sábado, 21 de julho de 2018

Braga acolhe este fim-de-semana os Campeonatos da I-II-III Divisões (pista)

Foto: FPA. Montagem: O Marchador

O Estádio 1.º de Maio, em Braga, vai receber este fim-de-semana os Campeonatos Nacionais de Clubes das I, II e III Divisões, em pista ao ar livre, naquele que é o maior evento da modalidade, a par dos Campeonatos de Portugal. A organização é da responsabilidade da Federação Portuguesa de Atletismo e da Associação de Atletismo de Braga.

A bela cidade de Braga é este ano, recorde-se, a capital europeia do Desporto e já organizou mais de 400 eventos de várias modalidades desportivas. Muitos dos atletas olímpicos participarão, em representação dos seus clubes, nas várias especialidades em jornadas que se prolongarão pela tarde e noite de sábado e domingo.

No que à marcha atlética diz respeito, assistiremos na jornada de sábado (21) à realização das seis provas, no setor masculino e feminino, das três divisões. Os 5.000 metros masculinos – III Divisão, às 13:05 horas, II Divisão, às 17:00 horas, e I Divisão, às 20:55 horas, e os 3.000 metros femininos – III Divisão, às 13:35 horas, II Divisão, às 17:30 horas, e I Divisão, às 21:25 horas.

Dos 48 clubes que participam em cada um dos campeonatos (8 em cada Divisão), a disciplina da marcha atlética quase atingia o pleno, registando-se a participação de 47 marchadores e uma única ausência, a do Gira Sol, clube de Febres, no distrito de Coimbra, na II Divisão masculina.

Em todas as seis competições será instalada uma área de penalização, vulgarmente designado por Pit Lane, para o caso de alguns dos atletas atingirem o limite de três faltas no decorrer da sua prova, situação em que teriam de permanecer naquela área por um tempo de 30 segundos. As competições serão ajuizadas por cinco juízes especialistas de marcha, além do juiz-chefe, quase todos membros dos painéis internacionais da especialidade.

A listagem geral de atletas inscritos nas várias provas pode ser consultada aqui.

sexta-feira, 20 de julho de 2018

Arévalo, porta-bandeira da Colômbia nos Jogos Centro-americanos

O presidente colombiano Juan Manuel Santos entrega a bandeira
nacional a Arévalo. Foto: Revista Atletismo Peruano
Montagem: O Marchador
Eider Arévalo, uma das figuras mais destacadas do momento no panorama da marcha atlética mundial, foi o porta-bandeira do numeroso contingente colombiano aos próximos Jogos Centro-americanos e do Caribe, que se iniciaram em Barranquilha, na Colômbia, ontem, dia 19, e prolongam-se até 3 de agosto próximo.

Em cerimónia há dias realizada, o presidente da República da Colômbia, José Manuel Santos, no cargo desde 2010 (Prémio Nobel da Paz em 2016), fez a entrega a Arévalo da bandeira colombiana (na foto) formulando votos de sucessos na senda, disse, de outros desportistas colombianos que, igualmente, elevaram o símbolo do país ao lugar mais alto do pódio.

Arévalo notabilizou-se, ainda júnior, quando em 2010 triunfou nos Sul-americanos de Marcha Atlética (Sub-18), em Cochabamba, na Bolívia, nos Sul-americanos de pista (Sub-18), em Santiago do Chile, e na Taça do Mundo de Marcha, em Chihuahua, no México, nos Sub-20. Nos anos seguintes, assistiu-se por parte do atleta colombiano a um acumular de êxitos, o mais significativo dos quais, em Londres (2017), nos mundiais de atletismo, onde conquistou a medalha de ouro na prova dos 20 km marcha.

Os Jogos, que vão na 23.ª edição, realizam-se a cada quatro anos e tiveram início em 1926, na Cidade do México. É a segunda vez que Barranquilha recebe o evento, que também organizou em 1946, sendo esperados 5.424 desportistas de 37 países e territórios.

Rankings mundiais definirão acesso aos grandes eventos internacionais

Foto: Doha 2019. Montagem: O Marchador

A IAAF divulgou recentemente o ranking mundial das provas de marcha atlética nas distâncias que usualmente integram o programa dos Campeonatos Mundiais de Atletismo e dos Jogos Olímpicos (20 e 50 km), numa nova filosofia que prevê a entrada dos marchadores naquelas competições de acordo com o seu posicionamento nas listas e a entrar em vigor já para os próximos mundiais, em Doha.

Assim, o sistema de introdução de mínimos A e B deixa de vigorar como condição para acesso aos grandes eventos mundiais, mantendo-se as restantes normas que já estavam implementadas pela IAAF como condição essencial de acesso àquelas competições e contando para a entrada no ranking.

E estas impõem a necessidade do circuito da competição estar medido por um membro do painel internacional de medidores, medição essa que é válida por um período máximo de cinco anos. Outro dos requisitos essenciais é o da presença de, pelo menos, três juízes internacionais de marcha (níveis II ou III da IAAF).

Para as provas de 20 e 50 km marcha (masculinos e femininos) são estabelecidas 9 diferentes categorias, com a atribuição de pontuação consoante a importância dos eventos. Por exemplo, o campeão olímpico ou mundial terá 270 pontos, enquanto o vencedor de uma prova do challenge mundial arrecadará 170 pontos e o campeão de uns campeonatos nacionais de marcha acumulará 5 pontos. Haverá ainda bónus para o estabelecimento de recordes mundiais.

A integração no ranking mundial pressupõe, no mínimo, a realização de três eventos de 20 km e de dois na distância de 50 km. Competições de distância similar, 10 e 15 km, para o ranking dos 20 km masculinos, 20, 30 e 35 km (50 km masculinos), 5, 10, 15 e 50 km (20 km femininos) e 20, 30 e 35 km (50 km femininos) contribuem para o acumular de pontos.

Considerando a realização no próximo ano dos campeonatos mundiais de atletismo, as competições nacionais, pelo menos estas, que tiveram lugar este ano, validadas pela IAAF para o evento de Doha, foram as seguintes: o Troféu Lugano, na Suíça, a 11 de março, os campeonatos de França (20 e 50 km), em Merignac, a 12 de março, os campeonatos do Japão (50 km), em Wajima, a 15 de abril, e os campeonatos da Hungria (20 km), em Békéscsaba, a 22 de abril.

A classificação atual (5 primeiros) está assim estabelecida:

20 km Masculinos
Eider Arévalo (Colômbia), 1356 pontos
Christopher Linke (Alemanha), 1305
Caio Bonfim (Brasil), 1298
Dane Bird-Smith (Austrália), 1293
Álvaro Martín (Espanha), 1292

20 km femininos
Guadalupe González (México), 1355 pontos
Jiayu Yang (China), 1323
Antonella Palmisano (Itália), 1305
Erica Rocha de Sena (Brasil), 1301
Shenjie Qieyang (China), 1300

50 km masculinos
Hiroki Arai (Japão), 1400 pontos
Satoshi Maruo (Japão), 1333
Ihor Hlavan (Ucrânia), 1309
Yohann Diniz (França), 1304
Kai Kobayashi (Japão), 1290

50 km femininos
Hang Yin (China), 1400 pontos
Inês Henriques (Portugal), 1361
Claire Tallent (Austrália), 1230
Paola Pérez (Equador), 1226
Johana Ordónez (Equador), 1220

Os rankings completos publicados pela IAAF, à data de 17 de Julho, podem ser encontrados aqui.

quinta-feira, 19 de julho de 2018

Campeonatos Nacionais de França Sub-23 e Provinciais Sub-16 em Niort

Em cima, os 20 km, com os vencedores sub-23 Eloise Terrec e
Gabriel Bordier, e em baixos as provas de sub-16.
Fotos: Emmanuel Tardi. Montagem: O Marchador

Tiveram lugar este fim-de-semana, em Niort (400 quilómetros a sudoeste de Paris) os campeonatos provinciais de marcha atlética de França, na sexta-feira (13), com a realização de competições para o escalão Sub-16, um atleta por cada província, registando-se a participação de 25 raparigas e 22 rapazes em provas com a distância de 3.000 metros (pista). Destacaram-se, no setor feminino, Flavie Bodin (Ligue Grand Est), com a marca de 16.02,09, e no setor masculino, Adrien Landras (Ligue Occitanie), com a marca de 14.44,88.

Nos campeonatos nacionais de 20 km marcha, para o escalão Sub-23, em que houve autorização para a participação de um atleta de idade superior, provas essas que se realizaram em estrada, no domingo (15), pelas 8:00 horas, primeiro com uma temperatura amena subindo rapidamente a valores elevados.

Nas senhoras o domínio pertenceu do princípio ao fim a Eloise Terrec (Ac Roche-sur-yon), que registou a marca de 1:40:12, recorde pessoal. Nos homens, Aurélien Quinion comandou nas primeiras cinco voltas (um quilómetro cada), sendo desclassificado por via da regra aplicada à especialidade. Foi então que Gabriel Bordier assumiu o comando da prova para não mais o largar até final, vencendo com o tempo de 1:28:50. Ainda assim longe do seu recorde pessoal de 1:22:15 estabelecido este ano nos “Cantones de A Coruna”, com a sua décima segunda posição.

Resultados completos a consultar, os dos sub-16 masc. [aqui] e fem. [aqui], os dos sub-23 masc. [aqui] e fem. [aqui], e finalmente dos seniores, os masc. [aqui] e fem. [aqui].

Colaboração: Emmanuel Tardi

quarta-feira, 18 de julho de 2018

María Pérez em evidência nos campeonatos por federações em Granollers

Em Granollers, Alberto Amezcua distancia-se de Diego García, e o
mesmo sucede com María Perez em relação a Raquel González.
Fotos: Antonio Amigo. Montagem: O Marchador

A sub-23 María Pérez, em representação da Andaluzia, esteve em plano de destaque durante os Campeonatos de Espanha por Federações de pista, realizados em Granollers, Catalunha (14/7), ao vencer os 5.000 metros marcha, com 20.38,16, um novo recorde dos campeonatos (anterior, 20.41,47 de Julia Takacs – Alcorcón-2014) e apenas a 8 segundos do recorde nacional absoluto (20.30,04, Takacs – Caceres-2014).

A segunda posição da prova feminina foi alcançada por Raquel González Campos, da Catalunha, com 21.14,20, enquanto a terceira ia para a representante de Madrid, Lidia Sánchez-Puebla, com 22.40,14.

Nos masculinos, em igual distância (5.000 metros), nova vitória para a Andaluzia através de Alberto Amezcua, com 19.32,80, à frente de Diego García, de Madrid, com 19.49,20, e de Marc Tur, das Ilhas Baleares, com 19.53,59.

A seleção da Catalunha, com 497 pontos, sagrar-se-ia campeã de Espanha por Federações Autonómicas, seguida da Andaluzia e de Madrid, segunda e terceira classificadas com o mesmo número de pontos (426,5).

Classificações
5.000 m femininos
1.ª, Maria Perez Garcia, 1996 (Andalucía), 20.38,16
2.ª, Raquel Gonzalez Campos, 1989 (Cataluña), 21.14,20
3.ª, Lidia Sanchez-puebla Fernandez, 1996 (Madrid), 22.40,14
4.ª, Maria Larios Lopez, 1992 (Castilla La Mancha), 23.22,79
5.ª, Andrea Cabre Carceller, 1988 (Comunidad Valenciana), 23.57,28
6.ª, Amanda Cano Gomez, 1994 (Murcia), 24.08,86
7.ª, Ana Pulgarin Cardeno, 2001 (Extremadura), 25.47,69
8.ª, Maria Isabel Perez Belloch, 1979 (Canarias), 25.55,35
9.ª, Leyre Aramburu Gonzalez, 1999 (Galicia), 26.36,22
10.ª, Maria Isabel Torres Ribas, 2001 (Islas Baleares), 28.14,89
11.ª, Maider Etxeberria Lizarbe, 2003 (Navarra), 28.32,46
12.ª, Sandra Millan Romeo, 2001 (Aragón), 28.47,63
13.ª, Sandra Arnaez Arnaiz, 2002 (La Rioja), 32.10,97

5.000 m masculinos
1.º, Alberto Amezcua Balboa, 1992 (Andalucía), 19.32,80
2.º, Diego Garcia Carrera, 1996 (Madrid), 19.49,20
3.º, Marc Tur Pico, 1994 (Islas Baleares), 19.53,59
4.º, Luis Manuel Corchete Martinez, 1984 (Comunidad Valenciana), 20.13,15
5.º, Ivan Lopez Perez, 1997 (Murcia), 21.06,34
6.º, Mario Viñas Picazo, 1996 (Cataluña), 21.38,73
7.º, David Reyes Afonso, 1993 (Canarias), 21.57,47
8.º, Jaime Cañas Villafranca, 1990 (Castilla La Mancha), 22.01,78
9.º, Daniel Jimeno Rivera, 2000 (Aragón), 22.16,36
10.º, Alvaro Danta Duran, 1997 (Extremadura), 23.28,20
11.º, Markel Gutierrez Garcia, 1999 (País Vasco), 23.36,58
12.º, Rodrigo Dominguez Fernandez, 1977 (Navarra), 25.32,48
13.º, Jorge Cubero Alarcon, 1990 (La Rioja), 26.49,17 adic.30"
Desistente: Brais Prieto Espiño, 1999 (Galicia).

terça-feira, 17 de julho de 2018

A marcha no Torneio Master do CluVe Coimbra (resultados)

Os participantes na prova de marcha do torneio em Coimbra.
Fotos: CluVe Coimbra e Mário Pinho Rocha
Montagem: O Marchador

Foram 10 os marchadores (5 masculinos e 5 femininos) que participaram na prova mista de 3.000 metros marcha integrada no 6.º Torneio Internacional Atletismo Master "Cidade Coimbra/SABSEG” organizado pelo CluVe no passado sábado (14/7) na pista do Estádio Cidade de Coimbra.

Sandra Silva, do Clube de Futebol Oliveira do Douro, com 15.08,31, e António Pereira, do Sporting Clube de Braga, com 14.30,03, ambos da categoria 40-44 anos, foram os vencedores absolutos. Os segundos classificados foram Maria Alice Fernandes, W65 (SSTS João da Madeira, 18.50,79), e Carlos Carmino, M60 (Leiria MA, 17.43,30) e os terceiros Ana Macedo, W45 (UA Povoense, 19.00,67) e Hélder Ribeiro, M40 (CF Oliveira do Douro, 18.02,22).

De referir a não participação da atleta Teresa Mendes, representante do clube organizador, por lesão contraída na véspera da prova.

Num evento muito participado, Susana Estriga, W40 (100 m e 200 m) e António Oliveira, M50 (1.500 m) foram considerados os melhores atletas feminino e masculino da edição 2018 do Torneio.

Classificações (provas mistas)
3.000 m femininos
1.ª, Sandra Silva, 1975 (CF Oliveira do Douro), 15.08,31 - W40
2.ª, Maria Alice Fernandes, 1952 (SSTS João da Madeira), 18.50,79 - W65
3.ª, Ana Macedo, 1972 (UA Povoense), 19.00,67 - W45
4.ª, Andreia Ribeiro, 1980 (CF Oliveira do Douro), 19.07,41 - W35
5.ª, Natália Santos, 1970 (SSTS João da Madeira), 20.49,53 - W45

3.000 m masculinos
1.º, António Pereira, 1975 (SC Braga), 14.30,03 - M40
2.º, Carlos Carmino, 1957 (Leiria MA), 17.43,30 - M60
3.º, Hélder Ribeiro, 1976 (CF Oliveira do Douro), 18.02,22 - M40
4.º, José Oliveira, 1957 (SFU Atouguia da Baleia), 20.47,66 - M60
5.º, Domingos Pinto, 1959 (CF Oliveira do Douro), 24.38,39 - M55

Surinov e A. Khokhlova vencem INAS em Paris. Francisco Serra de prata

Os pódios e o início da marcha em prova mista.
Fotos: LOC 2018 INAS Summer Games
Montagem: O Marchador

Os jovens russos Aleksandr Surinov, nos masculinos, e Alina Khokhlova, nos femininos, ambos da região de Saransk, sagraram-se ontem (16/7) campeões da Europa de 5.000 metros marcha da INAS, por ocasião dos Campeonatos da Europa de Atletismo em Pista que decorrem em Paris até ao próximo sábado, a contar para a 1.ª edição dos Jogos Europeus de Verão da INAS.

Aleksandr Surinov obteve o ouro com a marca de 24.27,07, seguido do português Francisco Serra, com a medalha de prata e o registo de 27.17,65. O francês Mathias Baudet fechou o pódio, com 30.00,84. Pedro Isidro, que era o favorito e foi o primeiro a cortar a meta, viria a ser desclassificado por acumulação de faltas.

Alina Khokhlova, com 24.43,19, teve a companhia no pódio da sua irmã gémea Regina, com 25.53,07, e da italiana Frezza Clarissa, com 28.38,98. A portuguesa Joana Silva, em estreia internacional, foi quarta classificada, com 31.36,28.

Classificações (rovas mistas)
5.000 metros masculinos
1.º, Aleksandr Surinov (Rússia), 24.27,07
2.º, Francisco Serra (Portugal), 27.17,65
3.º, Mathias Baudet (França), 30.00,84
Desclassificado: Pedro Isidro (Portugal).

5.000 metros femininos
1.ª, Alina Khokhlova (Rússia), 24.43,19
2.ª, Regina Khokhlova (Rússia), 25.53,07
3.ª, Frezza Clarissa (Itália), 28.38,98
4.ª, Joana Silva (Portugal), 31.36,28
5.ª, Virginie Dreux (França), 35.24,14

segunda-feira, 16 de julho de 2018

Guatemaltecos evidenciam-se nos Centro-americanos de Atletismo

A partida feminina e a frente da prova masculina.
Fotos: FNA. Montagem: O Marchador

Quatro das seis medalhas em disputa nas provas de marcha da 29.ª edição dos Campeonatos Centro-americanos de Atletismo, que tiveram lugar neste fim-de-semana (13/14-7), Estádio Nacional Doroteo Guamuch Flores, na cidade de Guatemala, foram alcançadas por atletas do país organizador.

Na prova feminina de 10.000 metros, em pista, Maritza Rafaela Poncio impôs-se com a marca de 50.11,20, não muito distante do seu recorde pessoal que é de 50.06,54, obtido em 2013, na cidade de Manágua. Para os restantes lugares do pódio classificaram-se a sua irmã, Céfora Micaela Poncio, com 54.06,44, e Melany Nicolle Elás, de São Salvador, com 59.35,91. Illena Ocampo Aguilar, da Costa Rica, foi quarta com o tempo de 59.46,50.

Na prova masculina de 20.000 metros (pista), venceu José Oswaldo Calel (Guatemala), com 1.28.11,36. Foi a primeira prova na distância para este jovem de 19 anos de idade, que se vem afirmando no panorama da especialidade naquele país. Para as segunda e terceira posições classificaram-se Angel Rolando Batz, com 1.28.22,61 e Allan Segura Medina, com 1.46.43,28.

Ambos os vencedores são treinados por Julio César Urias, que está a realizar um bom trabalho junto da sua interessante equipa de marchadores, num país onde a especialidade vem progredindo satisfatoriamente com bons resultados no panorama internacional. Ainda recentemente, nos mundiais Sub-20, José Ortiz (sobrinha de Mirna Ortíz, outra das marchadoras guatemaltecas de bom nível internacional) alcançou a medalha de bronze na prova dos 10.000 metros. Urias foi marchador internacional, tendo representado a seleção da Guatemala em Campeonatos do Mundo e Jogos Olímpicos, estes em Atlanta, em 1996.

Jornada de Marcha em Best, Holanda (resultados)



Rick Liesting e os pódios masculino e feminino dos 5.000 m.
Fotos: TIGCH. Montagem: O Marchador
Num evento de marcha atlética de organizado no dia 7 de Julho pelo clube de atletismo A.V. Generaal Michaëlis em Best, localidade situada no sul da Holanda, Rick Liesting destacou-se ao obter um novo recorde nacional do seu país na categoria M40 na prova de 5.000 metros, obtendo a marca de 20.51,87.

Na segunda posição classificou-se Rob Tersteeg (M40), do R.W.V., com 22.13,16, e a fechar o pódio, Remco de Bruin, do SV de LAT, com 23.11,03, igualmente recorde nacional mas na categoria M50. Nos femininos, a vencedora foi Anne van Andel (DAK), com 26.33,69.

Em distância alternativa do programa de provas, sobre de 3.000 metros, venceram o alemão Chris Wiltsch (M50), do SG Neukirchen-Hülchrath eV, com 17.04.39, e a belga Liesbet de Smet (W35), do Duffel, com 17.22.91.

Os resultados completos podem ser consultados aqui.

domingo, 15 de julho de 2018

Jogos Europeus de Verão da INAS, amanhã em Paris



Imagens: LOC. Foto: Wikipédia. Montagem: O Marchador
É já amanhã, segunda-feira (16/7), que se inicia em Paris, França, a 1.ª edição dos Jogos Europeus de Verão da INAS (na designação inglesa, «International Sports Federation for Athletes with Intellectual Impairments»), evento que inclui os Campeonatos da Europa de Atletismo INAS, em 9.ª edição, com provas a decorrer até ao dia 20/7. A cerimónia de encerramento terá lugar no sábado (21/7).

Para além do Atletismo, as outras oito modalidades integradas nos Jogos da INAS são as seguintes: Basquetebol, Ciclismo, Futsal, Hóquei, Canoagem, Natação, Ténis de Mesa, Ténis de Campo. Integram ainda como demonstração, a Petanca e o Taekwondo.

No programa do Atletismo, a disciplina da marcha atlética será disputada na distância de 5.000 metros em pista, logo no primeiro dia, 16, às 9.45 horas.

Com os agradecimentos à ANDDI pela informação disponibilizada, a lista de saída é a seguinte:

Masculinos
Pedro Isidro – Portugal
Francisco Serra – Portugal
Mathias Baudet – França
Aleksandr Surinov – Rússia

Femininos
Joana Silva – Portugal
Frezza Clarissa – Itália
Virginie Dreux – França
Alina Khokhlova – Rússia
Regina Khokhlova – Rússia

sábado, 14 de julho de 2018

Yao Zhang (China) – a consagração nos Mundiais Sub-20

Yao Zhang, a vitória por 6 milésimos de segundo e o pódio.
Fotos: Getty Images/IAAF e imagem de vídeo
Montagem: O Marchador

Num final de prova realmente muito emocionante, o chinês Yao Zhang conquistou o título mundial dos 10.000 metros marcha em pista (categoria Sub-20), prova que hoje teve lugar em Tampere (Finlândia) onde decorrem, até ao dia de amanhã, os campeonatos mundiais da categoria. Terá sido um dos despiques mais cerrados em todo o historial de competições da disciplina, a tal ponto que a decisão sobre quem seria o vencedor - Zhang ou o equatoriano David Hurtado – foi tomada com recurso a “photo-finish”, ditando uma diferença de tempo de apenas 6 milésimos de segundo.

Na primeira metade da prova era o nigeriano Dominic Ndigiti – atleta sensação nos mundiais de jovens (Sub-18) que tiveram lugar no ano passado em Nairobi, ao obter a medalha de bronze – quem comandava um grupo dianteiro de 9 atletas, mas que seria forçado a parar momentaneamente a fim de calçar um sapato.

A um quilómetro do fim já as posições do pódio pareciam estar definidas, mais em relação à terceira posição, que o guatemalteco José Ortiz tudo fazia para a proteger com um avanço relativamente seguro sobre o australiano Declan Tingay. E na última volta o leader Zhang consolidaria uma vantagem de cerca de 20 metros sobre Hurtado que, na reta da meta, o faria relaxar quase já em sinal de vitória, mas como várias vezes acontece, o “cantar vitória antes de tempo” pode dar mau resultado. Hurtado que aumentaria drasticamente o ritmo nos últimos 50 metros – correndo riscos de desclassificação pelos juízes de marcha em prova ou mesmo pelo juiz-chefe dado os poderes próprios conferidos a este de desclassificação direta nós últimos 100 metros de prova –, num sprint diabólico quase ultrapassava um chinês, primeiro surpreso e depois, refeito do susto, eufórico.

Yao Zhang é o primeiro atleta na história da marcha atlética nos escalões mais jovens a conquistar três títulos mundiais em dois anos, primeiro nos mundiais de jovens (Sub-18), no ano passado, em Nairobi, e em maio último obtendo a vitória no mundial de seleções disputado em Taicang. O último triunfo de um atleta chinês na prova masculina dos 10.000 metros marcha verificara-se nos mundiais de Pequim, em 2006.

A competição de Tampere teve um nível muito bom com os quatro primeiros atletas a baterem os seus recordes pessoais, o australiano Tingay com recorde da Oceânia, sucedendo ao seu compatriota Dane Bird-Smith, medalha de bronze nos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro. Devemos ainda realçar, dada a sua relevância, o facto da marcha dos escalões jovens no continente americano estar de muito boa saúde como se comprova pela conquista de quatro das seis medalhas em disputa nestes campeonatos: González (México) e Morejón (Equador), no setor feminino, e Hurtado (Equador) e Ortíz (Guatemala), no setor masculino.

Classificação
10.000 m masculinos
1.º, Yao Zhang, 2000 (CHN - China), 40.32,054
2.º, David Hurtado, 1999 (ECU - Equador), 40.32,060
3.º, José Ortiz, 2000 (GUA - Guatemala), 40.45,26
4.º, Declan Tingay, 1999 (AUS - Austrália), 40.49,72
5.º, Zhaozhao Wang, 1999 (CHN - China), 41.04,22
6.º, Kyle Swan, 1999 (AUS - Austrália), 41.24,12
7.º, Dominic Samson Ndigiti, 2000 (KEN - Quénia), 41.30,52
8.º, Sho Sakazaki, 1999 (JPN - Japão), 41.50,91
9.º, Mikita Kaliada, 2000 (BLR - Bielorrússia), 41.51,76
10.º, Tatsuhiko Nagayama, 1999 (JPN - Japão), 41.58,12
11.º, Georgios Tzatzimakis, 1999 (GRE - Grécia), 42.03,85
12.º, Yohanis Algaw, 1999 (ETH - Etiópia), 42.10,12
13.º, Anderson Callejas, 2000 (COL - Colômbia), 42.32,01
14.º, Lukasz Niedzialek, 2000 (POL - Polónia), 42.36,66
15.º, José Manuel Pérez, 1999 (ESP - Espanha), 42.41,26
16.º, Riccardo Orsoni, 2000 (ITA - Itália), 42.53,76
17.º, Matheus Correa, 1999 (BRA - Brasil), 42.55,70
18.º, David Kuster, 1999 (FRA - França), 43.24,29
19.º, Álvaro López Nuñez, 1999 (ESP - Espanha), 43.38,84
20.º, Mingyu Kim, 1999 (KOR - Coreia do Sul), 43.46,20
21.º, Antonio Loja, 1999 (ECU - Equador), 44.04,90
22.º, Jan Moreu, 2001 (PUR - Porto Rico), 44.16,40
23.º, Pavel Olkhovik, 2000 (BLR - Bielorrússia), 44.21,41
24.º, Dongmin Im, 2000 (KOR - Coreia do Sul), 44.38,72
25.º, Abdulselam Imuk, 1999 (TUR - Turquia), 44.40,20
26.º, Andriy Syndyuk, 1999 (UKR - Ucrânia), 44.52,67
27.º, Viktor Kononenko, 1999 (UKR - Ucrânia), 45.19,29
28.º, Nicolas Fanelli, 1999 (ITA - Itália), 45.54,09
29.º, Aníbal Zapeta, 1999 (GUA - Guatemala), 45.59,37
30.º, Abdulrahman Mahmoud, 1999 (EGY - Egipto), 46.02,30
31.º, Othman Chibani, 1999 (ALG - Argélia), 46.26,73
32.º, Bálint Sárossi, 2000 (HUN - Hungria), 46.43,77
33.º, Abdulaziz Danis, 1999 (TUR - Turquia), 46.49,51
Desclassificado: José Gilberto Menjivar, 2001 (ESA - El Salvador).

Mexicana Alegna González, campeã mundial sub-20 em Tampere

Alegna González e o pódio dos 10.000 m marcha femininos.
Foto: Getty Images/IAAF e imagem de vídeo
Montagem: O Marchador
Numa prova plena de emoção e apenas decidida nas últimas 2 voltas (de 25), Alegna González, do México, tornou-se campeã mundial dos 10.000 metros marcha em Tampere, na Finlândia, por ocasião dos Campeonatos de Atletismo da categoria de sub-20 que decorrem até amanhã, dia 15.

González foi cronometrada em 44.13,88, a melhor marca mundial sub-20 do corrente ano, e recorde pessoal (antes, 44.43,89), 4 segundos à frente da turca Meryem Bekmez, na segunda posição, com 44.17,69, um recorde nacional sub-20 e absoluto. A fechar o pódio, a equatoriana Glenda Morejón, com 44.19,40, também recorde nacional e ainda de área.

Com 21 graus Celsius de temperatura e 73% de humidade, a prova iniciou-se às 9.31 horas (hora local) e teve a liderança, isolada e depois acompanhada, até aos 5.000 metros, da atleta de Porto Rico, Rachelle de Orbeta, que cumpriu a primeira metade em 22.41.39. A partir daqui abriram-se as hostilidades, com Meryem Bekmez a mostrar-se nas 8 voltas seguintes, com um parcial de 4.13,75 ao 7.º quilómetro. Aos 9 km ainda liderou a Glenda Morejón, com González a assumir finalmente a liderança a menos de 2 voltas do final e a triunfar. Os últimos mil metros foram cumpridos em 4.04,65!

Vários foram os recordes nacionais batidos numa prova em que as portuguesas se classificaram na 19.ª e 23.ª posições, nomeadamente Inês Reis, com 48.51,51, não muito longe do seu recorde pessoal (48.33,25), e Maria Bernardo, com 49.32,13.

Classificação
10.000 m femininos
1.ª, Alegna González, 1999 (MEX - México), 44.13,88
2.ª, Meryem Bekmez, 2000 (TUR - Turquia), 44.17,69
3.ª, Glenda Morejón, 2000 (ECU - Equador), 44.19,40
4.ª, Nanako Fujii, 1999 (JPN - Japão), 45.08,68
5.ª, Katie Hayward, 2000 (AUS - Austrália), 45.10,42
6.ª, Yuxia Shi, 1999 (CHN - China), 45.21,39
7.ª, Rachelle De Orbeta, 2000 (PUR - Porto Rico), 45.23,05
8.ª, Ayse Tekdal, 1999 (TUR - Turquia), 45.49,43
9.ª, Noelia Vargas, 2000 (CRC - Costa Rica), 45.51,58
10.ª, Taylor Ewert, 2001 (USA - E.U. América), 45.57,81
11.ª, Yajing Liu, 2000 (CHN - China), 46.45,47
12.ª, Mary Luz Andia, 2000 (PER - Peru), 46.49,59
13.ª, Paula Milena Torres, 2000 (ECU - Equador), 47.53,17
14.ª, Orla O'Connor, 2000 (IRL - Irlanda), 47.55,40
15.ª, Julia Richter, 1999 (GER - Alemanha), 48.12,39
16.ª, Laura Cristina Chalarcá, 2000 (COL - Colômbia), 48.16,19
17.ª, Antía Chamosa, 1999 (ESP - Espanha), 48.34,50
18.ª, Emily Villafuerte, 2000 (PER - Peru), 48.46,67
19.ª, Inês Reis, 1999 (POR - Portugal), 48.51,51
20.ª, Mayra Karen Quispe, 2000 (BOL - Bolívia), 49.00,66
21.ª, Rihem Bouzid, 2000 (TUN - Tunísia), 49.22,95
22.ª, Anniina Kivimäki, 1999 (FIN - Finlândia), 49.27,78
23.ª, Maria Bernardo, 1999 (POR - Portugal), 49.32,13
24.ª, Hana Burzalová, 2000 (SVK - Eslováquia), 49.57,70
25.ª, Marina Peña, 1999 (ESP - Espanha), 50.06,73
26.ª, Mare Betwe, 2000 (ETH - Etiópia), 50.42,52
27.ª, Yasury Palacios, 1999 (GUA - Guatemala), 51.00,65
28.ª, Ema Hacundová, 1999 (SVK - Eslováquia), 51.50,84
29.ª, Austeja Kavaliauskaite, 2000 (LTU - Lituânia), 52.31,06
30.ª, Maidy Monge, 2000 (GUA - Guatemala), 52.38,37
31.ª, Yekaterina Shlykova, 1999 (KAZ - Cazaquistão), 53.03,47
32.ª, Niamh O’Connor, 2000 (IRL - Irlanda), 53.25,90
33.ª, Souad Azzi, 1999 (ALG - Argélia), 54.14,57
Desistente: Lauren Harris, 1999 (USA - E.U. América).

Torneio Master «Cidade de Coimbra» com marcha atlética, hoje



Teresa Mendes nos Europeus de Aarhus-2017 e o cartaz do torneio.
Foto: CluVe. Montagem: O Marchador
O Clube de Veteranos de Atletismo de Coimbra (CluVe) organiza hoje, sábado (14/7), a 6.ª edição do Torneio Internacional de Atletismo Master «Cidade de Coimbra/SABSEG», tendo por palco a pista do Estádio Cidade de Coimbra.

Saúda-se a inclusão no programa do evento da prova de 3.000 metros marcha, para masculinos e femininos, prevista para as 18.15 horas.

Teresa Mendes, representante do clube organizador, atualmente na categoria 50-54 anos, é uma das inscritas no torneio, ela que desde 2008 tem participado regulamente nas principais competições nacionais e internacionais, nestas últimas totalizando 18 provas em 11 eventos europeus e mundiais.

Na edição de 2017, apenas com participação feminina na marcha, foi vencedora a atleta do Clube Spiridon de Gaia, Maria Joaquina Peixoto (W50), com 18.12,02.

O programa completo de provas pode ser consultado aqui, e a listagem geral de participantes aqui.

sexta-feira, 13 de julho de 2018

10.000 m masculinos – lista de saída (Sub-20, Tampere-2018)

Foto: Getty Images/IAAF. Montagem: O Marchador

Em Tampere, no sábado (14/7), pelas 10.45 horas (hora local), e terminada que estará a prova de marcha feminina, será a vez da prova masculina, de igual distância (10.000 metros) e com igual número de participantes, 34 (23 países).

O japonês Sho Sakazaki é quem detém o melhor recorde pessoal, com 39.52,45, em Saitama (Dez.2017), e que também assume a liderança mundial do corrente ano em pista, com 40.17,82, em Wakayama (21/1). Mais 6 atletas têm como recordes pessoais marcas na casa dos 40 minutos, nestes destacando-se os três primeiros classificados nos 10 km sub-20 do Campeonato do Mundo de Seleções de Taicang-2018, disputado em Maio, os chineses Yao Zhang, com 40.07, e Zhaozhao Wang, com 40.12, e o guatemalteco José Eduardo Ortiz, com 40.17, que nas listagens apresenta o seu recorde de pista (42.07,47).

O recorde do mundo é do russo Viktor Burayev, com 38.46,4 em Moscovo (2000), atleta que anos mais tarde viria a ser punido por dopagem.

O recorde dos campeonatos pertence ao vencedor da edição de 2014 em Eugene, o japonês Daisuke Matsunaga, com 39.27,19, atleta, agora com 23 anos, que há 5 dias atrás bateu em Kitame o recorde absoluto do seu país (37.58,08).

A lista de saída é a seguinte:
Dorsal, nome, ano nasc., país, rec. pessoal / marca 2018
103: Othman Chibani, 1999 (ALG - Argélia), 42.59,51 / 42.59,51
130: Declan Tingay, 1999 (AUS - Austrália), 41.07,88 / 41.07,88
129: Kyle Swan, 1999 (AUS - Austrália), 42.47,31 / 43.57,10
159: Pavel Olkhovik, 2000 (BLR - Bielorrússia), 43.33,75 / 43.33,75
158: Mikita Kaliada, 2000 (BLR - Bielorrússia), 43.17,46 / 40.39
173: Matheus Correa, 1999 (BRA - Brasil), 43.02,4 / 44.59,23
197: Zhaozhao Wang, 1999 (CHN - China), 40.12 / 40.12
198: Yao Zhang, 2000 (CHN - China), 41.12,01 / 40.07
201: Anderson Callejas, 2000 (COL - Colômbia), 43.51,85 / 45.34,81
222: David Hurtado, 1999 (ECU - Equador), 40.37,64 / 43.24,67
223: Antonio Loja, 1999 (ECU - Equador), 44.00,0 / 44.00,0
224: Abdulrahman Mahmoud, 1999 (EGY - Egipto), 48.23,65 / 42.59
228: José Gilberto Menjivar, 2001 (ESA - El Salvador), 43.57,44 / 43.57,44
243: José Manuel Pérez, 1999 (ESP - Espanha), 43.13,68 / 43.13,68
237: Álvaro López Nuñez, 1999 (ESP - Espanha), 43.52,69 / 43.52,69
254: Yohanis Algaw, 1999 (ETH - Etiópia), 40.55,96 / 43.14,1
284: David Kuster, 1999 (FRA - França), 42.20,0 / 41.02
344: Georgios Tzatzimakis, 1999 (GRE - Grécia), 42.48,83 / 43.48,38
345: José Ortiz, 2000 (GUA - Guatemala), 42.07,47 / 42.50,16
346: Aníbal Zapeta, 1999 (GUA - Guatemala), 42.58,15 / 42.58,15
359: Bálint Sárossi, 2000 (HUN - Hungria), 45.14,60 / 45.55,0
410: Riccardo Orsoni, 2000 (ITA - Itália), 42.51,47 / 42.51,47
395: Nicolas Fanelli, 1999 (ITA - Itália), 44.02,21 / 44.09,40
448: Sho Sakazaki, 1999 (JPN - Japão), 39.52,45 / 40.17,82
446: Tatsuhiko Nagayama, 1999 (JPN - Japão), 40.55,14 / 40.55,14
461: Dominic Samson Ndigiti, 2000 (KEN - Quénia), 41.25,78 / 42.03,3
466: Dongmin Im, 2000 (KOR - Coreia do Sul), 42.15,68 / 42.15,68
467: Mingyu Kim, 1999 (KOR - Coreia do Sul), 42.40,03 / 43.06,89
520: Lukasz Niedzialek, 2000 (POL - Polónia), 42.40,02 / 46.31,03
536: Jan Moreu, 2001 (PUR - Peru), 43.32,66 / 43.32,66
608: Abdulaziz Danis, 1999 (TUR - Turquia), 43.56,51 / 43.56,51
609: Abdulselam Imuk, 1999 (TUR - Turquia), 44.25,65 / 44.25,65
631: Andriy Syndyuk, 1999 (UKR - Ucrânia), 43.35,66 / 43.35,66
628: Viktor Kononenko, 1999 (UKR - Ucrânia), 43.22,75 / 43.27,83
Fonte: IAAF