quarta-feira, 8 de fevereiro de 2023

Marchadores franceses revoltados com exclusão dos Nacionais de Elite

Imagens: IG Yohann Diniz e Federação Francesa de Atletismo
Montagem: O Marchador

Os marchadores franceses manifestaram-se surpreendidos e revoltados com a exclusão da marcha atlética dos Campeonatos de França de Atletismo de Elite em pista coberta, anunciada recentemente pela Federação Francesa de Atletismo (FFA). Os campeonatos terão lugar em Aubière, nos arredores de Clermont-Ferrand, a 18 e 19 de fevereiro, e o programa divulgado não inclui as habituais competições de marcha de 3000 m femininos e 5000 m masculinos (nem de provas combinadas), decisão alegadamente tomada sem considerar a opinião dos interessados, a começar pelos atletas, mas também treinadores e dirigentes da disciplina.

O assunto começou a dar polémica quando alguns atletas divulgaram a informação nas redes sociais, considerando-a incompreensível, sobretudo por ter sido garantido pouco tempo antes pela FFA que as provas de marcha seriam mantidas no programa dos campeonatos de elite. Além disso, a reprovação da ideia de exclusão tinha sido geral entre os marchadores franceses daquele nível competitivo e outros «especialistas do terreno».

Segundo divulgado pelo diário desportivo «L'Équipe» na edição de 24 de janeiro, a decisão de passar a marcha para uns Campeonatos de França de Provas Combinadas e Marcha, a 11 e 12 de fevereiro em Val-de-Reuil, terá sido ratificada numa reunião federativa a 8 de novembro, mas entrando em contradição com as informações transmitidas poucos dias antes aos atletas pela Comissão Nacional de Marcha, que tinha garantido estar fora de questão o afastamento das provas da disciplina dos Campeonatos de Elite.

O jornal acrescentava que, nesse início de Novembro, a Comissão Nacional de Marcha era presidida por Dominique Plée, que se demitiria poucos dias mais tarde, sendo substituído por Maryse Breton, surgindo então a deliberação federativa de exclusão da marcha.

Questionado em meados de Janeiro pelo mesmo diário desportivo sobre a exclusão da marcha atlética dos Campeonatos de Elite, o presidente da FFA, André Giraud, respondia afirmando que iria haver um campeonato de França de elite em pista coberta, integrado num programa envolvendo todas as categorias da disciplina, em conjunto com as provas combinadas. E acrescentava que o objectivo era o de reunir toda a família da marcha num mesmo local.

Em sentido semelhante manifestou-se o diretor técnico nacional, Patrick Ranvier, que se queixou de incompreensão e afirmou existir a vontade da federação de atrair mais atenção para a marcha, juntando as famílias da disciplina numa manifestação comum. «Isto não é para aborrecer os marchadores, sobretudo porque a federação considera a marcha um sector em franco crescimento», declarou, depois de ter sublinhado que a marcha atlética já não conta para as competições internacionais de pista coberta.

As reacções dos marchadores franceses não se fizeram esperar e revelaram-se num repúdio uníssono da decisão federativa.

O recordista mundial dos 50 km, Yohann Diniz, afirmou não compreender como se retira as bases a uma geração como a que a marcha francesa tem actualmente. «Os resultados falam por si, tanto entre os marchadores seniores como nos mais novos. Estão a tirar-lhes as únicas duas competições com visibilidade em França, os campeonatos de elite de pista coberta e ao ar livre, nos quais se junta o atletismo no seu conjunto. Desde que me afastei, a nossa disciplina tem sido alvo da maior injustiça», afirmou, lembrando que o problema que agora se sente na pista coberta envolve também os campeonatos absolutos de Verão.

Aurélien Quinion afina pelo mesmo diapasão e procura explicação para a decisão da federação. «Nos campeonatos de elite de pista coberta, as provas de marcha já eram muitas vezes marcadas para a jornada de domingo, por volta do meio-dia, a par das provas combinadas, quando ainda há muito pouca gente nas bancadas, portanto, nem pode dizer-se que a marcha aborreça muito», comenta, para de seguida se manifestar, apesar de tudo, pouco surpreendido com a exclusão: «Por um lado, estamos numa época em que se valoriza os desportos da moda e do espectáculo televisivo. E percebemos que a noção de 'show' é o critério da federação. Por outro, o que mais me incomoda e desaponta é que a minha federação, que devia estar na primeira linha da defesa dos seus atletas e das suas disciplinas, está a contribuir para o desaparecimento da marcha.»

Único marchador francês nos últimos mundiais de atletismo, em Eugene (EUA), Quinion considera que «a marcha faz parte do atletismo e onde estiver o atletismo tem de estar a marcha». E conclui lembrando que, em França, a marcha nórdica e a marcha atlética contam com mais de nove milhões de praticantes, sendo por isso o terceiro desporto mais praticado pelos franceses.

Kévin Campion lembra, por sua vez, que muitos marchadores se treinam durante todo o Inverno para poderem participar nos campeonatos de elite de pista coberta. Defendendo que os marchadores devem estar disponíveis para ouvir as razões federativas, devendo uns e outros estar prontos para dialogar, assinala que, no seu caso concreto, foi num campeonato de elite que conheceu o momento atlético mais extraordinário: «O maior momento que vivi foi nos campeonatos de elite de 2016, em Angers. A prova foi disputada à tarde e estava um ambiente de loucura no relvado e nas bancadas que nos incentivava. É para viver momentos como esse que nos treinamos e, se nos tirarem isso, sabendo que muitas vezes treinamos sozinhos, ficamos a perguntar-nos se vale a pena continuar.»

Gabriel Bordier é mais direto e encara a decisão da Federação Francesa de Atletismo como um golpe contra a marcha. «Não sei porque fazem isto. É um golpe no moral [dos marchadores], dando a impressão de que a marcha é uma disciplina menor, em relação às outras», afirma. E considera também incompreensível a alternativa proposta pela federação de uns campeonatos de marcha de todas as categorias, dado não lhe parecer razoável misturar seniores com atletas mais jovens.

A um ano e meio dos Jogos Olímpicos de Paris, não era certamente de constrangimentos desta natureza que os marchadores franceses precisavam. Com os sucessos que a marcha de França alcançou no plano internacional nos últimos anos através dos seus maiores expoentes, a aproximação dos Jogos Olímpicos «em casa» afigura-se como uma grande oportunidade para o enriquecimento e o crescimento da disciplina nos diferentes planos de competição, organização e formação. Por agora, parece que está a impor-se o afastamento da marcha em relação à família global do atletismo. Poderá o bom senso prevalecer?

terça-feira, 7 de fevereiro de 2023

Cosi, Mihai (sub-23), Giampaolo e Traina (sub-20) conquistam títulos italianos em pista coberta - Ancona 2023

Os campeões italianos de pista coberta 2023, Andrea Cosi e Alexandrina Mihai (sub-23),
e Diego Giampaolo e Giada Traina (sub-20). Fotos: Fabio Girotti/FIDAL
Montagem: O Marchador

Os Campeonatos de Itália de Sub-20 e Sub-23 em pista coberta tiveram lugar neste fim-de-semana (4-5 fevereiro), em Ancona, numa organização da FIDAL MARCHE – Ancona, com as provas de marcha a realizarem-se na jornada de sábado, no habitual formato de 3.000m femininos e 5.000m masculinos.

Sub-20

Os 3.000 metros femininos deram o título a Giada Traina (Atletica Livorno) num emocionante despique com Giulia Gabriele (Fiamme Gialle Simoni) com menos de dois segundos a separá-las tendo levado a melhor a finalista dos últimos Mundiais da categoria, em Cali, que realizou o tempo de 13:20.97, enquanto Giulia obtinha o segundo lugar do pódio com o tempo de 13:22.14, ambas as atletas a melhorarem os seus melhores registos pessoais na distância por quase 50 segundos, constituindo a quinta e sexta melhor marca de todos os tempos na categoria. A fechar o pódio, Sofia Fiorini (Atl. Libertas Unicusano Livorno), com 14:26.79.

Nos 5.000 metros masculinos vitória de Diego Giampaolo (Fiamme Gialle Simoni) com o tempo de 19:52.03, o quarto melhor registo italiano na categoria obtido por este atleta que conquistou no Mundial de Seleções de Marcha deste ano a medalha de prata. Andrea Di Carlo (Studentesca Rieti Milardi) foi vice-campeão com o tempo de 22:26.11, fechando o pódio Ivan Ragozzino (Pol. Tethys Chieti), com 22:41.36.

Sub-23

Na prova feminina de 3.000 metros, triunfo muito confortável de Alexandrina Mihai (Atl. Brescia), a recente vencedora dos 20 km marcha de Milazzo, que obteve o tempo de 12:58.25. Segunda posição de Vittoria Di Dato (Atl. Varese) com 13:47.56, e terceiro lugara para Sara Buglisi (Athletic Club 96 Alperia) com 14:17.41.

Na prova masculina de 5.000 metros, Andrea Cosi (Atletica Firenze Marathon) foi o esperado vencedor obtendo o tempo de 19:44.93, ele que atravessa um excelente momento para este início de época como se comprova pelo seu recente recorde pessoal nos 20 km de Milazzo (1:21:39). Restantes posições do pódio para Nicola Lomuscio (Amatori Atl. Acquaviva) com 20:52.95, sofrendo uma penalização de 30 segundos, e para Giulio Scoli (Atletica Livorno), com 21:05.06.

Fonte: FIDAL

Classificações
5.000 m sub-23 masculinos
1.º, Andrea Cosi, 2001 (Atletica Firenze Marathon S.S.), 19:44.93
2.º, Nicola Lomuscio, 2003 (Amatori Atl. Acquaviva), 20:52.95 z.p.
3.º, Giulio Scoli, 2001 (Atletica Livorno), 21:05.06
4.º, Filippo A. Capostagno, 2002 (Fiamme Gialle G. Simoni), 22:04.70
5.º, Luigi Reis, 2003 (Trieste Atletica), 22:10.80
6.º, Pietro Marchetti, 2002 (U.S. Quercia Trentingrana), 23:02.70 z.p.
7.º, Matteo Piervincenzi, 2003 (Atl.Stud. Rieti Andrea Milardi), 23:25.28
8.º, Mattia Grilli, 2003 (Atletica Civitanova), 24:14.78
9.º, Claudio De Santis, 2003 (Atl.Libertas Unicusano Livorno), 25:54.22
Desclassificado: Thomas Borzi, 2003 (Atletica Grosseto Banca Tema).

3.000 m sub-23 femininos
1.ª, Alexandrina Mihai, 2003 (Atl. Brescia 1950), 12:58.25
2.ª, Vittoria Di Dato, 2003 (N. Atl. Varese), 13:47.56
3.ª, Sara Buglisi, 2001 (Athletic Club 96 Alperia), 14:17.41
4.ª, Anita Laiolo, 2003 (Unione Giovane Biella), 15:36.17

5.000 m sub-20 masculinos
1.º, Diego Giampaolo, 2004 (Fiamme Gialle G. Simoni), 19:52.03
2.º, Andrea Di Carlo, 2005 (Atl.Stud. Rieti Andrea Milardi), 22:26.11
3.º, Ivan Ragozzino, 2005 (Polisportiva Tethys Chieti), 22:41.36
4.º, Giuseppe Gaetano Dino, 2004 (Team-A Lombardia), 23:04.67
5.º, Federico Ciaschetti, 2005 (Polisportiva Tethys Chieti), 23:14.13
6.º, Tommaso De Stefano, 2004 (Atl.Libertas Unicusano Livorno), 23:35.22
7.º, Giorgio Lauria, 2004 (A.S.D. Atletica Futura Roma), 24:00.64
8.º, Matteo Broccoletti, 2004 (Atl.Libertas A.R.C.S. Perugia), 24:12.57
9.º, Niccolo Bettoni, 2005 (Toscana Atletica Jolly), 24:20.90
10.º, Alessandro Tatini, 2005 (Atletica Firenze Marathon S.S.), 24:25.82
11.º, Marco Giovannetti, 2004 (Asd Atletica Prato), 25:29.63 z.p.
12.º, Cristian Improta, 2005 (Asd Atletica Spezia Duferco), 26:02.83

3.000 m sub-20 femininos
1.ª, Giada Traina, 2004 (Atletica Livorno), 13:20.97
2.ª, Giulia Gabriele, 2005 (Fiamme Gialle G. Simoni), 13:22.14
3.ª, Sofia Fiorini, 2004 (Atl.Libertas Unicusano Livorno), 13:57.40
4.ª, Michelle Canto', 2005 (Polisportiva Tethys Chieti), 14:26.79
5.ª, Verdiana Casciotti, 2004 (Atl.Stud. Rieti Andrea Milardi), 14:28.24
6.ª, Francesca Vinti, 2005 (Atl. Arcs Cus Perugia), 15:04.05
7.ª, Martina Nacchi, 2004 (Fiamme Oro Pd), 15:15.50 z.p.
8.ª, Giulia Lucentini, 2005 (Atl.Vicentina), 15:34.73
9.ª, Alessia Vitrano, 2005 (Battaglio C.U.S. Torino Atl), 15:45.01
10.ª, Martina Cannone, 2004 (Amatori Atl. Acquaviva), 15:57.37
11.ª, Ginevra Nieri, 2004 (Asd Atletica Prato), 16:07.90
12.ª, Lara L. Alberti, 2005 (Fiamme Gialle G. Simoni), 16:30.86
13.ª, Asia Alinovi, 2005 (C.U.S. Parma), 16:41.92
Desistente: Elisa Vittoria Francia, 2004 (Acsi Campidoglio Palatino).

segunda-feira, 6 de fevereiro de 2023

Eduardo Camarate e Gabriela Santos sagram-se campeões nacionais sub-18 em pista coberta (Braga-2023)

Os sub-18 na marcha dos campeonatos de pista coberta em Braga e os vencedores,
Gabriela Santos e Eduardo Camarate. Imagens: FP Atletismo e Luís Santos
Montagem: O Marchador

Na edição deste ano dos Campeonatos Nacionais de Sub-18 em pista coberta (Braga, 4-5/2), em que a participação de marchadores foi a mais baixa de sempre, com 11 atletas, 6 masculinos e 5 femininos - em 2016 registou-se o maior número, com 21 atletas (7 masc. e 14 fem.) - Eduardo Camarate, da Juventude Vidigalense, revalidou o título nacional nos 5.000 metros masculinos, e Gabriela Santos, da Associação Cultural e Recreativa da Senhora do Desterro, obteve o dos 3.000 metros femininos.

Nos masculinos, Eduardo Camarate, sempre no comando da prova, concluiu destacado em 23:13.65. O seu mais direto opositor, Leandro Silva, do Maia AC, foi o segundo classificado, com 23:27.78, e David Ferreira, do SC União Torreense, o terceiro, com 25:04.48.

Nos femininos, Gabriela Santos, que assumiu a liderança nos mil metros finais, até aí a cargo de Isa Ferreira, do GD Pedreiras, cortou a meta na primeira posição, sendo cronometrada em 14:39.60. Isa Ferreira foi segunda, com 15:04.76, e Matilde Sousa, do Sporting CP, a terceira em apertada chegada, com 15:39.32, um centésimo de segundo antes da quarta classificada, Lara Beato (GD Pedreiras, 15:39.33).

A qualidade das marcas produzidas este ano foram bem melhores que as do ano passado, se bem que tenham ficado goradas as expetativas de se baterem os recordes dos campeonatos (masc. 22:49,84 e fem. 14.29,54).

Classificações
5.000 m masculinos
1.º, Eduardo Camarate, 2006 (JV), 23:13.65
2.º, Leandro Silva, 2007 (MAC), 23:27.78
3.º, David Ferreira, 2007 (SCUT), 25:04.48
4.º, André Moreira, 2006 (GDP-L), 25:27.38
5.º, Alex Valente, 2006 (GRECAS), 26:55.16
Desistente: Bruno Coelho, 2006 (CAS).

3.000 m femininos
1.ª, Gabriela Santos, 2006 (ACRSD), 14:39.60
2.ª, Isa Ferreira, 2006 (GDP-L), 15:04.76
3.ª, Matilde Sousa, 2006 (SCP), 15:39.32
4.ª, Lara Beato, 2007 (GDP-L), 15:39.33
5.ª, Isabel Luís, 2007 (CPPEA), 16:08.59

domingo, 5 de fevereiro de 2023

Cristina Montesinos e Óscar Martínez vencem 20 km do Grande Prémio de Marcha de Vendrell, Espanha

Em Vendrell, os vencedores dos 20 km, Cristina Montesinos e Óscar Martínez, e
ao centro os segundos (Paula Juarez e Daniel Jimeno) e terceiros (Mireia Urrutia
e Franklin Minchala) classificados do grande prémio. Fotos: António Amigo
Montagem: O Marchador

Tendo por palco um circuito instalado no Barris maritims de Coma-ruga i Sant Salvador, na província espanhola de Tarragona, disputou-se a oitava edição do Grande Prémio de Marcha de Vendrell, em simultâneo com os Campeonatos da Catalunha de Marcha em Estrada (29/1), numa organização do Club d’Atletisme Runners El Vendrell.

Nas provas da distância olímpica de 20 km, destaque-se, no setor feminino, a vitória de Cristina Montesinos, do Atletismo Piélagos, com um recorde pessoal de 1:32:25, uma melhoria significativa da sua anterior melhor marca (1:35:44 - Corunha/2022). Igualmente obtendo um recorde pessoal entrou na meta a segunda classificada, Paula Juárez, do Aldahra Lleida, com 1:34:49, fechando o pódio a atleta do Hospitalet Atletisme, Mireia Urrutia, com 1:40:01.

No setor masculino, Óscar Martínez, atleta de 19 anos do Cornellà Atlètic, venceu em estreia na distância com a marca de 1:28:43. Na classificação geral absoluta foi seguido por Daniel Jimeno, do Alcampo Scorpio 71, que registou 1:35:15, e Franklin Eduardo Minchala, do A.C. Jumilla, com 1:37:05.

Nas provas de 10 km para os mais jovens, referência para os desempenhos de Pablo Zarate (Alcampo Scorpio 71), com 44:10, e Ivan Molina (CA Laietania), 44:12, primeiro e segundo classificados nos sub-18 masculinos, de Griselda Serret (Atletismo Alcorcon), com 48:10, e de Julia Suárez (CA Tarragona), com 48:19, respetivamente primeiras sub-20 e sub-18 femininas.

Nos veteranos, e de entre as várias faixas etárias, os vencedores absolutos foram, nos masculinos, Josep Obrador, M50 (Lleida UA), com 23:55, *a frente do M45 Francesc Rodríguez (UGE Badalona), com 24:03, e nos femininos, Maria Teresa Gargallo, W50 (CA Tarragona), com 26:25, separada por um segundo da atleta W45 Olga Cabreras (LEA La Blanca, 26:26).

Principais classificações
20 km absolutos masculinos
1.º, Oscar Martinez Rodriguez, 2003 (Cornellà At.), 1:28:43
2.º, Daniel Jimeno Rivera, 2000 (Alcampo Scorpio 71), 1:35:15
3.º, Franklin Eduardo Minchala Macancela, 1998 (A.C. Jumilla), 1:37:05
4.º, Ignasi Melo Valls, 1952 (UA Rubí), 1:59:42
5.º, Juan Carlos Mena Mezcua, 1970 (Barcelona At.), 2:08:02

20 km absolutos femininos
1.ª, Cristina Montesinos Gil, 1994 (Piélagos), 1:32:25
2.ª, Paula Juarez Vega, 2000 (Lleida UA), 1:34:49
3.ª, Mireia Urrutia Herrera, 2000 (L'Hospitalet At.), 1:40:01
4.ª, Gemma Mora Martinez, 2000 (L'Hospitalet At.), 1:43:07
5.ª, Georgina Ruiz Betlej, 1999 (AA Catalunya), 1:43:22
6.ª, Beatriz Cantero Moreno, 1992 (Cornellà At.), 1:45:29
7.ª, Laura Monje Martinez, 2002 (CA Granollers), 1:47:02
8.ª, Raquel Leon Asensio, 1991 (CA Valladolid), 1:49:14
9.ª, Marta Nogueira Fernandez, 1981 (Lleida UA), 1:55:26
10.ª, Alexia Palomero Donadeu, 2002 (AA Catalunya), 1:58:50
11.ª, Iria Andrea Herraez Cabezas, 2003 (Cornellà At.), 1:59:23
12.ª, Nerea Amoros Rodriguez, 2003 (Barcelona At.), 2:07:20
Desistente: Angels Massana Banquells, 2000 (Cornellà At.).

Resultados completos, aqui.

sábado, 4 de fevereiro de 2023

Vitórias de Aurélien Quinion e Pauline Stey no Meeting de Vittel, França

Os vencedores das principais provas  em Vittel, Aurélien Quinion (dorsal 92) e Pauline
Stey (59), e os respetivos pódios. Fotos: @qlb.photos /fb Meeting National Indoor Vittel
Montagem: O Marchador

Em França, na cidade de Vittel, disputou-se mais uma edição do Meeting de Atletismo na pista coberta do CPO (Centre Preparation Omnisports) e em simultâneo campeonatos LARGE - Ligue Athlétisme Région Grand Est (28/1), com significativa participação de marchadores.

Nas principais provas de marcha do meeting, destaque-se os triunfos de Aurélien Quinion (EFCVO - S/l AC St Gratien-sann) na prova masculina de 5.000 metros, com 19:37.77, praticamente realizando a mesma marca com que vencera na edição de 2022 (19:37.19), e de Pauline Stey (ANA - S/l Rohan Athletisme Saverne), com um novo recorde pessoal de 12:45.48 (antes, 12:48.98-2021), marca que é igualmente recorde do meeting (antes, 12:50.69 de Clémence Beretta em 2020).

As posições imediatas foram ocupadas, nos masculinos, por David Kuster (EFS Reims A.), com 20:09.98, e Aymeric Hue (EC Orleans Cercle Jules Ferry), com 20:45.11, e nos femininos, por Marion Manaresi (AC Romorantin), com 13:33.60, e Axelle Picard (NAM - S/l St Max Essey Club At), com 13:34.75.

Nas outras provas de marcha pós-meeeting/campeonatos, de 5.000 metros para masculinos, venceu o M40 John Baumert (AC Vallee Ste-Marie-Mines), com 23:22.87, e de 3.000 metros para femininos, em que saíram vencedoras a W45 Gwladys Brusseau (EC Orleans Cercle Jules Ferry), com 15:05.10, na 1.ª série, e a sub-20 Chloe Weishar (Athle Sports Sarreguemines Arr.), com 16:42.16, na 2.ª série.

Principais classificações
5.000 m masculinos
1.º, Aurelien Quinion, 1993 (EFCVO - S/l AC St Gratien-sann), 19:37.77
2.º, David Kuster, 1999 (EFS Reims A.), 20:09.98
3.º, Aymeric Hue, 2001 (EC Orleans Cercle Jules Ferry), 20:45.11
4.º, Alexander Malysa/CZE, 1997 (Athletisme Metz Métropole), 24:20.47
5.º, Maelys De Bisschop-Thery, 2006 (EFCVO - S/l Ac St Gratien-sann), 24:31.69
6.º, Roman Riha/CZE, 1990 (Athletisme Metz Metropole), 24:51.59
Desistente: Dimitri Durand, 2002 (MA2M - S/l Athletic Club Montpelier).

3.000 m femininos
1.ª, Pauline Stey, 2001 (ANA - S/l Rohan Athletisme Saverne), 12:45.48
2.ª, Marion Manaresi, 2000 (AC Romorantin), 13:33.60
3.ª, Axelle Picard, 1999 (NAM - S/l St Max Essey Club At), 13:34.75
4.ª, Angele Mille, 2001 (GRAC - S/l Grac Renwez), 14:31.15
5.ª, Laura Duquesne, 1990 (EA Cergy Pontoise Athletisme), 14:35.95
6.ª, Marine Merbitz, 2006 (MBA - S/l Fc Sochaux Montbelia), 15:10.79
7.ª, Flavie Bodin, 2003 (GRAC - S/l Grac Renwez), 15:24.72
Desistente: Elvina Carre, 2003 (AST - S/l Louhans).

sexta-feira, 3 de fevereiro de 2023

Braga recebe os Campeonatos Nacionais de Sub-18 em pista coberta, com poucos atletas inscritos nas provas de marcha

Foto: AA Braga. Montagem: O Marchador

O Altice Forum Braga vai receber novamente os Campeonatos Nacionais de Sub-18 (Juvenis) de pista coberta, que decorrerão neste fim-de-semana (4 e 5 de fevereiro) naquela que é uma das mais importantes competições nacionais nessa faixa etária.

As provas de marcha vão ter lugar na jornada de sábado, os 5.000 metros masculinos pelas 16:40 horas e os 3.000 metros femininos pelas 18:05 horas, com a implementação da zona de penalização e com a atuação de 5 juízes especialistas de marcha e de uma juiz-chefe gestora, todos integrados nos painéis nacionais de Grau A e B.

O evento, que foi introduzido no ano de 2015, vai para a sua 7.ª edição (em 2021 não teve lugar) e são recordistas dos campeonatos, no setor masculino, Pedro Dias (CO Pechão) com 22:49,84, e no setor feminino, Catarina Torres (Sporting CP) com 14.29,54, marcas estas que se antevê poderem ser melhoradas. Ricardo Vendeira (Maratona do Montijo), com 21.18,37 (Espinho, 1998), e Susana Feitor (CN Rio Maior), com 12.42,1 (Braga, 1992), são os atuais recordistas nacionais.

Com a inscrição de apenas 6 atletas para cada uma das provas de marcha (e os mínimos de participação até são perfeitamente acessíveis, masc. 29:30.00 e fem. 18:00.00), números realmente bem abaixo do que seria satisfatório, principalmente para este escalão etário, infelizmente uma tendência que se vem verificando nos últimos anos, chega-se à conclusão que os responsáveis do setor que gere os destinos da especialidade na FPA têm de fazer uma séria reflexão sobre o que está a motivar este nítido decréscimo do número de praticantes.

A propósito da realização, em breve, de outro evento nacional, Jorge Vieira, presidente da Federação Portuguesa de Atletismo, dizia que “investir nas crianças é garantir o futuro” o que, no caso da especialidade da marcha atlética no nosso país, com várias medalhas conquistadas no plano internacional, o futuro não se apresenta radioso.

Consulte as listas de atletas inscritos nas provas de marcha, a masculina [aqui] e a feminina [aqui].

Tumisang Pule e Esther Steenkamp, campeões da África do Sul de 35 km marcha

Os campeonatos de 35 km da África do Sul (2023) e os vencedores, Edwin Tumisang Pule
e Esther (Sandra) Steenkamp. Fotos: fb Athletics South Africa. Montagem: O Marchador

Na edição inaugural dos Campeonatos de 35 km Marcha da África do Sul, realizados na Base Militar de Youngsfield na Cidade do Cabo (28/1), os títulos nacionais foram conquistados por Edwin Tumisang Pule, nos masculinos, e Esther (Sandra) Susanna Catharina Steenkamp, nos femininos, ambos representantes do Athletics Gauteng North.

Nos masculinos (10 participantes), Pule, de 25 anos de idade, obteve 2:52.27, tendo por companheiros de pódio Aaron Mahlangu de KwaZulu-Natal Athletics, no segundo lugar, com 3:03:35, e pelo seu colega Mthunzi Mnisi, no terceiro, com 3:15:19.

Nos femininos (6 participantes), Esther (Sandra) Steenkamp, veterana W60, registou 3:42.43, bem destacada das suas principais adversárias, Fundiswa Sandi, com 4:03.54, e Edna Brand, com 4:12.19, ambas em representação da Western Province Athletics.

Nas provas abertas, referência para os vencedores dos 20 km, Wandile Ndawo (KZNA), com 1:47:18, e Althea Taylor (Individual), com 2:01:20, em masculinos e femininos respetivamente.

Principais classificações
35 km masculinos
1.º, Edwin Tumisang Pule (AGN), 2:52.27
2.º, Aaron Mahlangu (KZNA), 3:03.35
3.º, Mthunzi Mnisi (AGN), 3:15.19
4.º, Ashley Letlhogonolo Gabriel (AGN), 3:19.56
5.º, Kevin Phillips (CGA), 3:29.06
6.º, Adam Papier (WPA), 3:58.36
7.º, Wentsley Merkuur (WPA), 4:00.17
Desclassificado: Dean Holmes (Individual).
Desistentes: Hilton Donson (WPA) e Envor Rhodas (WPA).

35 km femininos
1.ª, Esther Susanna Catharina Steenkamp (AGN), 3:42.43
2.ª, Fundiswa Sandi (WPA), 4:03.54
3.ª, Edna Brand (WPA), 4:12.19
4.ª, Deborah Horn-Botha (WPA), 4:14.48
Desistentes: Frieda Blignaut (WPA) e Jacky Goosen (WPA).

Resultados completos, aqui.

quinta-feira, 2 de fevereiro de 2023

Declan Tingay bate recorde da Oceania nos 10.000 m marcha (38:03.78) em Canberra

A dianteira das provas de 10.000 m do 2023 Supernova #2 em Canberra, com repetidas
vitórias de Declan Tingay e Jemima Montag. Imagens de vídeo: Athletics Australia
Montagem: O Marchador

O marchador australiano Declan Tingay foi o grande protagonista do segundo meeting «Supernova 2023», hoje (2/2) realizado na pista do Instituto Australiano do Desporto em Canberra, na Austrália, ao estabelecer um novo recorde do seu país e da Oceania com 38:03.78 nos 10.000 metros masculinos.

A escassos dias de completar 24 anos de idade (a 6 de fevereiro), Tingay desde muito cedo se destacou da concorrência na prova e particularmente do credenciado sueco Perseus Karlstrom, deste quando estavam decorridos cerca de 3.000 metros, passando aos 5.000 metros abaixo do 19 minutos (18:58). A sua marca final suplantou o anterior recorde nacional e de área, há 36 anos na posse de David Smith (pai de Dane Bird-Smith), com 38:20.9 (Sydney-1986), e constitui o 9.º melhor registo mundial de sempre na distância em pista.

Na segunda posição, e trinta e um segundos depois de Tingay, Karlstrom cortava a meta com 38:35.43, ele que detém como recorde pessoal 37:57.02 (Dublin-2022), e na terceira, o sempre surpreendente canadiano Evan Dunfee, abaixo dos 40 minutos de prova, com 39:44.10.

De entre os mais jovens participantes na prova masculina, registe a expressiva marca de 42:21.92 obtida por Marcus Wakim, de apenas 16 anos de idade.

Nas senhoras, que iniciaram o programa da jornada também com 10.000 metros, o ritmo inicial da prova foi relativamente lento, com a primeira metade, e a francesa Clemence Beretta no comando, a ser percorrida em 22:43. A partir daí a alteração de ritmo foi significativa, com a grega Antigoni Ntrismpioti a assumir as despesas da prova, até que cerca de 3.000 metros do final a australiana Jemima Montag passou para a liderança para vencer com 43:46.01 (4:07 nos últimos 1.000 m).

Ntrismpioti terminou na segunda posição, com 43:53.45, marca muito próxima do recorde nacional do seu país estabelecido pela própria no passado dia 6 de janeiro na mesma pista (43:51.98), e a espanhola Raquel González, na terceira, com 44:51.51. Registe-se o regresso à competição, após período de lesão, da vice-campeã olímpica de Tóquio, a colombiana Sandra Lorenas Arenas, com 45:02.92 (4.ª classificada).

Classificações
10.000 m masculinos
1.º, Declan Tingay, 1999 (AUS - Austrália), 38:03.78
2.º, Perseus Karlstrom, 1990 (SWE - Suécia), 38:35.43
3.º, Evan Dunfee, 1990 (CAN - Canadá), 39:44.10
4.º, Rhydian Cowley, 1991 (AUS - Austrália), 40:01.98
5.º, Kyle Swan, 1999 (AUS - Austrália), 40:23.25
6.º, Will Thompson, 2002 (AUS - Austrália), 40:49.47
7.º, Tim Fraser, 2000 (AUS - Austrália), 41:00.14
8.º, Carl Gibbons, 1996 (AUS - Austrália), 42:07.85
9.º, Mitchell Baker, 2001 (AUS - Austrália), 42:12.74
10.º, Marcus Wakim, 2006 (AUS - Austrália), 42:21.92
11.º, Dylan Richardson, 2000 (AUS - Austrália), 42:49.75
12.º, Owen Toyne, 2007 (AUS - Austrália), 43:16.89
13.º, Jack McGinniskin, 2002 (AUS - Austrália), 44:09.25
14.º, Will Bottle, 2005 (AUS - Austrália), 44:34.52
15.º, Tristan Camileri, 2001 (AUS - Austrália), 45:06.69
Desistente: Marius Ziukas, 1985 (LTU - Lituânia).

10.000 m femininos
1.ª, Jemima Montag, 1998 (AUS - Austrália), 43:46.01
2.ª, Antigoni Ntrismpioti, 1984 (GRE - Grécia), 43:53.45
3.ª, Raquel Gonzalez, 1989 (ESP - Espanha), 44:51.51
4.ª, Sandra Lorenas Arenas, 1993 (COL - Colômbia), 45:02.92
5.ª, Clemence Beretta, 1997 (FRA - França), 45:15.99
6.ª, Magaly Bonilla, 1992 (ECU - Equador), 45:35.33
7.ª, Allanah Pitcher, 2003 (AUS - Austrália), 46:39.37
8.ª, Valent Trapletti, 1985 (ITA - Itália), 46:39.69
9.ª, Eloise Terrec, 1998 (FRA - França), 47:08.71
10.ª, Hana Burzalova, 2000 (SVK - Eslováquia), 47:11.41
11.ª, Klaudia Zarska, 1999 (SVK - Eslováquia), 47:26.95
12.ª, Ema Hacundova, 1999 (SVK - Eslováquia), 47:36.94
13.ª, Monica Vaiciukeviciute, 1996 (LTU - Lituânia), 47:47.45
14.ª, Enni Nurmi, 1998 (FIN - Finlândia), 48:16.15
15.ª, Elizabeth McMillen, 2004 (AUS - Austrália), 48:23.63
16.ª, Bianca Dittrich, 1993 (GER - Alemanha), 48:24.67
17.ª, Brigita Virbalyte, 1985 (LTU - Lituânia), 49:15.88
18.ª, Hannah Mison, 2001 (AUS - Austrália), 49:28.86
19.ª, Austėja Kavaliauskaite, 2000 (LTU - Lituânia), 49:46.07
20.ª, Zoe Woods, 2007 (AUS - Austrália), 51:29.45
21.ª, Alexandra Griffin, 1995 (AUS - Austrália), 51:57.13
22.ª, Hannah Bolton, 2003 (AUS - Austrália), 52:35.55
23.ª, Gabriella Hill, 2003 (AUS - Austrália), 57:48.72
Desistentes: Char Hay, 2003 (AUS - Austrália) e Anett Torma, 1984 (HUN - Hungria).

Guadix levou a efeito o seu XXXV Grande Prémio de Marcha Atlética

O alinhamento para a partida das provas de 20 km, vencidas por Alberto Amezcua e
Mar Juárez, os respetivos pódios absolutos e os polacos  Dawid Tomala e Katarzyna
Zdziebło (10 km). Fotos: Ayuntamiento de Guadix, Dawid Tomala - Sportowiec
e fb Katarzyna Zdziebło. Montagem: O Marchador

Foi um grande sucesso a realização de mais uma edição do Grande Prémio de Marcha Atlética Cidade de Guadix, aquela que teve lugar no último domingo (29/1), recordando, uma vez mais, a figura de Manuel Alcalde, que foi atleta internacional e um grande impulsionador da especialidade naquela região da Andaluzia.

O evento, que igualmente acolheu o Campeonato da Andaluzia de Marcha Atlética (estrada) teve este ano como palco um novo e atrativo circuito que se instalou entre a Avenida Buenos Aires e a Praça das América com os participantes, em grande número e de grande qualidade internacional, a percorrerem uma das mais emblemáticas e espetaculares entradas da cidade.

Foram centenas de marchadores em todas as categorias etárias os que participaram nas provas, com destaque para alguns dos grandes nomes da marcha atlética internacional, nomeadamente, os polacos Dawid Tomala, o último campeão olímpico dos 50 km marcha, e Katarzyna Zdzieblo, dupla medalhada (prata) nos Mundiais de Eugene e ainda medalha de prata nos Europeus de Munique, tudo nos 35 km, entre vários outros.

Na principal prova masculina de 20 km, o espanhol Alberto Amezcua (Juventud Guadix), este que esteve à beira de uma medalha (foi 4º) nos Europeus de Munique, ganhou com o tempo de 1:24:42, completando o pódio Daniel Chamosa (SG Pontevedra) com 1:26:14, e José Manuel Perez (Cueva de Nerja), igualmente com o tempo de 1:26:14. Dawid Tomala venceu a prova de 10 km, com 42:44.

Na prova feminina de 20 km, Mar Juárez (Avinent Manresa), que foi finalista (7ª) nos 35 km marcha de Munique, foi a primeira com a marca de 1:35:48, seguida de Eva Rico (At. Intec-Zoiti), com 1:41:00, e de Ana Pulgarin (Super Amara BAT), com 1:43:16. A polaca Katarzyna Zdzieblo fez os 10 km completando-os com o tempo de 47:13.

Na véspera, a par de uma série de atividades práticas com o treino conjunto, debruçando-se sobre aspetos técnicos, dos jovens marchadores das escolas de Granada e de Guadix, bem como da escola da Irlanda, teve lugar um interessante seminário internacional sobre temas da especialidade (salientada a grandeza da marcha atlética no plano mundial e a necessidade de formação de treinadores e juízes) e que contou com a participação, entre outros, de um dos mais medalhados olímpicos na história da marcha atlética, o polaco Robert Korzeniowski, dos bem conhecidos Pierce O’Callaghan e Dolores Rojas (esta via online), ambos juízes internacionais de Marcha do Painel da World Athletics, de Jacinto Garzón, treinador de alguns dos melhores atletas espanhóis da atualidade, um dos grandes artífices do evento, e da viúva de Alcalde, Montse Pastor.

Fonte: Ayuntamento de Guadix.

Principais classificações
20 km masculinos
1.º, Alberto Amezcua Balboa (Juventud Guadix), 1:24:42
2.º, Daniel Chamosa Dacasa (S.G. Pontevedra), 1:26:14
3.º, Jose Manuel Perez Rubio (Trops-Cueva de Nerja), 1:26:14
4.º, Jose Luis Hidalgo Rodriguez (Juventud Guadix), 1:29:16
5.º, Lucas Mazzo (BRA - Brasil), 1:31:59
6.º, Jorge Lopez de la Cueva (L'Hospitalet At.), 1:32:20
7.º, Hodei Caballero Parra (Tolosa C.F.), 1:35:14
8.º, Daniel de Lucas Chanquet (At. Intec-Zoiti), 1:35:53
9.º, Rafael Ballesteros Garcia (CD Surco Lucena), 1:42:30
10.º, Ignacio Villegas de Miquel (CA Elche Decatlon), 1:46:11
11.º, Antonio Camaño Mesa (Juventud Guadix), 1:47:39
12.º, Juan Manuel de Lucas Pasalodos (At. Intec-Zoiti), 1:53:49
13.º, Luis Manuel Perez Osorio (CA Fent Cami Mislata), 1:57:47

20 km femininos
1.ª, Mar Juarez Gallardo (Avinent Manresa), 1:35:48
2.ª, Eva Rico Rufas (At. Intec-Zoiti), 1:41:00
3.ª, Ana Pulgarin Cardeno (Super Amara BAT), 1:43:16
4.ª, Maria Moya del Campo (Unicaja Jaen Paraiso Interior), 1:57:37

Resultados completos do Grande Prémio [aqui] e do Campeonato Autonómico [aqui].

quarta-feira, 1 de fevereiro de 2023

Miroslav Úradník e Ivana Dudová, campeões da Eslováquia em pista coberta (2023)

A partida masculina, o vencedor, Miroslav Úradník  (dorsal 39), e o pódio da prova feminina
vencida por Ivana Dudová (ao centro). Foto e Imagens de vídeo: Ján Luky/Slovenský
atletický zväz. Montagem: O Marchador

Na pista coberta de Bratislava e imediatamente antes do Meeting Elán (29/1), realizaram-se provas de marcha a contar para o Campeonato de Marcha Atlética da Eslováquia, com os títulos absolutos a serem conquistados por Miroslav Úradník e Ivana Dudová.

Nos 5.000 metros masculinos, Miroslav Úradník, atleta olímpico que representa o ŠK Dukla o.z. Banská Bystrica, evidenciou flagrante superioridade e concluiu a prova em 19:54.95. Tem como recordes pessoais, 19:54.07 em pista coberta e 19:31.07 ao ar livre. Nos lugares imediatos entraram o sub-20 Tomáš Mencel, do Atletický Klub ZTS Martin, com 22:03.97, e o veterano M45 Milan Rízek, do Atletika ŠK Skalica, com 22:09.72.

Nos 3.000 metros femininos, desclassificada que foi por acumulação de faltas a olímpica Mária Katerinka Czaková, que tinha cortado a meta na primeira posição, a vitória acabou por pertencer à sub-20 Ivana Dudová, do Atletický Klub ZTS Martin, que registou um recorde pessoal de 14:11.56 e por 26 centésimos de segundo suplantou Karin Devaldová, do AK Slávia TU Košice, segunda classificada, com 14:11.82. A fechar o pódio entrou a sub-20 Paulína Avenová, do ŠK ŠOG Nitra, com 15:19.17.

Nas provas para os mais jovens sobre 3.000 metros, sagraram-se campeões nacionais sub-18, nos masculinos, Lukáš Rosenbaum (ŠK BCF Dukla Banská Bystrica), com 13:16.59, e nos femininos, com a participação de 18 atletas, Petra Kusá (Atletický Klub ZTS Martin), com 14:44.60.

Principais classificações
5.000 m masculinos - absolutos
1.º, Miroslav Úradník, 1996 (ŠK Dukla o.z. Banská Bystrica), 19:54.95
2.º, Tomáš Mencel, 2004 (Atletický Klub ZTS Martin), 22:03.97
3.º, Milan Rízek, 1978 (Atletika ŠK Skalica), 22:09.72
4.º, Michal Duda, 2004 (ŠK BCF Dukla Banská Bystrica), 22:17.40
5.º, Adam Nosáľ, 2004 (Atletický Klub ZTS Martin), 22:36.51
6.º, Milan Poláček, 2002 (AO TJ Slávia STU Bratislava), 28:22.14
Desclassificados: Adam Zajíček, 2003 (Atletika Poruba) e Jakub Bátovský, 2005 (ŠK BCF Dukla Banská Bystrica).

3.000 m femininos - absolutos
1.ª, Ivana Dudová, 2005 (Atletický Klub ZTS Martin), 14:11.56
2.ª, Karin Devaldová, 2003 (AK Slávia TU Košice), 14:11.82
3.ª, Paulína Avenová, 2004 (ŠK ŠOG Nitra), 15:19.17
4.ª, Eva Čuga, 1977 (Individuálny člen SAZ), 16:37.98
5.ª, Mária Gazárková, 2005 (Miestny ŠK Borský Mikuláš), 19:48.06
Desclassificadas: Mária Katerinka Czaková, 1988 (ŠK Dukla o.z. Banská Bystrica) e Nina Poštová, 2005 (ŠK BCF Dukla Banská Bystrica).

Fonte: Federação de Atletismo da Eslováquia

Rumbenieks e Pastare vencem campeonatos da Letónia em pista coberta - Valmiera 2023

Na pista coberta de Valmiera, Arnis Rumbenieks a liderar em fase inicial da prova
 masculina, a vitória de Agnese Pastare (dorsal 5) e o principal pódio feminino.
Fotos: Guntis Bērziņš/LVS. Montagem: O Marchador

Os olímpicos Arnis Rumbenieks e Agnese Pastare venceram as principais provas (5.000 m masculinos e 3.000 m femininos) dos Campeonatos de Marcha Atlética da Letónia em Pista Coberta, evento destinado a vários escalões etários e realizado no domingo (29/1) na cidade de Valmiera, na região de Vidzeme.

No setor masculino, Rumbenieks, de Valmiera, que acumulou o seu sexto título nacional nos campeonatos, obteve a marca de 20:10.25 (tem como recorde pessoal, 19:59.67), superiorizando-se em 3 segundos ao seu principal opositor, Raivo Saulgriezis, com 20:13.68, muito próximo do seu melhor (20:11.35). A terceira posição foi ocupada pelo multi-medalhado master, Normunds Ivzans, de 51 anos de idade, com 22:10.68. Uma referência especial para a participação de outro olímpico, Modris Liepins, aos 56 anos, quarto classificado com 25:49.39.

No setor feminino, Pastare, de Ogre, num regresso competitivo à disciplina da marcha, que se saúda, de uma atleta que já soma 12 títulos nacionais em pista coberta, saiu vitoriosa desta vez com um registo de 14:49.90. Anita Siliņa, com 15:18.29, e a W35 Modra Liepiņa, campeã em título (2022), com 15:42.74, ocuparam as segunda e terceira posições.

Principais classificações
5.000 m masculinos - geral
1.º, Arnis Rumbenieks (1988), 20:10.25
2.º, Raivo Saulgriezis (1994), 20:13.68
3.º, Normunds Ivzans (1971), 22:10.68
4.º, Modris Liepins (1966), 25:49.39
5.º, Guntar Vasiliev (1981), 28:45.30
6.º, Olivers Laizāns (2005), 30:22.47 - 1.º, U20
7.º, Kristaps Raciks (2003), 30:27.40
8.º, Daniels Andrejevs (2007), 31:09.74 - 1.º, U18
9.º, Deniss Dronovs (2004), 31:49.09 - 2.º, U20
10.º, Gatis Kristiāns Romanovs (2006), 32:37.02 - 2.º, U18

3.000 m femininos - geral
1.ª, Agnese Pastare (1988), 14:49.90
2.ª, Anita Siliņa (1990), 15:18.29
3.ª, Modra Liepiņa (1985), 15:42.74
4.ª, Gunita Šīrante (1980), 16:55.53
5.ª, Megija Čakste (2002), 17:44.52
6.ª, Sofja Kirillova (2006), 18:02.59 - 1.ª, U18
7.ª, Vita Ormane (1977), 18:22.57
8.ª, Ketrīna Kuznecova (2007), 18:23.44 - 2.ª, U18
9.ª, Marija Bojāre (2007), 18:51.88 - 3.ª, U18
10.ª, Gundega Beķere (2005), 19:22.88 - 1.ª, U20
11.ª, Una Kuzmane (2004), 19:44.39 - 2.ª, U20
12.ª, Eva Troinova (2007), 19:56.77 - 4.ª, U18

Fonte: Federação de Atletismo da Letónia

terça-feira, 31 de janeiro de 2023

Andrea Cosi e Alexandrina Mihai, os melhores italianos nos 20 km marcha de Milazzo

Nos 20 km em Milazzo, em cima, Alexandrina Nihai, o grupo da liderança com
Xianghong He, Kaihua Wang, Andrea Cosi e Marc Tur, e em baixo, no campeonato Master,
Paola Zuccari, Anna Dipace e Vincenzo Pontrandolfo. Fotos: mdc - messina di corsa.
Montagem: O Marchador

Com uma magnífica jornada de marcha atlética aquela que foi protagonizada neste domingo em Milazzo e em que o ponto alto foram os 35 km que deram os primeiros títulos italianos do ano (ver peça própria no blogue «O Marchador», aqui), não se pode deixar de referir as outras provas, válidas para o Campeonato de Clubes de Marcha Atlética.

Nos 20 km masculinos, com os dois primeiros lugares a serem preenchidos pelos chineses Xianghong He, com 1:21:36, e Kaihua Wang, com 1:21:39, foi, no entanto, o italiano Andrea Cosi (10º nos Europeus de Munique) a realizar uma excelente prova chegando a par de Wang e com um recorde pessoal de 1:21:39, extraindo 20 segundos ao tempo conseguido no ano passado, na Corunha. Seguiram-se na classificação os espanhóis Marc Tur, com 1:24:36 (penalizado em 2 minutos) e Alvaro Nunez, com 1:24:45. Para os campeonatos de veteranos, Vincenzo Pontrandolfo (M45) foi o que realizou o melhor tempo ao fazer 1:44:37.

Nos 20 km femininos vitória da progressiva Alexandrina Mihai, com um novo recorde pessoal de 1:35:41, seguida de Vittoria Di Dato, com 1:39:58, ambas ainda no escalão Sub-23, com a terceira posição para Giulia Miconi, com 1:40:43. Nos veteranos, prova que atribuía os títulos nacionais nas diversas categorias, a melhor veterana em termos absolutos foi Anna Dipace (W45) com 2:03:32.

Nos 20 km Sub-20, Cristian Serra venceu nos masculinos com o tempo de 1:34:20, enquanto no setor feminino, em 15 km, a vitória coube a Sofia Fiorini, com 1:14:25.

Nos 10 km masculinos Sub-18, Giuseppe Disabato, com grande categoria e tecnicamente exemplar ganhou com o tempo de 45:15, com Omar Moretti na segunda posição com o tempo de 47:55 e Tommaso Nocchi a fechar o pódio no tempo de 49:24, enquanto na prova feminina as três primeiras a realizarem tempos abaixo da casa dos 52 minutos, Serena Di Fabio (51:06), Elisa Marini (51:39) e Lucrezia Nieri (51:46), com uma muito boa participação e excelentes executantes sob o ponto de vista técnico.

Em suma, foi uma excelente organização levada a efeito no centro da cidade com a partida e chegada na Praça Caio Duilio e que esteve a cargo da Associação Duilia de Barcelona e que contou com o forte apoio da Câmara Municipal de Milazzo, que homenageou a figura do ex-marchador de Milazzo, Maurizio Catanzaro, falecido há um ano. Estiveram presentes o presidente da Câmara Municipal, Pippo Midili, que deu o tiro de partida, o Diretor-técnico da FIDAL, Antonio La Torre, que elogiou o trabalho competente dos juízes de marcha, o presidente da FIDAL Sicília, Totó Gebbia, o governador provincial, Nunzio Scolaro, além dos familiares de Catanzaro.

Consulte os resultados completos das várias provas do programa, aqui.

Orsoni e Vitiello, campeões de Itália de 35 km marcha. Chineses Lihong Cui e Maocuo Li vencem as provas.

A partida dos 35 km em Milazzo, os campeões italianos, Riccardo Orsoni (dorsal 3) e
Sara Vitiello (12), e os vencedores extra-campeonato, Lihong Cui (6) e Maocuo Li (13).
Fotos: mdc - messina di corsa. Montagem: O Marchador

Riccardo Orsoni e Sara Vitiello sagraram-se na manhã deste domingo (29/1), nas ruas de Millazo, em Messina, os primeiros campeões italianos desta época nas provas de 35 km marcha, os primeiros títulos absolutos nas suas carreiras, num evento que foi excelentemente organizado, disputado num circuito plano e que até as condições atmosféricas ajudaram, com a ausência de vento.

Nos 35 km masculinos, Riccardo Orsoni (Fiamme Gialle) completou as 35 voltas ao circuito num tempo de 2:33:06, que constitui recorde pessoal ao ter melhorado a sua marca relativa à anterior edição dos campeonatos, de 2:34:42, em Pescara, e que, embora não realizando os exigentes mínimos para os Mundiais de Budapeste (2:29:40) devido a quebra física nos últimos 7 quilómetros, deixa-o com bons indícios para este grande evento planetário.

Ainda nesta prova, o chinês Lihong Cui, participando, naturalmente, extracampeonato, foi o primeiro com o tempo de 2:29:58 e que Orsoni o acompanhou até aos 28 quilómetros de prova. Na segunda posição dos campeonatos italianos classificou-se Michelle Antonelli com a marca de 2:40:42, tendo sofrido uma penalização de três minutos e meio, devido às três faltas que recebeu de três dos seis juízes de marcha no circuito. A fechar o pódio transalpino Gabriele Gamba com o tempo de 2:43:16, recorde pessoal para este atleta que se sagrou campeão nacional na categoria Sub-23, na sua segunda experiência na distância.

Nos 35 km femininos, destaque para Sara Vitiello (Reggio Emilia), com o tempo de 2:54:06, notável progresso relativamente à sua anterior melhor marca de 3:00:12 e que a coloca já num bom nível internacional satisfazendo o padrão FIDAL para os Mundiais de Budapeste, muito provavelmente na lista final das 50 com acesso a esta prova por via do ranking. Incontestável vitória da chinesa Maocuo Li, medalha de prata nos 50 km dos Mundiais de Doha, numa seguríssima técnica e a fazer o tempo de 2:46:38, superando largamente os mínimos para Budapeste (2:51:30).

Registo ainda na prova feminina para os lugares de pódio obtidos por Lidia Barcella, que foi sexta nos Campeonatos Europeus de Munique, a ser segunda classificada com o tempo de 2:54:55, e por Federica Curiazzi, que foi quarta em Munique tendo agora a campeã da edição do ano passado terminado na terceira posição com o tempo de 2:58:09.

Fonte: FIDAL

Classificações
35 km masculinos
extra-camp., Lihong Cui, 1999 (CHN - China), 2:29:58
1.º, Riccardo Orsoni, 2000 (G.A. Fiamme Gialle), 2:33:06
2.º, Michele Antonelli, 1994 (C.S. Aeronautica Militare), 2:40:42 z.p.
3.º, Gabriele Gamba, 2002 (Atl. Riccardi Milano 1946), 2:43:16
4.º, Stefano Cicalo, 1998 (POL Gonone Dorgali), 3:02:01
Desistente: Simone Mansutti, 1998 (SSD Nissolino Sport SRL ASU).

35 km femininos
extra-camp., Maocuo Li, 1992 (CHN - China), 2:46:38
1.ª, Sara Vitiello, 1996 (G.S.Self Atl. Montanari Gruzza), 2:54:06
2.ª, Lidia Barcella, 1997 (Bracco Atletica), 2:54:55
3.ª, Federica Curiazzi, 1992 (Atl. Bergamo 1959 Oriocenter), 2:58:09
4.ª, Beatrice Foresti, 1998 (Atl. Bergamo 1959 Oriocenter), 3:09:29
Desistentes: Nicole Colombi, 1995 (C.S. Carabinieri Sez. Atletica) e Rosetta la Delfa, 1977 (Unione Giovane Biella).