domingo, 24 de janeiro de 2021

20 km em Ostia, Itália (resultados)

Os campeões sub-20 de 20 km, Gabriele Gamba (dorsal 201) e Alessia Titone (402),
e os vencedores das provas abertas para seniores, o mexicano Julio Salazar (241) e
Mariavittoria Becchetti. Fotos: José A Quintana, FIDAL Piemonte, Atletica Riccardi
1946 e arquivo de FIDAL GRANA/FIDAL e Marcia.it. Montagem: O Marchador

Os Campeonatos de Itália de Marcha em Estrada ontem (23/1) realizados em Ostia, sob vento forte que prejudicou os resultados cronométricos, incluíram provas abertas de 20 km para seniores e ainda sobre a mesma distância para atletas da categoria sub-20, em masculinos e femininos, estas com atribuição de títulos nacionais.

Nas provas abertas, o pódio masculino foi inteiramente ocupado por forasteiros, com os mexicanos Julio Salazar Enriquez e Jesus Tadeo Vega Ortiz a ocuparem os primeiro e terceiro lugares, com 1:23:39 e 1:24:36 respetivamente. A segunda posição foi para o espanhol Marc Tur, com 1:24:28, enquanto o melhor italiano, Federico Tontodonati, do C.S. Aeronautica Militare, era quarto com 1:24:45. Já nas senhoras, o triunfo pertenceu a Mariavittoria Becchetti, do C.U.S. Cagliari, com 1:34:09, a apenas 8 segundos do seu recorde pessoal, seguida de Valentina Trapletti, do C.S. Esercito, com 1:34:22, e de Nicole Colombi, do C.S. Carabinieri Sez. Atletica, com 1:35:30.

No que diz respeito ao campeonato de sub-20, os títulos nacionais foram conquistados por Gabriele Gamba, do Atl. Riccardi Milano 1946, com 1:32:19, e Alessia Titone, do S.A.F. Atletica Piemonte A.S.D., com um recorde pessoal de 1:48:43. O pódio ficou completo, nos masculinos, com Nicola Lomuscio, do Amatori Atl. Acquaviva, a estrear-se na categoria e na distância, com 1:33:22, e Filippo A. Capostagno, do Fiamme Gialle G. Simoni, com 1:33:46, recorde pessoal, e nos femininos, a estreante Anna Ferrari, do Atletica Riviera Del Brenta, com 1:51:03, e Francesca Liviani, do Bracco Atletica, com 1:53:58.

Uma referência para os vencedores de provas de 10 km sub-18, Diego Giampaolo (46:53) e Giulia Gabriele (52:17), ambos em representação do clube local, o Fiamme Gialle G. Simoni.

Classificações
20 km masculinos - geral
1.º, Julio Salazar Enriquez, 1993 (MEX - México), 1:23:39
2.º, Marc Vincent Tur Pico, 1994 (ESP - Espanha), 1:24:28
3.º, Jesus Tadeo Vega Ortiz, 1994 (MEX - México), 1:24:36
4.º, Federico Tontodonati, 1989 (C.S. Aeronautica Militare), 1:24:45
5.º, Francesco Fortunato, 1994 (G.A. Fiamme Gialle), 1:27:46
6.º, Riccardo Orsoni, 2000 (G.A. Fiamme Gialle), 1:28:04
7.º, Aldo Andrei, 2001 (Gs Valsugana Trentino), 1:29:50
8.º, Vito Di Bari, 1990 (A.S. Atletica Virtus Lucca), 1:31:18
9.º, Andrea Cosi, 2001 (Atletica Firenze Marathon S.S.), 1:31:29
10.º, Giulio Scoli, 2001 (Atletica Livorno), 1:34:58
11.º, Leonardo Serra, 1993 (Ecosportmonte), 1:40:29
12.º, Gianluca Lammendola, 1983 (Atl. Bergamo 1959 Oriocenter), 1:43:44
13.º, Giancarlo Bartocci, 1979 (Atl.Stud. Rieti Andrea Milardi), 1:48:41
14.º, Vincenzo Pontrandolfo, 1978 (Amatori Atl. Acquaviva), 1:54:50
Desclassificado: Mattia Braggio, 2000 (Gruppo Citta' Di Genova).
Desistentes: Alessandro Perrone, 2000 (ASD Neos Matera), Davide Finocchietti, 2001 (Atl.Libertas Unicusano Livorno), Antonio Lopetuso, 1958 (Amatori Atl. Acquaviva) e Ettore Grillo, 1997 (Atletica Firenze Marathon S.S.).
FMT: Francesco Crudo, 1970 (Italia Marathon Club Ssdrl).

20 km femininos - geral
1.ª, Mariavittoria Becchetti, 1994 (C.U.S. Cagliari), 1:34:09
2.ª, Valentina Trapletti, 1985 (C.S. Esercito), 1:34:22
3.ª, Nicole Colombi, 1995 (C.S. Carabinieri Sez. Atletica), 1:35:30
4.ª, Sara Vitiello, 1996 (G.S.Self Atl. Montanari Gruzza), 1:41:26
5.ª, Ivana Renic, 1996 (CRO - Croácia), 1:42:19
6.ª, Rosetta La Delfa, 1977 (Unione Giovane Biella), 1:45:14
7.ª, Diletta Casciotti, 2000 (Atl.Stud. Rieti Andrea Milardi), 1:45:31
8.ª, Vittoria Giordani, 2000 (U.S. Quercia Trentingrana), 1:48:06
9.ª, Giulia Miconi, 2000 (CUS Macerata), 1:53:21
10.ª, Ilaria Camilla Galli, 1987 (Atletica Firenze Marathon S.S.), 1:53:49
11.ª, Valeria Pedetti, 1973 (Atl. Arcs Cus Perugia), 1:54:27
12.ª, Grazia Pusillico, 2000 (A.S.D. Acsi Italia Atletica), 1:58:04
13.ª, Maura Marchiori, 1959 (U.S. Quercia Trentingrana), 2:01:59
14.ª, Roberta Caraccia, 1990 (Cremona Sportiva Atl. Arvedi), 2:02:30
15.ª, Mirella Patti, 1962 (Italia Marathon Club Ssdrl), 2:03:36
16.ª, Maria Teresa Vulpis, 1999 (Amatori Atl. Acquaviva), 2:03:45
17.ª, Tiziana Linari, 1998 (Fiamme Gialle G. Simoni), 2:05:57

20 km masculinos - sub-20 (Camp. Nac.)
1.º, Gabriele Gamba, 2002 (Atl. Riccardi Milano 1946), 1:32:19
2.º, Nicola Lomuscio, 2003 (Amatori Atl. Acquaviva), 1:33:22 p.z.
3.º, Filippo A. Capostagno, 2002 (Fiamme Gialle G. Simoni), 1:33:46
4.º, Daniele Breda, 2002 (Atl. Bergamo 1959 Oriocenter), 1:37:00 p.z.
5.º, Pietro P. Notaristefano, 2003 (A.S.D. Atletica Don Milani), 1:39:17
6.º, Francesco Benvenuto, 2002 (Gruppo Sportivo Virtus), 1:43:22
7.º, Daniele Viglione, 2002 (S.A.F.Atletica Piemonte A.S.D.), 1:44:16
8.º, Francesco Romanzi, 2002 (Fiamme Gialle G. Simoni), 1:45:53
9.º, Francesco Biondini, 2003 (Fiamme Gialle G. Simoni), 1:47:22
10.º, Alessandro Tanoni, 2002 (CUS Macerata), 1:49:19
11.º, Jacopo Varignana, 2003 (A.S.D. Pontevecchio Bologna), 1:49:25
12.º, Mattia Grilli, 2003 (Atletica Civitanova), 1:53:20 p.z.
13.º, Davide Benini, 2002 (Atl. Bergamo 1959 Oriocenter), 1:54:50
14.º, Rocco Zingoni, 2003 (A.S.D. Kronos Roma), 1:56:37
15.º, Francesco Fantozzi, 2002 (Fiamme Gialle G. Simoni), 1:57:05
Desistente: Thomas Borzi, 2003 (Atletica Grosseto Banca Tema).

20 km femininos - sub-20 (Camp. Nac.)
1.ª, Alessia Titone, 2002 (S.A.F.Atletica Piemonte A.S.D.), 1:48:43
2.ª, Anna Ferrari, 2002 (Atletica Riviera Del Brenta), 1:51:03
3.ª, Francesca Liviani, 2002 (Bracco Atletica), 1:53:58
4.ª, Alexandrina Mihai, 2003 (Atl. Bs '50 Metallurg. S.Marco/Moldávia), 1:55:49
5.ª, Sofia Perrone, 2002 (Amatori Atl. Acquaviva), 2:01:25
6.ª, Anna Moncini, 2003 (ASD Atletica Prato), 2:02:15
7.ª, Martina Collatina, 2002 (A.S.D. Acsi Italia Atletica), 2:03:01
8.ª, Caterina Pappada', 2003 (Amatori Atl. Acquaviva), 2:03:44
9.ª, Patricia Rudinciuc, 2003 (Amatori Atl. Acquaviva), 2:09:51
10.ª, Nicole Disabato, 2003 (Amatori Atl. Acquaviva), 2:11:02
11.ª, Miriam Franco, 2003 (A.S.D. Acsi Italia Atletica), 2:11:15
12.ª, Roberta Di Grazia, 2002 (Etnatletica San Pietro Clarenz), 2:12:05
13.ª, Matilde Ballerini, 2003 (Asd Atletica Prato), 2:12:58
14.ª, Martina Gaudio, 2002 (Amatori Atl. Acquaviva), 2:15:00
5.ª, Simona Bruno, 2002 (Amatori Atl. Acquaviva), 2:17:43
16.ª, Giorgia Agata Bruno, 2003 (Etnatletica San Pietro Clarenz), 2:19:26
Desistentes: Francesca Cinella, 2003 (Atl. Avis Macerata), Federica Vinti, 2002 (Atl. Arcs Cus Perugia), Diletta Mannozzi, 2002 (Atl.Stud. Rieti Andrea Milardi), Veronica Picarelli, 2002 (A.S.D. Acsi Italia Atletica) e Bianca Pinci, 2002 (A.S.D. Acsi Italia Atletica).

sábado, 23 de janeiro de 2021

Teodorico Caporaso (50 km) e Eleonora Giorgi (35 km) vencem campeonatos italianos em Ostia

Eleonora Anna Giorgi e Teodorico Caporaso, os campeões italianos de estrada 2021
em Ostia. Fotos: Fiamme Gialle/FIDAL. Montagem: O Marchador

Em condições climatéricas particularmente difíceis pelo vento muito forte que se fez sentir esta manhã no porto marítimo de Ostia, durante os Campeonatos de Itália de 50 km masculinos e 35 km femininos, destaque para os novos campeões italianos, Teodorico Caporaso e Eleonora Anna Giorgi.

Nos 50 km masculinos, com 13 participantes (8 chegados, 4 desistentes e 1 desclassificado), Teodorico Caporaso, do C.S. Aeronautica Militare, obteve o seu primeiro nacional na distância, registando a marca possível de 4:01:14 (tem como recorde pessoal 3:48:29 em Roma 2016), isto depois de ter estado 5 minutos parado na zona de penalização. Até cerca dos 30 km a liderança pertenceu a Matteo Giupponi, que chegou a isolar-se e que no final quebrou imenso, sendo o terceiro do pódio nacional, com 4:07:01, e de Andrea Agrusti (que abandonou) em ritmo que visava a marca de qualificação direta para os Jogos Olímpicos de Tóquio (3:50:00) mas que se viria a revelar impossível. O segundo lugar da geral viria a pertencer ao grego Alexandros Papamichail, com 4:02:43, e o terceiro, mas segundo no campeonato, a Michele Antonelli, do C.S. Aeronautica Militare, com 4:06:05, ele que vencera na edição de Gioiosa Marea em 2019.

Nos 35 km femininos, com 5 participantes, todas a concluírem a prova, Eleonora Anna Giorgi, do G.S. Fiamme Azzurre, bronze nos mundiais de Doha 2019 (50 km), confirmou o favoritismo e venceu com 3:00:21, naturalmente longe da sua prestação em 2020 em Grosseto, onde alcançou 2:43:43. Os restantes lugares do pódio italiano seriam ocupados por Lidia Barcella, do Bracco Atletica, com 3:02:02 (melhora uma posição pois fora terceira no campeonato de 2020), e Federica Curiazzi, do Atl. Bergamo 1959 Oriocenter, com 3:10:57, não muito longe do recorde pessoal (3:10:09, Grosseto 2020).

Classificações
50 km masculinos - geral
1.º, Teodorico Caporaso, 1987 (C.S. Aeronautica Militare), 4:01:14 p.z.
2.º, Alexandros Papamichail, 1988 (GRE - Grécia), 4:02:43
3.º, Michele Antonelli, 1994 (C.S. Aeronautica Militare), 4:06:05
4.º, Matteo Giupponi, 1988 (C.S. Carabinieri Sez. Atletica), 4:07:01
5.º, Luca Montoleone, 1990 (S.E.F. Virtus Emilsider BO), 4:22:15
6.º, Bruno Erent, 1990 (CRO - Croácia), 4:37:42
7.º, Niccolo Coppini, 1997 (Atletica Firenze Marathon S.S.), 4:40:08
8.º, David Cristian Berdeja Villavicencio, 1981 (MEX - México), 4:44:38
Desclassificado: Stefano Chiesa, 1996 (C.S. Carabinieri Sez. Atletica).
Desistentes: Andrea Agrusti, 1995 (G.A. Fiamme Gialle), Marco De Luca, 1981 (G.A. Fiamme Gialle), Leonardo Dei Tos, 1992 (Athletic Club 96 Alperia) e Juriy Micheletti, 1998 (Atl. Bergamo 1959 Oriocenter).

35 km femininos
1.ª, Eleonora Anna Giorgi, 1989 (G.S. Fiamme Azzurre), 3:00:21
2.ª, Lidia Barcella, 1997 (Bracco Atletica), 3:02:02
3.ª, Federica Curiazzi, 1992 (Atl. Bergamo 1959 Oriocenter), 3:10:57
4.ª, Annalisa Russo, 1998 (GS Valsugana Trentino), 3:15:15
5.ª, Beatrice Foresti, 1998 (Atl. Bergamo 1959 Oriocenter), 3:15:40

sexta-feira, 22 de janeiro de 2021

Campeonatos de Itália (estrada) este sábado, em Ostia

Cartaz: fb Porto Turistico di Roma. Foto: FIDAL Lombardia. Montagem: O Marchador

Finalmente vão ter lugar os Campeonatos de Itália de Marcha Atlética de 50 km masculinos e 35 km femininos e de 20 km juniores, na sua terceira marcação depois dos adiamentos de 1 de março e 5 de dezembro de 2020, devido à pandemia da Covid 19. A competição terá lugar no porto turístico de Ostia, a cerca de 30 quilómetros de Roma, e apurará os primeiros campeões italianos da especialidade. 

Num circuito de 2 quilómetros, totalmente plano, a prova assume vital importância dada a previsibilidade do apuramento direto de alguns marchadores para os Jogos Olímpicos, com especial ênfase na distância olímpica dos 50 km masculinos, prova para a qual inscreveram-se 15 atletas, entre os quais 3 mexicanos, 1 grego e 1 croata, mas em que os principais atletas italianos apostarão tudo para conseguirem os ambicionados mínimos de 3:50:00, que lhes darão entrada direta para Sapporo. 

Na prova feminina mais longa do programa, os 35 km, que farão a sua aparição nos Mundiais de Eugene (EUA), em 2022, tal como nos homens, a principal favorita é a detentora da melhor marca mundial do ano de 2020, Eleonora Giorgi (2:43:43), medalha de bronze nos 50 km dos Mundiais de Doha, após ao que se dedicará à preparação para os 20 km dos Jogos. 

Ainda, incluído no programa do evento, destaque-se a boa participação de atletas nas provas dos 20 km, 46 atletas femininas e 39 masculinos, realizando-se também provas de 10 km para juvenis (47 inscritos). 

A competição, cujo circuito foi certificado por um membro do Painel Internacional de Medidores e é ajuizada, entre outros, por três juízes internacionais, cumprindo a regulamentação estabelecida para integrar a lista de provas de qualificação para os Jogos Olímpicos. Por outro lado, será disputada seguindo os rígidos protocolos impostos pelas autoridades sanitárias do país, no combate à pandemia da Covid 19.

A lista de inscritos por prova pode ser consultada aqui.

quinta-feira, 21 de janeiro de 2021

Universíadas Indoor 2021 da Bielorrússia (resultados)

Os vencedores, Alexandr Sipchuk e Yana Zubkova na pista coberta de Minsk.
Fotos: Federação de Atletismo da Bielorrússia
Montagem: O Marchador

Ontem e hoje (20-21) em Minsk, disputaram-se as Universíadas de Atletismo da Bielorrússia em Pista Coberta, evento que reuniu atletas de 29 universidades e cujo programa de provas inclui a marcha atlética nos dois dias, nas distâncias de 5.000 metros e 3.000 metros para masculinos e femininos.

Em ambas as provas, as vitórias pertenceram, nos masculinos, a Alexandr Sipchuk, com 22.18,96 (5.000 m) e 13.05,13 (3.000 m), e nos femininos, a Yana Zubkova, com 23.59,45 e 13.58,26, atletas que que se encontravam satisfeitos por terem contribuído com o maior número de pontos para as suas universidades na pontuação coletiva mas não com os registos cronométricos alcançados pois consideram possível fazer bem melhor.

Em termos coletivos, o triunfo pertenceu à Universidade Estatal de Educação Física, com 596 pontos, seguida da Universidade Tecnológica de Vitebsk, com 529, e da Universidade de Mogilev/Kuleshov, com 516.

Colaboração: Kristina Saltanovic

Classificações
Dia 20/1 - 4.ª feira
5.000 m masculinos
1.º, Alexandr Sipchuk (1999), 22.18,96
2.º, Dmitry Velichko (1999), 23.56,20
3.º, Igor Rozhko (2001), 24.07,47
4.º, Maksim Dubina (2001), 24.29,93

5.000 m femininos
1.ª, Yana Zubkova (2001), 23.59,45
2.ª, Anna Zubkova (2001), 25.50,07
3.ª, Elena Savaste (2001), 28.49,21

Dia 21/1 - 5.ª feira
3.000 m masculinos
1.º, Alexandr Sipchuk (1999), 13.05,13
2.º, Dmitry Velichko (1999), 13.29,15
3.º, Igor Rozhko (2001), 13.31,25
4.º, Maksim Dubina (2001), 13.48,12
Desclassificados: Kirill Grickevic (2004) e Evgeniy Koliada (2005).

3.000 m femininos
1.ª, Yana Zubkova (2001), 13.58,26
2.ª, Anna Zubkova (2001), 14.54,43
3.ª, Elena Savaste (2001), 16.56,32
4.ª, Alla Makarevic (2003), 17.46,31
Desclassificada: Varvara Konchik (2005).

quarta-feira, 20 de janeiro de 2021

No aniversário de Ivo da Silva

Ivo da Silva. Fotos: Blumarxa. Montagem: O Marchador

Hoje é dia de assinalarmos o aniversário de Ivo da Silva, que completa 69 primaveras, motivo pelo qual a equipa do blogue “O Marchador” envia-lhe um abraço de parabéns, desejando-lhe muita saúde e felicidades. 

Ivo da Silva, mestrado em Educação Física pela Universidade Federal de Santa Catarina, foi professor titular da Universidade Regional de Blumenau (FURB), no período de 1978 a 2010, tendo uma ligação ao atletismo, e ao cargo de treinador de marcha, com uma paixão, dedicação e competência, que realmente é de elogiar, tudo isto ao longo de 48 anos, 43 em Blumenau. 

Apesar da marcha atlética no Brasil ter surgido em 1937, com provas realizadas em Porto Alegre, foi apenas no início dos anos oitenta que a especialidade começa a dar os seus primeiros passos no Estado de Santa Catarina. E é o próprio Ivo da Silva, o pai da marcha em SC, que numa entrevista dada há alguns anos a um órgão de comunicação social (Revista «Exame»), quem conta como tudo aconteceu. 

“No início dos anos 80, eu via que Santa Catarina deixava de conquistar medalhas na marcha nos campeonatos nacionais de atletismo porque não tínhamos atletas na modalidade. Foi aí que comecei a sugerir ao presidente da Federação Catarinense de Atletismo que implantássemos a marcha nas competições do estado.” 

Quando foi colocada a questão sobre quem iria assumir a responsabilidade técnica pela formação de especialistas no Estado de Santa Catarina, nenhum dos treinadores se disponibilizou com exceção do Prof. Ivo da Silva que apesar de não ter conhecimentos da especialidade, aceitou o desafio, acabando por figurar como o protagonista na história da especialidade em Santa Catarina e no Brasil, dando até destaque à marcha atlética nas aulas de atletismo que lecionava na Universidade. 

O trabalho de Ivo deu os seus primeiros frutos com o aparecimento de um grande nome da marcha no Brasil – Sérgio Galdino, que participou em 3 Jogos Olímpicos e obteve um 6.º lugar nos Mundiais de Atletismo de 1993. Os também olímpicos Jonathan Riekmann e Moacir Zimmermann treinaram com Ivo por várias temporadas. Vários outros atletas lhe têm passado pelas mãos. 

Um dos que Ivo treina é o jovem Matheus Gabriel de Liz Correa (AABLU), de Blumenau, grande promessa da marcha atlética brasileira e que no mês passado foi segundo classificado na prova de 20.000 m do Troféu Brasil Caixa de Atletismo, em São Paulo (apenas atrás de Caio Bonfim), com 1:23:57.50 e que é internacional e tetracampeão brasileiro sub-20, tendo já estabelecido vários recordes nacionais, nomeadamente nos escalões jovens. 

Feliz Aniversário!

terça-feira, 19 de janeiro de 2021

Control de Marcha na pista de Cartagena, Múrcia (resultados)

A partida dos 10.000 m no Control de Marcha em Cartagena.
Foto: José Bermúdez/La Opinión de Murcia
Montagem: O Marchador

A Federação de Atletismo da Região de Múrcia (Espanha) fez disputar no sábado (16/1), na Pista Municipal de Cartagena, um Control de Marcha com provas mistas de 5.000 metros e 10.000 metros para masculinos e femininos de vários escalões etários, evento que seguiu as restritas e rigorosas medidas sanitárias e de segurança face à pandemia Covid-19.

Nos 10.000 metros, destaque para a vitória de Iván López, do F.C. Barcelona, com 40:15.61, marca que constitui um novo recorde pessoal em início de temporada e que melhora consideravelmente o anterior registo de 40:59.00 obtido em Castellón quando dos nacionais universitários em 2019. A prova teve como segundo classificado o sub-18 Alexis Salmeron, do UCAM-Athleo Cieza, com 48:23.11, constando na lista de atletas que não concluíram a prova o categorizado Miguel Ángel López Nicolas, do UCAM Murcia, campeão do Mundo em Pequim 2015 e da Europa em Zurique 2014 nos 20 km. Marta García, sub-18 do Cehegín Atletismo, venceu na mesma distância mas no setor feminino, com 56:07.39.

Já nos 5.000 metros, Manuel Bermúdez, do UCAM Athleo Cieza, foi o melhor nos masculinos, com 21:19.86, seguido de perto pelo atleta sub-23 do Atletismo Numantino, Pedro Conesa, com 21:22.42. Nos femininos, triunfo da jovem de 14 anos de idade, Mª del Carmen San Bartolomé, do C.A. Nogalte – Hogar Puerto Lumbreras, com 27:50.09. Seis segundos depois cortou a meta na segunda posição, Daria Makeeva, de 13 anos, atleta do UCAM-Athleo Cieza (27:56.09).

Classificações
10.000 m masculinos - geral/escalão etário
1.º, Ivan Lopez Perez, 1997 (FC Barcelona), 40:15.61 - sénior
2.º, Alexis Salmeron Moreno, 2005 (UCAM-Athleo Cieza), 48:23.11 - sub-18
3.º, Franklin Eduardo Minchala Macancela, 1998 (A.C. Jumilla), 49:27.03 - sénior
4.º, Jaime Salinas Marin, 2005 (UCAM-Athleo Cieza), 52:00.33 - sub-18
5.º, Jorge Tonda Aguirre, 2004 (UCAM-Cartagena), 52:03.32 - sub-18
6.º, Juan Paya Soriano, 1968 (A.C. Jumilla), 54:00.26 - M50
7.º, Sebastian Manuel Barranco Marin, 1967 (CA Murcia PDS Group), 54:49.40 - M50
8.º, Pablo Tonda Aguirre, 2004 (UCAM-Cartagena), 56:19.04 - sub-18
9.º, Jose Antonio Gomez Motos, 1999 (UCAM-Athleo Cieza), 58:47.97 - sub-23
Desistentes: Francisco Espin Valera, 2004 (Cehegin Atletismo) - sub-18, Manuel Bermudez Jimenez, 1997 (UCAM-Athleo Cieza) - sénior e Miguel Angel Lopez Nicolas, 1988 (UCAM Murcia) - sénior.

10.000 m femininos - geral/escalão etário
1.ª, Marta Garcia Llorente, 2005 (Cehegin Atletismo), 56:07.39 - sub-18
2.ª, Carmen Bleda Lucas, 2005 (UCAM-Athleo Cieza), 57:07.02 - sub-18
3.ª, Catherine Duhig, 1954 (MillenniumTorrevieja), 1:05:22.39 - W65

5.000 m masculinos - geral/escalão etário
1.º, Manuel Bermudez Jimenez, 1997 (UCAM-Athleo Cieza), 21:19.86 - sénior
2.º, Pedro Conesa Ceron, 2001 (Atletismo Numantino), 21:22.42 - sub-23
3.º, Luis Mario Muñoz Garcia, 1971 (ADA Yeclano), 22:31.83 - M45
4.º, Antonio Camacho Garcia, 1994 (UCAM-Athleo Cieza), 27:14.35 - sénior
Desclassificados: Adrian Ruiz Izquierdo, 2007 (CA Murcia PDS Group) - sub-16 e Enrique Jimenez Martinez, 2007 (CA Murcia PDS Group) - sub-16.

5.000 m femininos - geral/escalão etário
1.ª, Maria Del Carmen San Bartolome Marin, 2006 (Nogalte-Hogar Lumbreras), 27:50.09 - sub-16
2.ª, Daria Makeeva, 2007 (UCAM-Athleo Cieza), 27:56.09 - sub-16
3.ª, Ximena Ruiz Navarro, 2007 (UCAM-Athleo Cieza), 29:18.92 - sub-16
4.ª, Valeria Sanchez Vazquez, 2007 (UCAM-Athleo Cieza), 29:20.47 - sub-16
5.ª, Rocio Moreno Garcia, 2007 (UCAM-Athleo Cieza), 29:21.14 - sub-16
6.ª, Nara Pastor Marin, 2007 (Atletismo Cuenca), 29:38.41 - sub-16
Desistente: Nazaret Maria Perez Garcia, 2007 (UCAM-Cartagena) - sub-16.

segunda-feira, 18 de janeiro de 2021

Ayse Tekdal em grande evidência nos Campeonatos da Turquia de Pista Coberta

Abdulselam İmuk (dorsal 741) e Ayse Tekdal (742), o pódio masculino e a chegada
feminina. Fotos: Federação de Atletismo da Turquia e Mustafa Akyavas
Montagem: O Marchador

A jovem marchadora turca, Ayse Tekdal, de 21 anos, foi a grande figura dos Campeonatos da Turquia em pista coberta, que tiveram lugar este fim de semana, em Istambul, vencendo a prova dos 5.000 metros marcha com o tempo de 21:00.97 e batendo o recorde turco absoluto e de Sub-23 por nada menos de 54 segundos. 

Tekdal, da cidade de Diyarbakir, no sudeste da Anatólia, é uma das mais promissoras especialistas desta nova geração turca de marchadores, com um interessante percurso internacional ao mais alto nível nos escalões jovens (prata nos Europeus Sub 18, em 2016, bronze nos Mundiais Sub 20, em 2018, ouro nos Europeus Sub 23, em 2019) e atualmente na bem confortável posição 26 do ranking mundial de qualificação para os Jogos Olímpicos (admitidos um máximo de 60 atletas), considerando três atletas por país. 

Ainda na principal série feminina (houve duas, num total de 22 atletas), a mais credenciada marchadora turca da atualidade, Meryem Bekmez, também de Diyarbakir, que já possui os mínimos olímpicos nos 20 km, foi segunda com o tempo de 21:05.56, ainda assim batendo o seu próprio recorde nacional, que era de 21:54.25, de 13 de janeiro de 2018, também em Istambul. Kader Dost (Malatya) foi a terceira com o tempo de 22:47.99. 

Na competição masculina, com um número elevado de inscrições o que obrigou à realização de três séries (27 atletas), desta vez sem a participação de Salih Korkmaz, o mais credenciado marchador turco do momento, já com mínimos para os Jogos Olímpicos, nos 20 km marcha, o nível foi igualmente elevado com os dois primeiros a registarem marcas abaixo da casa dos 20 minutos, Abdulselam Imük, com 19:21.93, e Selman Ilhan, com 19:49.02, ambos de Diyarbakir e da categoria sub-23. Serhat Gungor completou o pódio na terceira posição, com o tempo de 20:03.56, novo recorde nacional Sub-20, também recorde nacional da categoria nos 3.000 metros, onde passou com o tempo de 11:47.57.

Classificações (17/1)
5.000 m masculinos - grupo A
1.º, Abdulselam İmuk (1999), 19:21.93
2.º, Selman Ilhan (2000), 19:49.02
3.º, Serhat Güngör (2003), 20:03.56
4.º, Mert Kahraman (2003), 20:31.59
5.º, Mustafa Tekdal (2002), 20:54.07
6.º, Mazlum Demİr (2003), 21:08.45
7.º, Mehmet Güngör (2005), 21:34.16
8.º, Ogulcan Polat (2000), 21:53.85
9.º, Cengiz Karaduman (1999), 22:06.19
10.º, Hayrettin Yildiz (2004), 22:20.15
11.º, Hamza Bayraktar (2003), 22:26.41
12.º, Kadİr Danişmaz (2004), 27:07.38
Desclassificado: Mehmet Bahsi (1998).

5.000 m masculinos - grupo B
1.º, Ozan Bayram (2004), 23:23.04
2.º, İsa Arslan (2002), 23:32.66
3.º, Harun Bİlİr (2004), 23:57.08
4.º, Dİyar Bayram (2004), 24:47.49
5.º, Murat Güda (2004), 25:24.58
6.º, Mert Arslan (2002), 25:44.04
7.º, Ramazan Özdemİr (2004), 25:51.53
8.º, Harun Bİlİr (2003), 23:57.08
9.º, Mehmet Güneş (2001), 31:19.77
Desclassificado: Denİz Çetİn (2004).

5.000 m masculinos - grupo C
1.º, Muhammed Yuşa Arvas (2004), 25:39.29
2.º, Ahmet Sİpahİ (2005), 27:07.40
Desclassificados: Ahmet Sertaç Kaya (2005) e Osman Batu (2002).

5.000 m femininos - grupo A
1.ª, Ayşe Tekdal (1999), 21:00.97
2.ª, Meryem Bekmez (2000), 21:05.56
3.ª, Kader Dost (2000), 22:47.99
4.ª, Elif Nur Özbey (2004), 24:19.74
5.ª, Aysenur Buse Günaslan (2004), 24:36.06
6.ª, Ayse Kiliç (2001), 25:10.11
7.ª, Şükran Ayaz (2003), 25:15.28
8.ª, Emine Ceylan (2004), 25:18.71
9.ª, Secil Akpinar (1999), 26:43.21
Desistente: Songül Koçer (2002).
Desclassificada: Ece Sİmay Erdoğan (2004).

5.000 m femininos - grupo B
1.ª, Elif İrmak (2004), 25:58.36
2.ª, Tülin Ek (2005), 26:20.30
3.ª, Melek Savci (2002), 26:41.24
4.ª, Nuray Eylül Simsek (2002), 26:42.67
5.ª, Sude Naz Güç (2005), 27:37.48
6.ª, Esma Öztekİn (2005), 27:58.94
7.ª, Zelal Erbul (2005), 28:06.31
8.ª, Büşra Zarİfgİl H (2005), 29:32.60
9.ª, Gülbahar Özbek (2005), 32:41.25
10.ª, Nurhayat Özkan (2004), 34:45.97
Desclassificada: Selİn Çadir (2004).

domingo, 17 de janeiro de 2021

Éider Arévalo, um visitante especial

Éider Arévalo quando do mundial de Londres 2017 e agora em Porto de Mós.
Fotos: ConSudAtle e ADAL. Montagem: O Marchador

De entre os marchadores portugueses medalhados em Campeonatos do Mundo de Atletismo, como Inês Henriques, ouro nos 50 km de Londres 2017, e João Vieira, prata nos 50 km de Doha 2019 e bronze nos 20 km de Moscovo 2013, e presentes no evento do passado fim de semana (10/1) na zona industrial da Amarela, no concelho de Porto de Mós, destaque-se o colombiano Éider Arévalo.

Arévalo, nascido em Bogotá e atualmente com 27 anos de idade, conquistou a medalha de ouro nos 20 km marcha nos mundiais de Londres 2017 batendo nos últimos metros o russo Sergei Shirobokov, com 1:18:53, marca que constitui o seu recorde pessoal e nacional, que ainda vigora. Dois anos depois preparava-se para defender o título em Doha 2019 quando pouco tempo antes e num estágio em Almería, Espanha, fraturou uma clavícula em consequência de uma queda de bicicleta.

De entre vários outros êxitos que vem alcançando na sua carreira desportiva, relembre-se quando ainda sub-20 subiu ao lugar mais alto do pódio no mundial da categoria em Barcelona 2012 após completar os 10.000 metros de prova em 40:09.74.

Em Porto de Mós, regressou às competições tomando parte na prova extra de 20 km incluída no programa dos Campeonatos Nacionais de 35 km e 50 km, vencendo de forma destacada com 1:22:04. Os seus parciais foram de 20:40 aos 5 km, 41:11 aos 10 km (20:31) e 1:01:20 aos 15 km (20:09), registando 3:55 no último quilómetro.

De acordo com o noticiado pela ConSudAtle (Confederación Sudamericana de Atletismo), o atleta integra um grupo de marchadores colombianos que iniciaram um ciclo de preparação em Fátima e que têm como objetivo classificar-se para os Jogos Olímpicos de Tóquio. Nesse grupo, referência igualmente para Luis Fernando López, também ele medalha de ouro nos mundiais de Daegu 2011 (20 km), agora nas funções de treinador.

O blogue «O Marchador» formula a Éider, bem como a todo o grupo colombiano em estágio em Portugal, votos de boa preparação!

sábado, 16 de janeiro de 2021

No aniversário de Ileana Salvador

Ileana Salvador. Fotos no fb da própria. Montagem: O Marchador

No dia de hoje assinalamos o 59.º aniversário da antiga atleta internacional italiana, Ileana Salvador, nascida em Noale, na região de Vêneto, província de Veneza, mas desde 1996 a viver em Estocolmo, na Suécia.

Ileana Salvador destacou-se internacionalmente na marcha atlética numa época em que a principal distância no setor feminino era a dos 10 quilómetros e se incluíam provas da especialidade em Europeus e Mundiais indoor, e em que as mulheres começavam a ter assento nos Jogos Olímpicos, marcando presença nos primeiros com a marcha feminina, em 1992, em Barcelona.

Conquistou 10 medalhas em grandes eventos internacionais com destaque para as obtidas nos 10 km marcha dos Mundiais de Atletismo de 1993, em Estugarda (medalha de prata) e as dos 3.000 metros marcha dos Mundiais de Pista Coberta de 1989, 1991 e 1993, todas de bronze, sem esquecer a medalha de bronze obtida nos Europeus de Atletismo de Split, em 1990.

Representou a seleção do seu país por 29 vezes, tendo conquistado 15 títulos nacionais. Recordamos de a ver competir em Portugal, no ano de 1997, por ocasião do Grande Prémio Internacional de Rio Maior, realizado a 22 de março daquele ano, onde foi segunda classificada na prova dos 10 km, atrás de Susana Feitor.

Tanti auguri, Ileana!

sexta-feira, 15 de janeiro de 2021

Bernd Kannemberg (1942-2021)

Bernd Kannemberg. Imagens: BR24 Sport e MDR
Montagem: O Marchador

A comunidade do atletismo mundial está de luto pela morte de Bernhard Kannemberg, ex-recordista mundial e campeão olímpico dos 50 km marcha, ocorrida na noite do dia 13 deste mês, num hospital de Münster, aos 78 anos de idade. 

Bernd Kannemberg nasceu em 20 de agosto de 1942, em Königsberg, Prússia Oriental ((hoje Kaliningrado, Rússia). Iniciou-se na marcha apenas aos 27 anos, em 1969, na equipa das Forças Armadas, e um ano depois participou pela primeira vez nos campeonatos alemães. A sua carreira foi relativamente curta, entre 1970 a 1976, forçado a retirar-se devido a problemas físicos, período no qual, ainda assim, conquistou 10 títulos nacionais, em provas de 10, 20 e 50 quilómetros marcha, representando o TSG Füssen, o FC Nürnberg e o LAC Quelle Fürth.

O seu maior sucesso desportivo deu-se nos Jogos Olímpicos de Munique, em 1972, quando conquistou, pela então República Federal da Alemanha, o título olímpico dos 50 km marcha, com o tempo de 3:56:11, apenas três anos após começar a treinar-se especificamente para a marcha. 

Em 1974, nos Campeonatos Europeus de Roma, conquistou a medalha de prata na prova dos 20 km marcha. Durante o tempo em que competiu, estabeleceu 19 recordes alemães e 10 recordes mundiais.

Além de seu talento para a marcha atlética e das boas bases para o treino que adquiriu na luta livre, Bernd Kannenberg destacou-se essencialmente pela rígida disciplina que se impôs a si mesmo na vontade de treinar-se, passando de um principiante com potencialidades a um atleta de classe mundial em muito poucos anos. 

O blogue «O Marchador» expressa sentidas condolências à família, amigos e companheiros do desporto.

quinta-feira, 14 de janeiro de 2021

SOMOS ATLETISMO, magazine dedicado ao atletismo espanhol

Imagens: Somos Atletismo. Montagem: O Marchador

Hoje recomendamos a leitura da revista online “SOMOS ATLETISMO”, criada por Joan Estruch, um atleta ligado às provas combinadas e nos dias de hoje especialista em reportagens fotográficas, e pelo estatístico Carles Baronet, que foi especialista em provas de 400 e 800 metros, speaker nos Jogos Olímpicos de Barcelona 1992 e organizador de meetings. 

O número 8, do corrente mês de janeiro, é preenchido com quase uma centena de páginas de inegável interesse, recheado de boas fotografias, cabendo aqui felicitarmos os seus autores, bem como à equipa de colaboradores. 

Neste número, podemos destacar a homenagem prestada a Jordi Llopart, que nos deixou há algumas semanas, através dos excelentes artigos de Joan Pelayo “Llopart, a elegância feita marcha (primeira parte)” e Albert Galín “Esse amigo chamado Jordi Llopart”. 

Joan Pelayo traça-nos o percurso competitivo de Jordi Llopart desde que, nos inícios dos anos setenta se iniciou na marcha atlética, os despiques com José Marín e os seus grandes momentos de glória com as medalhas alcançadas nos Europeus de Atletismo e nos Jogos Olímpicos. 

Albert Galín aborda, com maior ênfase, a faceta pessoal do atleta, a sua relação de amizade com Llopart, desde os tempos em que ambos representavam a seleção espanhola e depois, enquanto responsável técnico nacional, com o seu pai Moisés, assistindo à vitória nos Europeus de Praga, em 1978. 

A ambos, Joan Pelayo e Albert Galín, umas palavras de muito apreço e simpatia. 

Pelayo tem colaborado connosco na divulgação de interessantes temas da marcha atlética no país vizinho. É um apaixonado e estudioso da especialidade. Entre outras funções, é juiz de Marcha, integrando atualmente o Painel Nacional “A” da RFEA e fazendo parte do quadro de juízes especialistas de marcha da Associação Europeia de Masters (EMA). 

Galín foi um dos primeiros técnicos convidados a vir a Portugal, por iniciativa da Federação Portuguesa de Atletismo, emprestando a sua sabedoria e experiência nos planos teórico e prático do treino aos marchadores portugueses e seus técnicos, acompanhado do seu colega Cesar Gomez, ambos da Escola de Marcha de Sant Celoni, Barcelona, temas enquadrados no Seminário sobre Marcha Atlética realizado no nosso país, que teve lugar no Centro de Estágios da Cruz Quebrada (sessões práticas na pista do Estádio Nacional), nos dias 11, 12 e 13 de dezembro de 1981. 

A revista pode ser acedida aqui.

quarta-feira, 13 de janeiro de 2021

10.000 m Elite em Clifton Hill, Austrália (resultados)

Declan Tingay (6248), Rhydian Cowley (6241) e Jemima Montag nos 10.000 m
em Clifton Hill. Fotos: IG Declan Tingay e Jemima Montag.
Montagem: O Marchador

A pista de atletismo do Complexo Desportivo «George Knott», em Clifton Hill, nos subúrbios de Melbourne, Austrália, foi palco no passado domingo (10/1) de uma competição mista de 10.000 metros marcha, com expressivas vitórias e bons registos, nos masculinos, de Rhydian Cowley, a obter 39:58.1, e nos femininos, de Jemima Montag, com 43:45.2, batendo o seu recorde pessoal por 5 segundos.

Declan Tingay, que esteve na companhia de Cowley até aos 7.000 metros, foi o segundo classificado, com 40:31.3, recorde pessoal, e Kyle Swan, o terceiro classificado, com 42:17.2. Referência para o sub-20 Will Thompson, quinto na geral, com 43:39.5. Foram 9 os participantes masculinos.

Rebecca Henderson, com um recorde pessoal de 46:25.4, e Katie Hayward, com 47:17.2, completaram o lote de atletas chegados no setor feminino (5 participantes).

Fonte: Heel and Toe

Classificações
10.000 m masculinos
1.º, Rhydian Cowley, 1991 (VIC), 39:58.1
2.º, Declan Tingay, 1999 (WA), 40:31.3
3.º, Kyle Swan, 1999 (VIC), 42:17.2
4.º, Mitchell Baker, 2001 (ACT), 42:54.8
5.º, Will Thompson, 2002 (VIC), 43:39.5
6.º, Tim Fraser, 2000 (ACT), 44:18.8
7.º, Tristan Camilleri, 2001 (SA), 45:21.8 p.z.
8.º, Jared Tallent, 1984 (SA), 45:19.0
9.º, Corey Dickson, 2002 (VIC), 45:46.2

10.000 m femininos
1.ª, Jemima Montag, 1998 (VIC), 43:45.2
2.ª, Rebecca Henderson, 2001 (VIC), 46:25.4
3.ª, Katie Hayward, 2000 (QLD), 47:17.2
Desistentes: Jemma Peart, 2001 (VIC) e Alannah Peart, 2003 (VIC).

terça-feira, 12 de janeiro de 2021

Lyudmila Olyanovska regista 20:59.1 (5.000 m) na pista coberta de Kiev

Eduard Zabuzhenko em prova, Lyudmila Olyanovska a receber a medalha das mãos
de Anatoly Solomin, e os pódios da marcha. Fotos: Federação de Atletismo da Ucrânia
Montagem: O Marchador

O início do ano na Ucrânia é marcado pelas celebrações do Natal ortodoxo, com as primeiras competições a terem um espírito comemorativo. Este ano a participação no tradicional evento natalício foi drasticamente reduzida devido às restrições por Covid-19, com apenas alguns atletas e treinadores a marcarem presença na arena desportiva coberta de Kiev, dia 9 de Janeiro.

Na marcha apenas 6 atletas evoluíram nos 5.000 metros mistos (3 femininos e 3 masculinos), mas os vencedores foram dos mais destacados marchadores ucranianos da atualidade.

Nos femininos, venceu Lyudmila Olyanovska, a única atleta do país a conquistar uma medalha (bronze) em Campeonatos do Mundo de Atletismo (Pequim-2015), com 20:59.1, batendo o seu próprio recorde nacional de pista coberta (antes, 21:04.90 em Sumy-2013). A atleta possuiu ao ar livre 20:15.71 também em Kiev (2014). Em segundo lugar entrou Oksana Kulahina, com 24:26.1, e em terceiro Evgeniya Galcova, com 27:10.1.

Nos masculinos, venceu, também sem oposição, Eduard Zabuzhenko, de 22 anos, com a marca de 19:07.5, não muito longe do seu recorde pessoal (18:53.77, Sumy-2019). Após a prova referiu prever fazer melhor mas tal não foi possível devido a falta de concorrência e ter iniciado muito rápido, cedendo no final. As segunda e terceira posições foram ocupadas por Kirilo Andrushchenko e Stanislav Bogatyriov (17 anos), com 20:38.9 e 22:53.4 respetivamente.

A equipa ucraniana tem previsto para breve um estágio de preparação na Turquia, com a participação em competições em Março, nomeadamente em Antalya (6/3) e nos campeonatos nacionais de Inverno em Lutsk (20/3).

Colaboração: Kristina Saltanovic

segunda-feira, 11 de janeiro de 2021

No aniversário de Bohdan Bułakowski

Bohdan Bułakowski na atualidade e na liderança (dorsal 528) nos Jogos Olímpicos
de Moscovo 1980. Fotos: fb Bohdan Bulakowski e Nikolai Oudovenko/Tassphoto
Montagem: O Marchador

Destacamos hoje o 71.º aniversário do nosso prezado amigo Bohdan Adam Bułakowski, da Polónia, motivo pelo qual a equipa de “O Marchador” endereça-lhe os PARABÉNS! 

Nascido em Varsóvia, a 11 de janeiro de 1950, Bodhan foi olímpico nos Jogos de Moscovo em 1980, cortando a meta no interior do Estádio Lenin (atualmente designado por Luzhniki) com um honroso 7.º lugar nos 20 km marcha.

Por quatro vezes sagrou-se campeão nacional nos 20 km, em 1976, 1979, 1980 e 1981, e por duas vezes nos 50 km, em 1983, ano em que bateu o seu recorde pessoal na distância, com 3:54:03 (Szczecin), e em 1985.

Apaixonado pela marcha atlética, Bodhan tem sido desde há vários anos um dedicado treinador de atletas não só polacos mas também de outras nacionalidades, destacando-se as funções que desempenhou nos Estados Unidos da América, Coreia do Sul, Guatemala e Catar.

Wszystkiego najlepszego, Bohdan!

domingo, 10 de janeiro de 2021

Sandra Silva e Rui Coelho são campeões nacionais de 50 km (2021)

Rui Coelho e Sandra Silva nos campeonatos de 50 km na zona industrial da Amarela,
em Porto de Mós. Fotos: facebook dos próprios. Montagem: O Marchador

Sandra Silva, do Atlético Clube da Póvoa de Varzim, e Rui Coelho, do Centro de Atletismo de Seia, sagraram-se campeões nacionais de 50 km da época de 2021 durante os Campeonatos de Marcha em Estrada que decorreram hoje (10/1) na zona industrial da Amarela, no Município de Porto de Mós.

Nos femininos, Sandra Silva, infelizmente a única participante, obteve o seu 4.º título nacional (e consecutivo) no campeonato da distância com uma nova melhor marca pessoal, pela primeira vez abaixo das 5 horas, de 4:56:50.

Nos masculinos, com 5 participantes, Rui Coelho sagrou-se campeão nacional em estreia na distância com 4:11:27, tendo a companhia nos lugares do pódio de Hélder Santos, do Leiria MAC, com 4:15:47 (recorde pessoal) e Luís Gil, do GD Estreito, um regresso que se saúda, com 4:20:10. Na quarta posição entrou o campeão nacional de 2020, Manuel Marques, do AC Póvoa de Varzim, com 4:35:17 (recorde pessoal).

Classificações provisórias
50 km femininos
1.ª Sandra Silva (ACPV), 4:56:50

50 km masculinos
1.º, Rui Coelho (CAS), 4:11.27
2.º, Hélder Santos (Leiria MAC), 4:15:47
3.º, Luís Gil (GDE), 4:20:10
4 .º, Manuel Marques (ACPV), 4:35:17
Desistente: Amaro Teixeira (CBF).

Colombiano José Montaña vence 35 km. João Vieira e Vitória Oliveira são campeões nacionais

José Montaña, João Vieira e Vitória Oliveira nos campeonatos de 35 km.
Imagens: vídeo ADAL e Vitória Oliveira
Montagem: O Marchador

Na prova de 35 km do programa dos Campeonatos Nacionais de Marcha em Estrada (abertos) hoje disputados na zona industrial da Amarela, no Município de Porto de Mós, vitória para o colombiano José Leonardo Montaña, com 2:37:05, marca que constitui um novo recorde nacional do seu país, enquanto os portugueses, João Vieira, do Sporting CP, com 2:39:47, e Vitória Oliveira, do SC Braga, com um recorde pessoal de 3:09:27, obtiveram os títulos nacionais em disputa, ele pela 6.ª vez e ela pela 2.ª vez nos campeonatos.

Nos masculinos, entrou na terceira posição absoluta outro colombiano, Diego Pizon, com 2:42:27, enquanto integrram os lugares do pódio nacional Hélder Santos, do Leiria MAC, com 2:53:53, e Rui Coelho, do CA Seia, com 2:54:27, estes nas passagens para a prova de 50 km.

Nos femininos, o pódio dos campeonatos ficou completo com Sandra Silva, que registou 3:27:26 (continuou para os 50 km) e Sandra Campos, com 4:17:48, ambas representantes do AC Póvoa de Varzim.

Referência ainda para o título nacional sub-23 feminino obtido por Joana Silva, do AC Póvoa de Varzim, com 4:47:57, clube que chamou a si o título nacional coletivo feminino dos campeonatos. Nos masculinos, o CA Seia repete o título coletivo conquistado em 2020.

Extra-campeonato, disputaram-se provas de 20 km, cujos vencedores foram Eider Arévalo, da Colômbia, com 1:22:04, e Edna Barros, do CO Pechão, com 1:35:19. Inês Henriques e Ana Cabecinha desistiram.

Classificações provisórias
35 km masculinos - geral/camp.nac.
1.º, José Montaña (Colômbia), 2:37:05
2.º, João Vieira (SCP), 2:39:47 - 1.º, camp.nac.
3.º, Diego Pizon (Colômbia), 2:42:27
4.º, Jorge Ruiz (Colômbia), 2:46:15
5.º, Hélder Santos (LMA-L), 2:53:53 - 2.º, camp.nac.
6.º, Rui Coelho (CAS), 2:54:27 - 3.º, camp.nac.
7.º, Luís Gil (GDE), 2:59:45 - 4.º, camp.nac.
8.º, Manuel Marques (ACPV), 3:02:34 - 5.º, camp.nac.
9.º, António Pereira (ACPV), sem marca - 6.º, camp.nac (fez - 1 volta = 34 km)
10.º, Cristiano António (CAS), 3:47:09 - 7.º, camp.nac.
11.º, Luís Bidarra (CAS), 3:48:02 - 8.º, camp.nac.
12.º, André Miranda (ACPV), 3:54:04 - 9.º, camp.nac.
Desistente: Jerome Caprice (Ilhas Maurícias).

35 km femininos - camp.nac.
1.ª, Vitória Oliveira (SCB), 3:09:27
2.ª, Sandra Silva (ACPV), 3:27:26
3.ª, Sandra Campos (ACPV), 4:17:48
4.ª, Joaquina Peixoto (ACPV), 4:21:15
5.ª, Joana Silva (ACPV), 4:47:57 - 1.ª, sub-23

Provas extra
20 km masculinos
1.º, Eider Arévalo (Colômbia), 1:22:04
2.º, Manuel Soto (Colômbia), 1:25:51
3.º, Rúben Santos (SCP), 1:34:30
4.º, João Vieira (CPTSC), 1:47:45
5º, Hélder Ribeiro (CFOD), 1:55:06

20 km femininos
1.ª, Edna Barros (COP), 1:35:19
2.ª, Maria Bernardo (COP), 1:40:36
3.ª, Vera Portela (CSM), 1:56:18
4.ª, Raquel Pimentel (CFOD), 1:58:00
5.ª, Juliana Galvão (ACDAV), 2:14:35
Desistentes: Inês Henriques (CNRM) e Ana Cabecinha (COP).