domingo, 21 de julho de 2019

Campeonatos NACAC Masters em Toronto – 10 km marcha (resultados)

Fase inicial dos 10 km nos campeonatos NACAC Masters 2019.
Foto: Jennifer Peters. Montagem: O Marchador

Os Campeonatos de Atletismo Masters da NACAC (Associação de Atletismo da América do Norte, Central e do Caribe) iniciaram-se no passado dia 18/7 em Toronto, no Canadá, decorrendo até dia 21, domingo, com as provas de 10 km marcha (estrada) do programa a disputarem-se na jornada matinal do primeiro dia, no Parque Tommy Thompson.

Nos masculinos, os três primeiros atletas, pela ordem absoluta na chegada à meta, foram Dmitry Babenko, M45, do Canadá, com 48.25, recorde dos campeonatos na sua faixa etária, Michael Mannozzi, M30, dos E.U. América, com 51.13, também recorde dos campeonatos, e David Swarts, M50, dos E.U. América, com 51.14. Outros atletas em destaque também pela queda de recordes dos campeonatos foram Jose Luis Lopez Camarena (M65, México, 54.28) e Tom Dooley (M70, E.U. América, 1.02.33) e Marcel Jobin (M75, Canadá, 1.08.28).

Nos femininos, as duas primeiras posições absolutas foram para atletas W40, Lydia McGranahan, com 52.50, e Erin Taylor-Talcott, com 53.53, ambas dos E.U. América, e a terceira para Johanna Flipsen, W60 do Canadá, com 1.00.44, todas com marcas que são recordes dos campeonatos, juntando-se ainda neste particular, Kris Kozell (W65, Canadá, 1.01.58) e Jean Horne (W85, Canadá, 1.29.27).

Segue-se para a marcha atlética outra distância de competição, os 5.000 metros masculinos e femininos, dia 21, na pista do Estádio Varsity.

Classificações
10 km masculinos - geral/escalão etário
1.º, Dmitry Babenko, M46 (Canadá), 48.25 - 1.º, M45
2.º, Michael Mannozzi, M33 (E.U. América), 51.13 - 1.º, M30
3.º, David Swarts, M54 (E.U. América), 51.14 - 1.º, M50
4.º, Etiel Soto Maldonado, M46 (México), 51.16 - 2.º, M45
5.º, Brian O' Domhnaill, M41 (Irlanda), 51.33 - extra M40
6.º, Jianping Xu, M53 (Canadá), 53.09 - 2.º, M50
7.º, Jose Luis Lopez Camarena, M69 (México), 54.28 - 1.º, M65
8.º, Joseph Julio Diaz Alicea, M42 (Porto Rico), 54.57 - 1.º, M40
9.º, Adan Méndez, M61 (México), 55.55 - 1.º, M60
10.º, Daniel O'Brien, M54 (E.U. América), 56.12 - 3.º, M50
11.º, Denis Laflamme, M65 (Canadá), 56.14 - 2.º, M65
12.º, Dave Talcott, M59 (E.U. América), 57.06 - 1.º, M55
13.º, Ivan Hernandez Veja, M54 (Porto Rico), 58.37 - 4.º, M50
14.º, Omar Nash, M45 (E.U. América), 1.00.22 - 3.º, M45
15.º, Tom Dooley, M73 (E.U. América), 1.02.33 - 1.º, M70
16.º, Marco Antonio Polo, M58 (México), 1.07.09 - 2.º, M55
17.º, Michael Blanchard, M58 (E.U. América), 1.07.39 - 3.º, M55
18.º, Marcel Jobin, M77 (Canadá), 1.08.28 - 1.º, M75
19.º, Vincent Peters, M65 (E.U. América), 1.10.39 - 3.º, M65
20.º, Michael Bartholomew, M38 (E.U. América), 1.11.14 - 1.º, M35
21.º, Timothy Chelius, M63 (E.U. América), 1.12.00 - 2.º, M60
22.º, Chuck Edwards, M73 (Canadá), 1.17.49 - 2.º, M70
23.º, Bruce Logan, M54 (E.U. América), 1.24.29 - 5.º, M50
24.º, Nigel Geohagen, M51 (Jamaica), 1.28.35 - 6.º, M50

10 km femininos - geral/escalão etário
1.ª, Lydia McGranahan, W42 (E.U. América), 52.50 - 1.ª, W40
2.ª, Erin Taylor-Talcott, W41 (E.U. América), 53.53 - 2.ª, W40
3.ª, Johanna Flipsen, W64 (Canadá), 1.00.44 - 1.ª, W60
4.ª, Kris Kozell, W66 (Canadá), 1.01.58 - 1.ª, W65
5.ª, Nicole Bégin, W60 (Canadá), 1.04.29 - 2.ª, W60
6.ª, Josefina López Serna, W64 (México), 1.06.08 - 3.ª, W60
7.ª, Marianne Martino, W69 (E.U. América), 1.06.12 - 2.ª, W65
8.ª, Yolanda Esparza Cornejo, W56 (México), 1.07.10 - 1.ª, W55
9.ª, Katharine Cashman, W58 (Canadá), 1.07.50 - 2.ª, W55
10.ª, Nicky Slovitt, W59 (Canadá), 1.09.01 - 3.ª, W55
11.ª, María E. Calleros Ramos, W59 (México), 1.10.44 - 4.ª, W55
12.ª, Bertha Mendoza Haro, W61 (México), 1.12.12 - 4.ª, W60
13.ª, Katherine Good, W61 (E.U. América), 1.15.08 - 5.ª, W60
14.ª, Gloria V. Moreno Chavez, W63 (México), 1.20.08 - 6.ª, W60
15.ª, Blanca E. Alfaro de Anda, W53 (México), 1.22.42 - 1.ª, W50
16.ª, Sharon Gruttadauro, W48 (E.U. América), 1.24.45 - 1.ª, W45
17.ª, Esperanza Campos Bernal, W62 (México), 1.25.05 - 7.ª, W60
18.ª, Ma. de J. Garcia Morales, W64 (México), 1.26.46 - 8.ª, W60
19.ª, Gloria Rodriguez Gnzalez, W71 (México), 1.28.45 - 1.ª, W70
20.ª, Jean Horne, W86 (Canadá), 1.29.27 - 1.ª, W85
21.ª, Rita Peña Vazquez, W76 (México), 1.36.52 - 1.ª, W75

sábado, 20 de julho de 2019

Listas de saída: 10.000 m femininos e masculinos (Boras 2019)

Imagens: LOC Boras. Montagem: O Marchador

Amanhã (21/7), domingo, no último dia dos Campeonatos da Europa de Atletismo Sub-20, em Boras, Suécia, realizam-se as provas de marcha de 10.000 metros femininos, às 10 horas, e 10.000 m masculinos, às 11.05 horas (horas locais).

Nos femininos, alinharão na partida 19 atletas de 12 países. Tendo em conta as marcas obtidas esta época e apenas em pista, a grega Ólga Fiáska é detentora de 46:39.06 em Katerini. Contudo, em estrada, a turca Meryem Bekmez conseguiu 44.25 em Izmir, o que faz dela a favorita para vencer. O recorde da Europa em pista é da checa Anežka Drahotová, com 42:47.25 desde Eugene-2014 e o recorde dos campeonatos é da russa Yelena Lashmanova, com 42:59.48 quando em Tallinn-2011.

Nos masculinos, serão 22 atletas de 12 países. O italiano Riccardo Orsoni conseguiu até agora o melhor registo da temporada, com as listas de saída fornecidas pela organização a indicarem 42.55,53 em Florença, a 15 de junho. Contudo, fez melhor, 42:24.56, em Roma (28/4). Os russos Viktor Burayev e Andrey Ruzavin detêm os recordes da Europa e dos campeonatos, respectivamente com 38:46.4 (Moscovo-2000) e 39:28.45 (Kaunas-2005).

As listas de saída são as seguintes:

10.000 m femininos
Dorsal/Nome/País/Ano nasc./Recorde pessoal/Marca do ano
51: Hanna Zubkova, 2001 (BLR - Bielorrússia), 50:01.13/50:01.13
52: Mariona Garcia, 2000 (ESP - Espanha), 50:20.82/51:28.73
54: Ana Pulgarin, 2001 (ESP - Espanha), 52:45.66/52:45.66
55: Mireia Urrutia, 2000 (ESP - Espanha), 50:16.14/50:16.14
56: Camille Moutard, 2001 (FRA - França), 49:48.07/49:48.07
57: Pauline Stey, 2001 (FRA - França), 49:00.36/49:00.36
58: Ólga Fiáska, 2001 (GRE - Grécia), 46:39.06/46:39.06
59: Kiriakí Filtisákou, 2000 (GRE - Grécia), 49:05.24/51:02.13
60: Dóra Csorgo, 2001 (HUN - Hungria), 54:27.10/ -
61: Niamh O´Connor, 2000 (IRL - Irlanda), 53:25.90/ -
62: Simona Bertini, 2001 (ITA - Itália), 50:41.48/50:41.48
63: Vittoria Giordani, 2001 (ITA - Itália), 49:48.82/49:48.82
64: Austeja Kavaliauskaite, 2000 (LTU - Lituânia), 50:16.42/50:16.42
65: Joana Pontes, 2000 (POR - Portugal), 49:06.31/49:06.31
66: Hana Burzalová, 2000 (SVK - Eslováquia), 49:57.70/ -
67: Meryem Bekmez, 2000 (TUR - Turquia), 44:17.69/ -
68: Evin Demir, 2001 (TUR - Turquia), - / -
69: Kader Dost, 2000 (TUR - Turquia), - / -
70: Daryna Kasyan, 2002 (UKR - Ucrânia), 50:47.38/50:47.38
Fonte: EA

10.000 m masculinos
Dorsal/Nome/País/Ano nasc./Recorde pessoal/Marca do ano
10: Mikita Kaliada, 2000 (BLR - Bielorrússia), 41:51.76/43:56.42
11: Pavel Olkohovik, 2000 (BLR - Bielorrússia), 43:33.75/ -
12: Rostislav Rožnovský, 2000 (CZE - República Checa), - / -
13: Pedro Conesa, 2001 (ESP - Espanha), 45:33.67/ -
14: Eloy Hornero, 2000 (ESP - Espanha), 44:55.78/44:55.78
15: Mattéo Duc, 2001 (FRA - França), 43:29.50/43:29.50
16: Jakob Johannes Schmidt, 2001 (GER - Alemanha), 45:12.05/45:12.05
17: Norbert Tóth, 2001 (HUN - Hungria), 47:46.41/ -
18: Máté Ferenc Varga, 2002 (HUN - Hungria), - / -
19: Aldo Andrei, 2001 (ITA - Itália), 43:34.24/43:34.24
20: Andrea Cosi, 2001 (ITA - Itália), 43:31.45/43:31.45
21: Riccardo Orsoni, 2000 (ITA - Itália), 42:51.47/42:55.53
22: Lukasz Niedzialek, 2000 (POL - Polónia), 42:10.17/43:21.11
23: Ruben Santos, 2000 (POR - Portugal), 44:33.38/ -
24: Daniel Kovác, 2001 (SVK - Eslováquia), 46:16.39/ -
25: Lubomír Kubiš, 2001 (SVK - Eslováquia), 45:30.59/ -
26: Serhat Güngör, 2002 (TUR - Turquia), - / -
27: Selman Ilhan, 2000 (TUR - Turquia), 45:33.70/ -
28: Özgür Topsakal, 2001 (TUR - Turquia), 45:09.22/ -
29: Ihor Honcharenko, 2000 (UKR - Ucrânia), 43:34.39/43:34.39
30: Taras Koretskyy, 2002 (UKR - Ucrânia), 43:37.91/43:37.91
31: Mykola Rushchak, 2003 (UKR - Ucrânia), 45:26.57/45:26.57
Fonte: EA

Lisboa acolhe os Campeonatos de Portugal 2019 de pista ao ar livre

Foto: fb Ana Cabecinha. Montagem: O Marchador

O Estádio Universitário de Lisboa vai receber este fim de semana a edição n.º 104 dos Campeonatos de Portugal em pista ao ar livre, a 82.ª na vertente feminina, prevendo-se a participação das maiores figuras da modalidade isto, pelo menos, válido para a disciplina da marcha atlética que terá em João Vieira, Ana Cabecinha e Inês Henriques os principais nomes inscritos para a competição.

As provas de marcha, que entraram no programa dos campeonatos em 1979 (masculinos) e em 1981 (femininos) e que há dias, no nosso blogue, assinalamos o 40.º aniversário da edição inaugural masculina, serão realizadas na jornada de sábado, pelas 20:20 horas, tanto no setor masculino como no feminino na distância de 10.000 metros. Na prova masculina (pistas 1 a 4) inscreveram-se 11 atletas, igual número registado para a prova feminina (pistas 5 a 8), também com 11 atletas inscritas.

João Vieira (Sporting CP) e Inês Henriques (CN Rio Maior) são os detentores do título nacional na distância, o primeiro, que venceu consecutivamente nas últimas quatro edições, é o marchador masculino que mais vezes se sagrou campeão (nas últimas 20 edições venceu 17!) e um dos mais consagrados na modalidade enquanto a segunda quebrou no ano passado o domínio de Ana Cabecinha (CO Pechão) que vencera nas quatro edições anteriores e que nos últimos 20 anos se sagrou 8 vezes campeã. No mesmo período Susana Feitor subiu ao lugar mais alto do pódio por 7 vezes e Inês Henriques por 5 vezes.

Para estes campeonatos, organizados conjuntamente pela Federação Portuguesa de Atletismo e pela Associação de Atletismo de Lisboa, para as provas de marcha será implementada uma zona de penalização (permanência de 1 minuto), como tem sido usual na corrente época, usando-se para o caso de algum atleta registar 3 faltas (à 4.ª é desclassificado) dos juízes de marcha.

Os recordes dos campeonatos, que também são de Portugal, estão na posse de João Vieira, com 39.44,91 (2011) e de Ana Cabecinha, com 43.08,17 (2008).

A listagem geral de atletas inscritos pode ser consultada na página da FPA, aqui.

sexta-feira, 19 de julho de 2019

Festival Olímpico da Juventude Europeia, a partir de domingo

Imagens: LOC Baku 2019. Montagem: O Marchador

No próximo domingo, dia 21, e até 27 de Julho, terá lugar em Baku, no Azerbeijão, a 15.ª edição do Festival Olímpico da Juventude Europeia (Verão), evento que engloba 10 modalidades, entre as quais o atletismo, com a presença cerca de 3.600 atletas, dos 14 aos 18 anos, e oficiais de 48 Comités Olímpicos Europeus.

O atletismo inicia-se no dia 22, e a marcha atlética, a estrear-se no evento, tem provas de 10.000 metros masculinos logo nesse dia, e de 5.000 metros femininos, dia 26/7, ambas às 20.15 horas (hora local).

A 1.ª edição do evento foi disputada em 1991, em Bruxelas, Bélgica, com a designação, e até 2003, de Jornadas Olímpicas da Juventude Europeia.

A edição de 2021 tem já local definido: Banska Bystrica, Eslováquia.

Juízes portugueses em atuação no estrangeiro

As equipas de juízes internacionais de marcha em Nápoles e Gavle.
Fotos: fb de José Ganso e Mara Baleani.
Montagem: O Marchador

Neste mês de julho a arbitragem portuguesa na modalidade do atletismo tem estado em foco com a participação de seus representantes ao mais alto nível em eventos realizados no estrangeiro, com a particularidade de dois dos juízes internacionais de marcha portugueses terem sido nomeados para atuar em três dos quatro eventos internacionais (mais nenhum país regista tal representatividade) que tiveram ou vão ter lugar neste mês (o outro, em Baku, no Azerbeijão, é o Festival Olímpico da Juventude Europeia), um sinal de reconhecimento dos organismos internacionais pela qualidade do setor no nosso país, cuja mediatização ou mesmo a divulgação de tais situações no plano nacional é inexistente.

A primeira das competições internacionais disputadas foram as trigésimas Universíadas de Verão que se realizaram em Nápoles (Itália), com a presença de José Ganso, juiz filiado no Conselho de Arbitragem de Setúbal, que integrou uma equipa constituída igualmente por Rolf Müller (Alemanha), juiz-chefe, Orsolya Gruber (Hungria), Alexandru Stefan (Roménia), Hans van der Knaap (Holanda) e Janusz Krynicki (Polónia).

A segunda competição teve lugar neste fim de semana com a realização da edição n.º 12 dos Campeonatos da Europa de Sub-23 em Gävle (Suécia), com a atuação de Joaquim Graça, juiz do Conselho de Arbitragem de Lisboa, que fez parte da equipa formada ainda por Sergio Solana (Espanha), juiz-chefe, Ian Richards (Grã-Bretanha), Shaun Gallagher (Irlanda), Jens Grünberg (Alemanha) e Mara Baleani (Itália).

E o terceiro dos eventos internacionais de julho está aí á porta com a 25.ª edição dos Campeonatos da Europa de Sub-20, que terão lugar em Boras, também na Suécia, cidade localizada a sul do país (a 60 quilómetros de Gotemburgo), uma competição com muita história, que se realiza desde 1970 e que Portugal foi o país anfitrião em 1994. De novo, José Ganso - quase sem tempo para desfazer a mala…, intervirá no evento que se realiza de 18 a 21 deste mês, com as duas provas de marcha agendadas para a manhã do próximo domingo. Além do juiz português atuarão ainda Frédéric Bianchi (Suíca), juiz-chefe, Bent Bundgaard (Dinamarca), Alicia Ruano (Espanha), Jenni Lahtinen (Finlândia) e Noel Carmody (Grã-Bretanha). De notar, também, a presença do português Samuel Lopes (Oficial Técnico Internacional), que presidirá ao Júri de Apelo.

quinta-feira, 18 de julho de 2019

Marcha para Todos em Troussey, França (resultados)

Partida dos 10 km, com os vencedores Philippe Bibet (dorsal 623)
e Elise Buaud (621), e provas para os mais jovens.
Fotos: Comité organizador local
Montagem: O Marchador

No Dia Nacional de França, a 14 de Julho, a pequena localidade de Troussey, na região administrativa de Grande Leste acolheu a 36.ª edição do evento de Marcha para Todos (126 participantes), integrando ainda provas para os mais jovens e, como prova principal, os 10 km masculinos e femininos a contar para o Critério Regional e Campeonato de Meuse.

Conforme nos relata o nosso correspondente Emmanuel Tardi, também ele participante, foram 26 os atletas masculinos e femininos que alinharam nos 10 km, com partida e chegada em frente à câmara municipal, obtendo fáceis vitórias, Philippe Bibet (US Toul), com 50.55, nos masculinos, e Elise Buaud, do A2M Metz, com 54.42.

Principais classificações
10 km masculinos
1.º, Philippe Bibet (US Toul), 50.55
2.º, Arthur Bonnomet (COCAA Chalons), 51.35
3.º, Julien Rey (COCAA Chalons), 56.54
4.º, Daniel Siegenfuhr (E.S. Thaon), 58.10
5.º, William Pfister (ASM Bar Le Duc), 58.58
6.º, Pascal Tournois (ASM Bar Le Duc), 59.02
7.º, Gildas Gros (Cis Anould), 1.00.20
8.º, Denis Honorez (COCAA Chalons), 1.02.22
9.º, Thierry Florentin (AVEC Mirecourt), 1.03.59
10.º, Mickael Jacquemin (AVEC Mirecourt), 1.06.22
11.º, Joél Jacquemin (AVEC Mirecourt), 1.06.43
12.º, Guy Tabouret (Us Toul), 1.07.09
13.º, Dominique Vo (ACHM St Dié des Vosges), 1.13.58
14.º, Mickael Guillot (AC Château Thierry), 1.15.19
15.º, Emmanuel Tardi (LP Longjumeau), 1.17.17
16.º, Michel Thomas (ASM Bar Le Duc), 1.24.36
17.º, Daniel Chamagne (ASM Bar Le Duc), 1.31.01

10 km femininos
1.ª, Elise Buaud (A2M Metz), 54.42
2.ª, Valérie Boban (AVEC), 56.55
3.ª, Axelle Picard (Nancy Athlé ètropole), 57.05
4.ª, Lucie Rodriguez (COCAA Chalons), 1.01.00
5.ª, Catherine Florentin (AVEC Mirecourt), 1.03.04
6.ª, Claudine Anxionnat (AVEC Bruyères), 1.09.09
7.ª, Svetlana Barthelemy (ASM Bar Le Duc), 1.10.11
8.ª, Yvette Siegenfuhr (E.S. Thaon), 1.11.36
9.ª, Dominique Cochin (E.S. Thaon), 1.11.47

Colaboração: Emmanuel Tardi

De novo na Suécia, em Boras, para os Campeonatos da Europa de Sub-20

Imagens: LOC Boras. Montagem: O Marchador

A partir de hoje (18) e até dia 21, a cidade sueca de Boras será palco de mais uma edição, a 25.ª, dos Campeonatos da Europa de Atletismo para atletas da categoria de Sub-20, estando inscritos 1114 atletas (588 masculinos e 526 femininos) em representação de 48 países.

As provas de marcha serão disputadas na distância de 10.000 metros e integralmente na pista do Complexo Desportivo de Ryavallen, em Boras, ambas agendadas para o último dia dos campeonatos (domingo, dia 21), a feminina às 10 horas e a masculina às 11.05 horas (horas locais).

De acordo com as inscrições finais [aqui], serão 22 marchadores masculinos, de 12 países, e 20 femininos, também de 12 países.

Os juízes internacionais de marcha encarregados de avaliar a progressão regulamentar dos concorrentes serão, Frédéric Bianchi (Suíça), o juíz-chefe, Bent Bundgaard (Dinamarca), Alicia Ruano (Espanha), Jenni Lahtinen (Finlândia), Noel Carmody (Grã-Bretanha) e José Ganso (Portugal).

quarta-feira, 17 de julho de 2019

Meeting de La Roche sur Yon, França (resultados)

A vencedora feminina e a frente da prova masculina.
Fotos: Ma ville solidaire e Actu/JPY
Montagem: O Marchador

A 33.ª edição do Meeting de Atletismo La Roche sur Yon, em França, teve lugar na 6.ª feira (12/7), no Estádio Jules-Ladoumègue, numa organização do Athletic Club La Roche sur You, com provas de marcha de 5.000 metros masculinos e femininos.

Vitórias destacadas de Kévin Campion, do AFA Feyzin-Venissieux, com um novo recorde do meeting de 19.37,22, atleta que já detém marca de qualificação para os Jogos de Tóquio de 2020, e da sub-20 Maele Terrec, do AC Roche-sur-Yon, com 23.55,84, que encerrou a presente época.

Em disputas mais acesas para os restantes lugares do pódio, classificaram-se, nos masculinos, Aurélien Quinion (AC St Gratien-Sann), com 20.20,49, e Keny Guinaudeau (AC Roche-sur-Yon), com 20.20,71, e nos femininos, Loanie Cellard, 1998 (Carquefou AC), com 24.50,00, e Maeva Casale (CA Balma), com 24.57,98.

Classificações
5.000 m masculinos
1.º, Kevin Campion, 1988 (AFA Feyzin-Venissieux), 19.37,22
2.º, Aurelien Quinion, 1993 (EFCVO - S/l AC St Gratien-Sann), 20.20,49
3.º, Keny Guinaudeau, 1993 (AC Roche-sur-Yon), 20.20,71
4.º, Kyrian Vallee, 1994 (CA Balma), 21.25,14
5.º, Maxime Lecaplain, 1994 (EAMH - S/l U.S.O Mondeville), 22.26,97
6.º, Alexis Robichon, 2000 (AC Roche-sur-Yon), 22.44,69
7.º, Adrien Landras, 2003 (CA Balma), 24.42,49

5.000 m femininos
1.ª, Maele Terrec, 2001 (AC Roche-sur-Yon), 23.55,84
2.ª, Loanie Cellard, 1998 (Carquefou AC), 24.50,00
3.ª, Maeva Casale, 1997 (CA Balma), 24.57,98
4.ª, Elisabeth Brunet, 1986 (Tarbes Pyrenees Athletisme), 25.18,83
5.ª, Camille Aurriere, 1998 (US St Berthevin), 25.51,53
6.ª, Bertille Peslerbe, 1998 (EA Pays de Broceliande), 26.49,39
Desistente: Marion Rouland, 1990 (Stade Dieppois).

Colaboração: Emmanuel Tardi

Katie Burnett evidencia-se nos 50.000 m em San Diego, E.U. América

Katie Burnett e o registo nos 50.000 m em pista em San Diego.
Foto: USATF San Diego

Sábado passado (14/7) na pista do Estádio Balboa, em San Diego, nos Estados Unidos da América, Katie Burnett obteve a marca de 4 horas 29 minutos 45 segundos e 56 centésimos nos 50.000 metros marcha (125 voltas à pista de 400 metros), registo que supera a qualificação (4.30.00) para os próximos Campeonatos do Mundo de Atletismo em Doha (27 de setembro a 6 de outubro).

Burnett, que foi quarta classificada nos mundiais de Londres 2017, onde bateu o recorde nacional de estrada (4.21.51), passa a deter a melhor marca mundial da distância na pista de San Diego, numa prova participada por 7 atletas (4 femininos e 3 masculinos) em que apenas ela terminou.

De notar que a atleta encontra-se selecionada para participar nos 50 km dos Jogos Pan-americanos de Lima, prova que, caso venha a realizar, está agendada para o dia 11 de agosto!

Os resultados completos podem ser consultados, aqui.

Fonte: USATF San Diego

terça-feira, 16 de julho de 2019

Pedro Dias e Bruna Marques vitoriosos em Fátima (sub-18)

Em Fátima, a frente da prova feminina e o pódio masculino.
Fotos: LMModesto e Clube Oriental de Pechão
Montagem: O Marchador

Pedro Dias, do Clube Oriental de Pechão (Algarve), e Bruna Marques, do Clube de Futebol de Oliveira do Douro (Porto), alcançaram os títulos nacionais de 5.000 metros marcha na categoria de sub-18 por ocasião dos campeonatos ao ar livre realizados na pista de Fátima (13-14/7).

Pedro Dias, que em 2018 subira à terceira posição do pódio em Vagos, chegou agora ao lugar mais alto e com a marca de 22.30,51, sendo acompanhado por Filipe Loureiro, do CF Oliveira do Douro, com 22.36,96, e Tiago Ramos, do CA Tunes, com 22.53,51, todos a registarem recordes pessoais. Participaram 12 atletas.

Bruna Marques, que tinha sido nona classificada nos campeonatos do ano passado, conquistou o título nacional já nos metros finais da prova e com um novo recorde pessoal de 24.39,06, suplantando Adriana Viveiros, da ADR Água de Pena, com 24.41,65. Inês Mendes, do CN de Rio Maior, com 24.46,33, recorde pessoal, repetiu a terceira posição de 2018. Foram 17 as participantes.

Se bem que as marcas dos atletas dos pódios tenham sido muito equilibradas, e no setor feminino pela primeira vez todas abaixo dos 25 minutos, os recordes dos campeonatos continuam a vigorar, nos masculinos, desde 1994, com 21.33,71 obtido por Pedro Veríssimo, e nos femininos, desde 2006, com 24.15,38 conseguido por Catarina Godinho.

Entretanto, e como já noticiado, a Federação Portuguesa de Atletismo selecionou os atletas Pedro Dias e Adriana Viveiros para o Festival Olímpico da Juventude Europeia (Baku, 20 a 28/7).

Classificações
5.000 m masculinos
1.º, Pedro Dias, 2003 (C Oriental Pechão), 22.30,51
2.º, Filipe Loureiro, 2003 (A Clube Alfenense), 22.36,96
3.º, Tiago Ramos, 2003 (C Atletismo Tunes), 22.53,51
4.º, Guilherme Rodrigues, 2004 (Sporting CP), 24.40,86
5.º, Guilherme Alves, 2003 (C Atletismo Tunes), 25.20,15
6.º, João Santos, 2004 (C Atletismo Tunes), 27.25,06
7.º, Lourenço Rodrigues, 2004 (Juventude Ilha Verde), 27.27,95
8.º, João Correia, 2005 (Juventude Ilha Verde), 27.56,93
9.º, Tiago Sucena, 2004 (GCA Donas), 27.58,56
10.º, Rafael Pereira, 2003 (C Desp Quarteira), 29.03,61
11.º, Diogo Nobre, 2005 (C Atletismo Tunes), 29.06,98
12.º, Filipe Fernandes, 2005 (C Desp Quarteira), 29.14,95

5.000 m femininos
1.ª, Bruna Marques, 2002 (CF Oliveira Douro), 24.39,06
2.ª, Adriana Viveiros, 2002 (ADR Água de Pena), 24.41,65
3.ª, Inês Mendes, 2003 (CN de Rio Maior), 24.46,33
4.ª, Marta Freitas, 2003 (CF Oliveira Douro), 26.21,60
5.ª, Margarida Sá, 2002 (CCD Leões Floresta), 26.39,54
6.ª, Samanta Zueva, 2005 (Nascidos para Correr), 26.40,69
7.ª, Mariana Mestre, 2004 (C Oriental Pechão), 28.07,60
8.ª, Constança Silva, 2004 (G Desp Pedreiras), 28.14,17
9.ª, Filipa Diamantino, 2002 (ACS João da Serra), 28.29,49
10.ª, Marta Faria, 2004 (G Desp Estreito), 28.36,65
11.ª, Juliana Peres, 2002 (CN de Rio Maior), 28.36,74
12.ª, Inês Mateus, 2002 (A Clube Alfenense), 28.46,07
13.ª, Beatriz Dionisio, 2002 (ACD Cotovia), 29.00,28
14.ª, Catarina Costa, 2002 (GA Casais do Vento), 29.37,59
15.ª, Daniela Gonçalves, 2003 (C Atletismo Tunes), 30.08,25
Desistentes: Beatriz Gonçalves, 2004 (ACS João da Serra) e Juliana Veríssimo, 2002 (C Atletismo Terceira).

Evocação e tributo a José Galvão

José Galvão, lançador de peso e apresentador/comentador da RTP,
em reportagem de uma prova de marcha em Queluz (1975), com
Raymond Ismal. Fotos: blogue Santa Nostalgia e arquivo Aires Denis
Montagem: O Marchador

José António da Silva Galvão, se fosse vivo, faria hoje 87 anos de idade. Nascido em Lisboa, a 16 de julho de 1932, Galvão teve uma longa carreira no atletismo sagrando-se por 17 vezes campeão nacional, 12 vezes no peso e 5 no disco. Representou as cores da seleção nacional por 34 vezes sendo, ainda nos dias de hoje, um dos atletas portugueses mais internacionais de sempre.

Conhecido pelo seu espírito folgazão, com sentido de humor e sempre predisposto para a brincadeira, era um nome carismático da RTP, realizando os comentários das provas de atletismo nas transmissões de eventos nacionais e internacionais da modalidade tendo sido ainda o responsável por cursos no Centro de Formação da RTP.

Há um episódio que registamos muito positivamente. Em 1978, no quarto ano de implantação da marcha atlética em Portugal, e num tempo em que não era nada fácil congregar apoios para a causa desta disciplina, na delegação de Lisboa que acudiu ao encontro internacional Barcelona-Madrid-Lisboa-Genebra, Galvão era simultaneamente o repórter da RTP escalado para cobrir o acontecimento e um dos atletas selecionados pela AAL.

Na noite de sábado, decorrida que foi a primeira jornada do encontro de atletismo, que teve lugar na pista do Estádio Joan Serrahima, após o jantar, José Galvão, Jorge Grave, Ferreira Gonçalves (dirigente da AA Lisboa) e outros conversavam animadamente na sala principal de uma unidade hoteleira de Barcelona. Quando Galvão se apercebe que no grupo se encontravam dois jovens marchadores que iriam estrear-se, na manhã seguinte, num evento internacional, participando na prova dos 10.000 metros marcha, muda o tema da conversa falando sobre os aspetos técnicos da especialidade, os atletas mais em voga daqueles tempos, isto com um nível de conhecimentos que muito os surpreendeu, e com palavras de incentivo.

Foi o primeiro repórter da RTP (a única existente nesses tempos) a cobrir um evento de marcha atlética em Portugal que o francês Raymond Ismal havia organizado em Queluz, no ano de 1975, e a mostrar ao país o que era a disciplina nos seus específicos contornos técnico-regulamentares e cuja imagem aqui publicamos.

José Galvão viria a falecer em 1993, com apenas 60 anos de idade, de cancro. O seu filho, António Galvão, revelar-se-ia no salto em altura.

Aqui fica a nossa simbólica homenagem!

segunda-feira, 15 de julho de 2019

Os Primeiros Campeonatos de Portugal com a Marcha Atlética

Foto: Endurance1963. Montagem: O Marchador

Foi em 15 de julho de 1979, faz hoje 40 anos, uma idade bonita, que a marcha atlética foi introduzida nos Campeonatos de Portugal de pista, por força dos esforços empreendidos pelo Clube Português de Marcha Atlética junto da Federação Portuguesa de Atletismo, avalizados por José Correia da Cunha, o seu presidente, e Eduardo Cunha, diretor-técnico nacional.

Foram anos de muito esforço, muita persistência e que levaram à realização de muitas reuniões de trabalho pelo meio para que a disciplina, que cinco anos antes dera os seus primeiros passos em Portugal, pudesse ser integrada a pleno direito nuns campeonatos nacionais, em 1979 no setor masculino, e em 1981 no feminino e nos juniores (Sub-20) e juvenis (Sub-18).

No primeiro ano da sua implantação, atendendo ao patamar de evolução da especialidade em Portugal, a competição masculina foi realizada sobre 10.000 metros, na pista de tartan do Estádio Nacional, a única que no nosso país reunia naquele tempo as condições para a organização de eventos nacionais de atletismo. Nas duas décadas seguintes o figurino competitivo contemplou a distância de 20 km (homens), e de 10 km (mulheres).

Naquele dia 15 de julho de 1979 Paulo Alves (CF Santa Iria), júnior de primeiro ano, sagrar-se-ia o primeiro campeão português na disciplina, aproveitando um período de grande notoriedade que se revelaria ainda de maior fulgor no primeiro semestre de 1980, ano em que estabeleceu vários recordes nacionais absolutos, principalmente nas distâncias de 5.000 e 10.000 metros mas, também, nos 20 quilómetros (estrada).

Dos resultados obtidos naqueles 10.000m marcha do Jamor reza a história que o pódio ficou completo com os nomes de Dinis Santos, voluntarioso atleta que representava o CA Santa Cruz, agremiação desportiva sediada na zona de Benfica, e o grande José Pinto, pelo SL Benfica, que viria a ser figura de proa da marcha atlética portuguesa, especialmente na década de 80, vencendo consecutivamente as cinco edições seguintes dos Campeonatos de Portugal, já em representação do CF Belenenses.

De um total de 8 participantes, registe-se os nomes dos restantes atletas na prova: Rui Oliveira (juvenil), 4.º (SL Benfica), José Dias, 5.º (SL Benfica), Avelino Ferreira, 6.º (C Veteranos Atletismo), Carlos Santos, 7.º (AD Oeiras) e Francisco Alves, desclassificado (Sporting CP).

domingo, 14 de julho de 2019

Vasiliy Mizinov (ANA) conquista título europeu de Sub-23 num final dramático


Em Gavle, um final empolgante nos 20 km masculinos
entre Salih Korkmaz e Vasily Mizinov, com vitória deste.
Em cima, Mizinov com a treinadora Elena Sayko.
Fotos: Federação de Atletismo da Rússia e Streaming EA
Montagem: O Marchador
O russo Vasiliy Mizinov, a competir sob bandeira neutra, conquistou esta tarde o título europeu na prova dos 20 km marcha que teve lugar na cidade sueca de Gavle, num final verdadeiramente emocionante, ultrapassando o turco Salih Korkmaz que parecia ter o título garantido, tal a superioridade evidenciada ao longo de quase toda a prova.

Mizinov completou as vinte voltas ao circuito no tempo de 1:21:29 confirmando o favoritismo que lhe era atribuído, alicerçado no seu recorde pessoal de 1:18:32 de março deste ano em Sochi, e ainda noutra marca de grande nível, 1:18:41, obtido a 8 de junho deste ano, na Corunha, onde fora 5.º classificado. Durante largo período de tempo seguiu, a uma distância considerável, na perseguição de Salih e foi no último quilómetro/volta que acelerou, com 3 minutos e 46 segundos, sofrendo a segunda falta, para conquistar a medalha de ouro.

O inglês Callum Wilkinson conquistou a medalha de bronze. Este, que sofrera duas faltas, foi “obrigado” a moderar o seu ritmo para garantir a terceira posição do pódio com o tempo de 1:22:13, e a primeira medalha ganha por um atleta britânico nas 12 edições dos europeus da categoria.

Salih Korkmaz (medalha de prata) sentiu problemas físicos (parou para vomitar, pelo menos, duas vezes), vendo-se ultrapassado pelo atleta russo a escassos 50 metros da meta, ele que chegara a ter uma apreciável vantagem de cerca de 1 minuto sobre o atleta russo. Com 1:21:32 bateu o recorde nacional absoluto (e o de Sub-23) da Turquia por cinco segundos.

É notável o crescimento da marcha atlética na Turquia graças a um grande trabalho empreendido nos últimos quatros anos por Mustafa Akyavas, responsável pela disciplina na Federação de Atletismo da Turquia, que contratou os serviços de uma treinadora russa, para a vertente técnica.

São bem visíveis os resultados obtidos no plano internacional pelos jovens marchadores turcos, que ganharam em Gavle as duas primeiras medalhas em europeus da categoria e ainda têm nas suas fileiras a sua menina querida, Meryem Bekmez (4 medalhas em europeus e mundiais sub-18 e sub-20), jovem que completará 19 anos a 31 deste mês e que no mês passado, na Corunha, bateu o recorde do seu país com um tempo de 1:29:36 nos 20 km marcha, e se despedirá dos Sub-20 participando no próximo fim de semana nos Europeus de Boras.

Classificação
20 km masculinos
1.º, Vasiliy Mizinov, 1997 (ANA - Neutro), 1.21.29
2.º, Salih Korkmaz, 1997 (TUR - Turquia), 1.21.32
3.º, Callum Wilkinson, 1997 (GBR - Grã-Bretanha), 1.22.13
4.º, Eduard Zabuzhenko, 1998 (UKR - Ucrânia), 1.23.54
5.º, Manuel Bermúdez, 1997 (ESP - Espanha), 1.24.17
6.º, Abdulselam Imük, 1999 (TUR - Turquia), 1.24.34
7.º, Dzmitry Lukyanchuk, 1997 (BLR - Bielorrússia), 1.24.41
8.º, Iván López, 1997 (ESP - Espanha), 1.24.59
9.º, David Kenny, 1999 (IRL - Irlanda), 1.25.43
10.º, Viktor Shumik, 1998 (UKR - Ucrânia), 1.26.18
11.º, Vít Hlavác, 1997 (CZE - República Checa), 1.26.55
12.º, Cameron Corbishley, 1997 (GBR - Grã-Bretanha), 1.27.07 z.p.
13.º, Oleh Svystun, 1997 (UKR - Ucrânia), 1.27.49
14.º, Giacomo Brandi, 1998 (ITA - Itália), 1.28.36
15.º, Niccolò Coppini, 1997 (ITA - Itália), 1.29.18
16.º, David Kuster, 1999 (FRA - França), 1.30.06
17.º, José Manuel Pérez, 1999 (ESP - Espanha), 1.30.45
18.º, Ettore Grillo, 1997 (ITA - Itália), 1.37.44
19.º, Dominik Cerný, 1997 (SVK - Eslováquia), 1.38.14
Desistente: Gabriel Bordier, 1997 (FRA - França).
Desclassificado: Yeóryios Tzatzimákis, 1999 (GRE - Grécia).