos 20 e 35 km dos Mundiais de Oregon.

Na primeira edição do Grande Prémio Madrid Marcha La Liga, Diego García Carrera, o grande mentor e impulsionador do evento, ganhava a medalha de prata ao obter o tempo de 38:49, recorde pessoal, chegando à linha de meta envergando a bandeira espanhola e comungando da sua felicidade com José António Quintana, seu treinador. Mas o que ficará realmente na memória de quantos observaram este magnífico acontecimento foi esta visão de futuro para a marcha mostrando-a mais visível aos olhos do grande público madrileno em pleno coração da capital, e isto, graças à brilhante ideia do medalhado de prata nos últimos Europeus, nos 20 km de Berlim e finalista dos Jogos de Tóquio.

O brasileiro Caio Bonfim, a atravessar um excelente momento, concluiu a prova na terceira posição do pódio, igualmente com um recorde pessoal de 39:13, enquanto o equatoriano Daniel Pintado, um dos que integrou o quarteto de marchadores em luta para a vitória até aos derradeiros quilómetros de prova, acabaria por ser penalizado em um minuto após sofrer três faltas técnicas.

Momentos antes da partida das provas de 10 km, realizada simultaneamente com homens e mulheres, uma das grandes legendas de todos os tempos do atletismo espanhol e mundial, Jesus Ángel García Bragado, que esteve competindo em 8 Jogos Olímpicos, foi homenageado recebendo a rara distinção conferida pelo diário desportivo madrileno A Marca com a entrega da distinção 'Marca Leyenda'.

Classificação
10 km masculinos
1.º, Perseus Karlstrom (Suécia), 38:42
2.º, Diego García Carrera (Espanha), 38:49
3.º, Caio Bonfim (Brasil), 39:13
4.º, Jun Zhang (China), 39:18
5.º, Francesco Fortunato (Itália), 39:21
6.º, Paul McGrath (Espanha), 39:30
7.º, César Augusto Rodríguez (Peru), 39:41
8.º, Sandeep Kumar (Índia), 39:44
9.º, Christopher Linke (Alemanha), 39:58
10.º, Álvaro López (Espanha), 40:00
(...)

Classificações completas, aqui.

Katarzyna Zdzieblo e Artur Brzozowski sagraram-se campeões da Polónia nos 35 km marcha

Vencedores dos campeonatos polacos de 35 km, Katarzyna Zdziebło e Artur Brzozowski,
e respetivos pódios. Fotos: Politechnika Opolska e Gazeta Biłgorajska
Montagem: O Marchador

Disputados este domingo (14) no parque verde da cidade de Opole, tiveram lugar os primeiros campeonatos polacos, na distância de 35 km marcha, com não muitos participantes (a concorrência de eventos neste período pela Europa fora é muita), mas com alguns resultados interessantes.

Desde já, a começar pela prova feminina onde a vencedora, Katarzyna Zdzieblo, bateu o seu recorde pessoal e da Polónia na distância realizando o tempo de 2:49:37.

Zdzieblo, que confirmou os mínimos para os Mundiais de Oregon (2:51:48 em Muscat), melhorou a sua anterior melhor marca que possuía desde 24 de outubro de 2021 quando realizou 2:50:54 na cidade ucraniana de Ivano-Frankivsk, classificando-se à frente de Agnieszka Ellward, com 3:13:39, bem distante agora do seu recorde pessoal de 3:05:10, em Dublin, no ano passado, mas que ainda assim lhe dará para acrescentar alguns pontos ao ranking mundial onde é a terceira polaca (49ª) com ambições para os Mundiais de julho próximo.

Na prova masculina o vencedor foi Artur Brzozowski que completou a prova no tempo de 2:36:22 chegando ainda a dar a sensação de poder realizar os mínimos (2:35:30) para os Europeus de Munique, mas ficou lá perto. Quem terminou na segunda posição foi o grande campeão olímpico surpresa de Tóquio, Dawid Tomala, que a contas com problemas físicos num joelho lutou para chegar ao fim na segunda posição, obtendo o tempo de 2:37:22 e com a medalha de bronze a ser atribuída a Rafał Augustyn no tempo de 2:39:27, que muito jeito lhe pode vir a valer, ele que antes desta prova estava na posição 59 (em 60) dos que se apuram para Oregon.

Num evento que integrou a série bronze da World Athletics Race Walking Tour e que contou com a presença sempre estimulante e gratificante do tetracampeão olímpico Robert Korzeniowski, há a registar a atuação de nada menos de dois juízes internacionais portugueses – Joaquim Graça e Vasco Guedes, a par da turca Gaye Bekler, o que é mais um sinal positivo do prestígio da arbitragem portuguesa além-fronteiras, rara ou quase nunca realçado e que só na presente época, falando apenas no setor da marcha atlética, já vai em 10 atuações concretizadas e outras 7 agendadas para os próximos meses nos mais diferentes cantos do mundo.

Classificações
35 km femininos
1.ª, Katarzyna Zdziebło, 1996 (LKS Stal Mielec), 2:49:37
2.ª, Agnieszka Ellward, 1989 (WKS Flota Gdynia), 3:13:39

35 km masculinos
1.º, Artur Brzozowski, 1985 (KKL Stal Stalowa Wola), 2:36:22
2.º, Dawid Tomala, 1989 (AZS KU Politechniki Opolski), 2:37:22
3.º, Rafał Augustyn, 1984 (LKS Stal Mielec), 2:39:26
4.º, Rafał Sikora, 1987 (KS AZS AWF Kraków), 2:42:46
5.º, Maher Ben Hlima, 1989 (KS Ultra Team Łódź), 2:55:36
6.º, Michał Baranowski, 1998 (MKS Unia Hrubieszów), 3:11:10
7.º, Krzysztof Czerski, 1980 (KS Ultra Team Łódź), 3:19:38
8.º, Olaf Rynkiewicz, 2002 (KL Lechia Gdańsk), 3:32:57
Desclassificados: Jakub Jelonek, 1985 (CKS Budowlani Częstochowa) e Mateusz Nowak, 1996 (UKS Skoczek Skoki).
Desistentes: Lukas Gdula, 1991 (CZE - Rep. Checa) e Vit Hlavac, 1997 (CZE - Rep. Checa).

domingo, 15 de maio de 2022

Marcha Atlética de alto nível mundial esta segunda-feira em Madrid

A apresentação do evento e três dos principais protagonistas, Diego García,
Massimo Stano e Shengie Qieyang. Imagens: LOC Madrid Marcha
Montagem: O Marchador

A Gran Vía, local emblemático da cidade de Madrid, vai ser o foco das atenções no próximo dia 16 do corrente mês (uma segunda-feira, feriado na capital espanhola que comemora no domingo as Festas de San Isidro, padroeiro da cidade) com a realização da primeira edição do Grande Prémio Internacional Madrid Marcha LaLiga, que muito promete, enquadrada que está no circuito mundial da especialidade na categoria mais elevada da mesma – a de ouro.

Vai ser uma montra privilegiada para a promoção da marcha atlética na capital madrilena e um justo reconhecimento a uma especialidade do atletismo espanhol que tem dado ao longo das última quatro décadas muitas alegrias ao atletismo espanhol.

E aqui surge em destaque o nome de um grande atleta, a Alma Mater do evento, que a pensou há algum tempo e a materializou, nada menos do que o vice-campeão europeu dos 20 km marcha – Diego García Carrera, que além de ser um dos participantes de luxo é o diretor-técnico da prova que terá na empresa G-20 Publisport o trabalho relacionado com a componente organizativa. As nossas mais calorosas felicitações ao Diego!

Com 83 atletas inscritos na competição, praticamente em número igual em relação a mulheres e homens, a distância escolhida, os 10 km, a ser percorrida num circuito de mil metros de ida e volta proporcionará um ritmo muito elevado e um alto índice de espetacularidade onde prevalecerá a melhor técnica aliada à velocidade.

Dos principais candidatos à vitória, na prova masculina, sem dúvida, o italiano Massimo Stano, campeão olímpico de 20 km, o sueco Perseus Karlström, medalha de bronze nos 20 km dos Mundiais de Doha e o próprio Diego García. Mas há que ter em atenção outros grandes nomes do panorama mundial da marcha, nomeadamente o chinês Wang Kaihua, 7º nos Jogos de Tóquio e detentor da terceira melhor marca de todos os tempos nos 20 km (1:16:54) e o equatoriano Daniel Pintado, vencedor do recente Grande Prémio de Rio Maior.

Na prova feminina o grande destaque é a chinesa Shengie Qieyang, atual vice-campeã mundial e campeã olímpica em Londres 2012 e que há pouco tempo nos 35 km da emblemática cidade eslovaca de Dudince, na sua estreia esteve em grande estilo, entrando na galeria de vencedoras, sendo ainda de referir a peruana Kimberly García, que triunfou em Rio Maior, outra chinesa de primeiro plano, Maocuo Li, vice-campeã mundial dos 50 km dos Mundiais de Doha, a espanhola Raquel González, recordista do país vizinho na distância e a recordista portuguesa Ana Cabecinha.

Sofía Miranda, a vereadora da Câmara Municipal de Madrid, responsável pela área do desporto, afirmou à imprensa que num ano como este em que Madrid é a Capital Mundial do Desporto, nada melhor do que colocar o foco nesta disciplina que é a base do desporto e que coloca a cidade no foco das atenções mundiais e onde estará presente uma das grandes legendas do desporto espanhol – García Bragado, que antes da prova será homenageado e receberá o honroso e muito seletivo prémio “Marca Leyenda”.

Os juízes de marcha, todos dos painéis internacionais, são o irlandês Shaun Gallagher, o português Joaquim Graça, o espanhol Luis Maroto, a italiana Mara Baleani, o francês Emmanuel Tardi e o alemão Kilian Wenzel, que atuarão ao longo da linha de 500 metros do espetacular cenário da Gran Vía, sendo que o Juiz-chefe do evento é o internacional espanhol Sergio Solana. Nomeado pela World Athletics teremos o suíco Frédéric Bianchi, também ele juiz internacional de marcha.

Não esqueçam, pois, quem não puder assistir in loco, de acompanhar a competição via streaming ao vivo na plataforma LaLigaSportTV [aqui].

Fonte: RFEA e LOC Madrid Marcha

A relação dos participantes masculinos e femininos é a seguinte:

sábado, 14 de maio de 2022

César Herrera e Laura Chalarca vencem nacionais de 20.000 m em Bogotá, Colômbia

César Herrera e Laura Chalarca vencedores dos 20.000 m marcha em Bogotá.
Fotos: fb Liga de Atletismo de Bogotá. Montagem: O Marchador

A pista da Unidade Desportiva El Salitre (UDS) em Bogotá, Colômbia, a 2.600 metros de altitude, recebeu o Campeonato Nacional de Atletismo da Categoria «Mayores» no período de 6 a 8 de maio, com o programa de provas a incluir na 3.ª jornada (sábado, 7/5) os 20.000 metros marcha para masculinos e femininos.

Nos masculinos, César Alberto Herrera Cortes, de Bogotá D.C, medalha de prata no Campeonato Sul-Americano de Atletismo Sub-23 o ano passado em Guayaquil, sagrou-se campeão nacional bem destacado, obtendo 1:26:53:68. O seu recorde pessoal está fixado em 1:25.42.95 (Cali-2021). Completaram o pódio, Brayan Alberto Fuentes Rozo, de Boyacá, com 1:30:13.69, e Kenny Martin Perez Parra, da Federación Colombiana Deportiva Militar, com 1:31.59.87.

Nos femininos, Laura Cristina Chalarca Mojica, de 22 anos, em representação de Bogotá D.C, alcançou o título nacional obtendo a marca de 1:41.52.0. As suas colegas de equipa, Arabelly Orjuela Sanchez e Sara Patricia Pulido Sandoval, classificaram-se nas segunda e terceira posições, com 1:42.15.1 e 1:43.16.4 respetivamente.

Classificaões
20.000 m masculinos
1.º, Cesar Alberto Herrera Cortes, 1999 (Bogotá D.C), 1:26:53:68
2.º, Brayan Alberto Fuentes Rozo, 1996 (Boyacá), 1:30:13.69
3.º, Kenny Martin Perez Parra, 1994 (Federación Colombiana Dep. Militar), 1:31.59.87
4.º, Fabian Andres González, 2000 (Boyacá), 1:37:45.01
5.º, Santiago Gomez Salazar, 1993 (Antioquia), 1:39:01.05
6.º, Miguel Angel Calderon Muñoz, 2001 (Huila), 1:39:53.40
Desistente: Brayan Alejandro Lugo Quintero, 1998 (Federación Colombiana Dep. Militar).
Desclassificado: Juan Jose Soto Ruiz, 1999 (Bogotá D.C).

20.000 m femininos
1.ª, Laura Cristina Chalarca Mojica, 2000 (Bogotá D.C), 1:41:52.0
2.ª, Arabelly Orjuela Sanchez, 1988 (Bogotá D.C), 1:42:15.1
3.ª, Sara Patricia Pulido Sandoval, 1994 (Bogotá D.C), 1:43:16.4
3*), Carolina Marino, 1994 (Boyacá), 1:42:29.2
5.ª, Lina Geraldine Bolivar Gonzales, 1998 (Bogotá D.C), 1:43:54.5
6.ª, Mariana Madrid, 2002 (Quindío), 1:57:17.0
*) tempo extra-oficial