terça-feira, 15 de outubro de 2019

Virginie Dreux com ouro nos 5.000 m marcha dos INAS Global Games, em Brisbane

Virginie Dreux (França) no pódio dos 5.000 metros marcha.
Imagem: Athletics Livestreams - 2019 INAS Global Games
Montagem: O Marchador

A francesa Virginie Dreux obteve a medalha de ouro na prova de 5.000 metros marcha femininos (T20 II-1) do programa do Atletismo de hoje (15/10), na sessão da tarde, da 5.ª edição dos INAS Global Games, evento mundial multidesportivo para atletas portadores de deficiência intelectual, que decorre em Brisbane, Austrália (11-19/10).

Na pista do Complexo Desportivo de Queensland, Dreux registou a marca de 35.28,56, poucas horas depois de ter completado a prova do Heptatlo (T20-II-1) onde foi segunda classificada.

Nas outras provas de marcha do programa, de 5.000 metros masculinos (T20 II-1) e de 1.500 metros femininos (II-2), não houve lugar à atribuição de medalhas por via da desclassificação, por motivos regulamentares, dos atletas participantes. Foram eles, Alejandro Montero López e Jesús Fernández Pérez, ambos de Espanha, e Starlette Menendez, dos Estados Unidos da América.

Realizar-se-á ainda a prova de 1.500 metros masculinos (II-2), agendada para sexta-feira, dia 18/10.

São recordistas mundiais e dos Jogos nos 5.000 metros, nos masculinos, o português Pedro Isidro (mundial, 19:44.17/2016, pc; jogos, 24.35,00/2015, alt. 2.700m), e nos femininos, a russa Alina Khokhlova (mundial, 24.43,19/2018) e a portuguesa Marisa Serralheiro (jogos, 26.18,68/2004).

segunda-feira, 14 de outubro de 2019

Heather Lee com novo recorde do mundo W90 nos 3.000 m

Heather Lee nos AMG Adelaide 2019.
Fotos: Australian Masters Games
Montagem: O Marchador

Heather Lee, marchadora da Austrália que conta 92 anos de idade (fará 93 no próximo dia 17 de Novembro), esteve em particular evidência no passado dia 6/10 ao bater o recorde do mundo da categoria W90-94 nos 3.000 metros em pista com a marca de 24:52.25, por ocasião da 17.ª edição dos Jogos Australianos de Veteranos realizados em Adelaide (5-12/10).

O anterior recorde estava fixado em 24:56,97, marca que já lhe pertencia desde 23/10/2017 em Penguin, Austrália. Lee detém igualmente os recordes mundiais da categoria W90 nos 5.000 metros (41:04.87, 27/4/2018, Perth) e 10 km em estrada (1:24:21, 11/11/2018, Gold Coast).

Durante o mesmo evento, Lee participou ainda noutras provas de marcha, nos 1.500 metros, com 12:05.76, e nos 10 km em estrada, cuja distância não completou.

Lee, que treina 3 vezes por semana, apenas se iniciou na marcha atlética em 2012, já com 84 anos de idade, somando 5 recordes do mundo e 8 do seu país no seu curto historial na disciplina.

Consulte os resultados completos das provas de marcha (5.000 m, 3.000 m e 1.500 m) de pista [aqui] e (10 km) estrada [aqui].

domingo, 13 de outubro de 2019

Os Juízes de Marcha nos Campeonatos Mundiais de Atletismo, em Doha

A equipa de juízes de marcha nos mundiais de Doha 2019.
Foto: facebook de Steve Taylor. Montagem: O Marchador

Os Campeonatos Mundiais de Atletismo, que se disputaram este ano na capital do Catar, registaram a presença nas quatro provas de marcha, realizadas em piso asfaltado, totalmente plano e com intensa luminosidade mas sob muito difíceis condições climatéricas, de 166 atletas, 45 nos 20 km femininos, 52 nos 20 km masculinos, 23 nos 50 km femininos e 46 nos 50 km masculinos.

Os oito juízes de marcha que atuaram nas competições de Doha (um outro exerceu as funções de Juiz-chefe), quatro da Europa, dois da América, dois da Ásia e uma da Oceânia, registaram 137 notas de desclassificação (RC), que passaremos a designar por faltas, sendo que destas 89 corresponderam a faltas por suspensão e 48 a faltas por flexão, no primeiro caso com incidência maior nas duas provas de 20 km (74) o que corresponde a 83% do total enquanto, no caso da flexão, a maior parte das faltas assinaladas verificou-se nas provas de 50 km, com 37 notas de desclassificação a corresponderam a 77% do total.

Foram desclassificados 12 atletas (com 4 faltas de outros tantos juízes) nas 4 provas de marcha, o que corresponde a cerca de 7% do total de participantes, enquanto 7 atletas foram parar à Zona de Penalização (2 minutos de paragem para 4 atletas, nos 20 km, e 5 minutos de espera para 3 atletas, nos 50 km) sendo que 9 dos desclassificados ainda visitaram a ZP. Sem qualquer falta houve 75 atletas, o que corresponde a cerca de 46% do total de participantes.

Um pouco mais pormenorizadamente, debruçamo-nos sobre cada um dos eventos:

20 km femininos: 38 faltas, 30 por suspensão e 8 por flexão. Foram desclassificadas 3 atletas. Sem qualquer falta houve 20 atletas. Sem faltas nem raquetas amarelas (YP) houve 4 atletas – Glenda Morejón (Equador), Antigoni Drisbioti (Grécia), Antonella Palmisano (Itália) e Ana Cabecinha (Portugal).

20 km masculinos: 58 faltas, 45 por suspensão e 13 por flexão. Foram desclassificados 5 atletas. Sem qualquer falta houve 21 atletas. Sem faltas nem raquetas amarelas houve apenas 2 atletas, ambos da França – Gabriel Bordier e Kevin Campion.

50 km femininos: 4 faltas, 1 por suspensão e 3 por flexão. Nenhuma atleta foi desclassificada. Sem qualquer falta houve 19 atletas. Sem faltas nem raquetas amarelas houve 4 atletas – Rui Liang (China), Faying Ma (China), Júlia Takács (Espanha) e Angeliki Makri (Grécia).

50 km masculinos: 37 faltas, 13 por suspensão e 24 por flexão. Foram desclassificados 4 atletas. Sem qualquer falta houve 19 atletas. Sem faltas nem raquetas amarelas houve 11 atletas – Dzmitry Dziubin (Bielorrússia), que desistiu, Evan Dunfee (Canadá), José Ignácio Díaz (Espanha), que desistiu, Carl Dohmann (Alemanha), Brendan Boyce (Irlanda), Hayato Katsuki (Japão), Artur Mastianica (Lituânia), João Vieira (Portugal), Narcis Stefan Mihaila (Roménia), Marc Mundell (África do Sul) e Matej Tóth (Eslováquia, que desistiu.

Sobre Daniel Michaud, o juiz-chefe, com peça própria no blogue «O Marchador [aqui], não usou a prorrogativa da regra 230.4(a), que lhe dava direito, se assim o entendesse, desclassificar diretamente um atleta nos últimos 100 metros da prova, independentemente do número de faltas que o mesmo tivesse eventualmente registado.

Aqui registamos os nomes dos juízes (foto acima, da esquerda para a direita): Chinatamy Suppiah (Malásia), Assistente do JC, Kirsten Crocker (Austrália), Anne Fröberg (Finlândia), Noel Carmody (Grã-Bretanha), Secretário, Dolores Rojas (Espanha), Steve Taylor (Grã-Bretanha), Yukio Seki (Japão), um dos três Delegados Técnicos da IAAF, José Dias (Portugal), Yang Zhongmin (China), Wang Tak Fung (Hong Kong), Maryanne Daniel (EUA), Daniel Michaud (juiz-chefe) e Ho Weng Hong (Macau), Assistente do JC. 

sábado, 12 de outubro de 2019

Campeonatos de Itália Sub-16 em Forlì (resultados)

Os três primeiros classificados nos pódios da marcha e os campeões
Giada Traina e Diego Giampaolo. Fotos: Grana/FIDAL Emilia Romana
e Atletica italiana TV. Montagem: O Marchador

Os campeonatos italianos de atletismo da categoria de sub-16, de âmbito individual e por regiões, tiveram lugar no passado fim de semana (5-6/10) na cidade de Forlí, em Emilia-Romana, reunindo quase mil atletas de 21 regiões do país.

Nas provas de marcha disputadas no sábado, sagraram-se campeões nacionais, nos 5.000 metros masculinos, Diego Giampaolo, da região de Lazio e que representa o Fiamme Gialle G. Simoni, com 23:40.59, e nos 3.000 metros femininos, Giada Traina, de Toscana, da Atletica Livorno, com 15:01.64.

As segunda e terceira posições foram alcançadas por Tommaso Carucci (Puglia/A.S.D. Atletica Don Milani, 24:09.69) e Francesco Piccarolo (Piemonte/C.U.S. Torino, 24:17.94), nos masculinos (19 participantes), e Sofia Giovannini (Piemonte/C.U.S. Torino, 15:03.80) e Francesca Vinti (Umbria/Atl.Libertas A.R.C.S. Perugia, 15:06.61), nos femininos (20 participantes).

Classificações
5.000 m masculinos
1.º, Diego Giampaolo, 2004 (Lazio/Fiamme Gialle G. Simoni), 23:40.59
2.º, Tommaso Carucci, 2004 (Puglia/A.S.D. Atletica Don Milani), 24:09.69
3.º, Francesco Piccarolo, 2004 (Piemonte/C.U.S. Torino), 24:17.94
4.º, Tommaso Iori, 2004 (Toscana/Atl. Castiglionese), 24:20.89
5.º, Francesco Mic Platania, 2004 (Sicilia/Etnatletica San Pietro Clarenz), 24:23.53
6.º, Federico Ciaschetti, 2005 (Abruzzo/Polisportiva Tethys Chieti), 24:27.02
7.º, Samuele Martino, 2004 (Calabria/ASD Icaro RC), 24:30.99 adic.30"
8.º, Ivan Giangaspero, 2004 (Lazio/Fiamme Gialle G. Simoni), 24:45.53
9.º, Andrea Di Carlo, 2005 (Lazio/Esercito Sport & Giovani), 24:51.09
10.º, Antonello De Oratis, 2005 (Lazio/Esercito Sport & Giovani), 24:55.50
11.º, Daniele Colonnello, 2004 (Emilia Romagna/A.S.D.Pontev. Bologna), 25:02.42 p.z.
12.º, Cristian Improta, 2005 (Liguria/Gruppo Citta' Di Genova), 25:31.41
13.º, Matteo Broccoletti, 2004 (Umbria/Atl.Libertas A.R.C.S. Perugia), 25:49.05
14.º, Giacomo Bertolazzi, 2005 (Veneto/G.S.D. Valdalpone De Megni), 25:49.15
15.º, Pietro Lombardi, 2005 (Marche/S.E.F. Stamura Ancona A.S.D.), 26:04.60
16.º, Antimo D'Alessandro, 2004 (Campania/A.S.D. Hinna Atl. S.Antimo), 26:23.54
17.º, Pietro Bozzolan, 2005 (Lombardia/Atl. Concorezzo), 26:53.57
18.º, Davide Lena Neumann, 2005 (Friuli Venezia Giulia/Libertas Casarsa), 27:29.17
Desistente: Marco Giovannetti, 2004 (Toscana/Atl.Casalguidi M.C.L.Ariston).

3.000 m femininos
1.ª, Giada Traina, 2004 (Toscana/Atletica Livorno), 15:01.64
2.ª, Sofia Giovannini, 2004 (Piemonte/C.U.S. Torino), 15:03.80
3.ª, Francesca Vinti, 2005 (Umbria/Atl.Libertas A.R.C.S. Perugia), 15:06.61
4.ª, Sofia Fiorini, 2004 (Toscana/S.S. Atl. Casentino Poppi), 15:12.63
5.ª, Giulia Gabriele, 2005 (Lazio/Fiamme Gialle G. Simoni), 15:12.90
6.ª, Mariangela Pappada, 2005 (Puglia/Fiamma Olimpia Palo), 15:30.74
7.ª, Dalila Rocchio, 2005 (Abruzzo/Polisportiva Tethys Chieti), 15:36.80
8.ª, Valentina Piserini, 2004 (Toscana/Atletica Livorno), 15:42.79 adic. 30"
9.ª, Verdiana Casciotti, 2004 (Lazio/Lib.Atl. Castelgandolfo-Albano), 15:47.81
10.ª, Agnese Zanatta, 2004 (Veneto/Atletica Ponzano), 16:03.50
11.ª, Anna Tettamanti, 2005 (Lombardia/CUS Pro Patria Milano), 16:23.49
12.ª, Damiana Grazia Lagona, 2005 (Sicilia/Etnatletica San Pietro Clarenz), 16:27.43
13.ª, Lucia Lamura, 2005 (Marche/S.E.F. Stamura Ancona A.S.D.), 16:41.12
14.ª, Lara Barbato, 2004 (Friuli Venezia Giulia/Trieste Trasporti Atl. Giov.), 16:42.83
15.ª, Veronica Parodi, 2004 (Liguria/Atletica Ceriale San Giorgio), 17:18.99
16.ª, Silvia Paris, 2004 (Valle D'Aosta/Atletica Pont Donnas), 18:39.49
17.ª, Maddalena Gei, 2004 (Trentino/Polisportiva Oltrefersina Asd), 19:46.33
18.ª, Giorgia Alampi, 2005 (Calabria/Atletica Olympus), 20:23.75
Desclassificada: Emilia Marroccella, 2004 (Campania/A.S.D. Hinna Atl. S.Antimo).
Desistente: Sofia Pedon, 2004 (Emilia Romagna/G.S.Self Atl. Montanari Gruzza).

sexta-feira, 11 de outubro de 2019

Daniel Michaud, o Juiz-chefe de Marcha nos Mundiais de Doha

Daniel Michaud em funções nos mundiais de Doha.
Imagem: IAAF World Athletics Club
Montagem: O Marchador

De inegável interesse público a entrevista concedida pelo canadiano Daniel Michaud ao espaço da internet da “IAAF World Athletics Club” que, com a devida vénia, aqui a reproduzimos e na qual o canadiano, que chefiou em Doha, nos Mundiais de Atletismo, uma equipa de 8 juízes internacionais de marcha, aborda todos os processos do ajuizamento em provas internacionais de marcha atlética e o próprio sistema de formação e certificação de juízes da especialidade ao mais alto nível.

Daniel Michaud, um dos juízes mais experimentados e categorizados do painel internacional de juízes de marcha, que o integrou em 1993 e concluiu com sucesso todas as seis certificações levadas a efeito pela IAAF (World Athletics) ao mais alto nível, desde 1998 (um restrito grupo de seis juízes mantém-se desde esse ano ao mais alto nível), já participou em 7 edições de mundiais de atletismo, nomeadamente nas de 1997 (Atenas), juiz-chefe nos 50 km masculinos, 1999 (Sevilha), 2001 (Edmonton), assistente do juiz-chefe, 2013 (Moscovo), 2015 (Pequim), 2017 (Londres) e 2019 (Doha).

Nos Mundiais de Doha, no Catar, nos quais, pela primeira vez, os juízes internacionais de marcha foram apresentados publicamente momentos antes da realização das provas de marcha, aquando da difusão de imagens televisivas por todo o mundo, Daniel Michaud teve a tarefa de preparar e gerir todo o processo de entrada na Zona de Penalização (três faltas) e de notificação aos atletas desclassificados (4 ou mais faltas), aqui coadjuvado por dois Assistentes, Ho Weng Hong (Macau) e Chinatamy Suppiah (Malásia), juízes do painel de Oficiais Técnicos Internacionais da Ásia.

O trabalho realizado por Daniel Michaud, que teria o poder de desclassificar diretamente um atleta nos últimos 100 metros, não tendo sido necessário usar tal prerrogativa, bem como pelo britânico Noel Carmody, este o Secretário com a responsabilidade de registar todas as raquetas amarelas e notas de desclassificação (faltas), assinaladas pelos oito juízes de marcha nas provas masculina e feminina dos 20 e 50 km, foi classificado de excelente qualidade técnica.

O vídeo no IAAF World Athletics Club (facebook) pode ser visto aqui.

quinta-feira, 10 de outubro de 2019

Campeonatos da Áustria de 50 km em Viena (resultados)


A partida conjunta das principais provas, Roman Brezezowsky, o
campeão de 50 km, e Eva Čanadi, recordista da Eslovénia de 20 km,
com o treinador Fabio Ruzzier. Fotos: Austrian Athletics e
Slovenska Atletika. Montagem: O Marchador
Roman Brezezowsky, veterano M55 do HSV-Wien/Leichtathletik, sagrou-se campeão austríaco absoluto de 50 km marcha masculinos, por ocasião dos campeonatos nacionais da distância realizados em circuito de 2 km no Prater, em Viena.

Brezezowsky, sob difíceis condições atmosféricas (baixa temperatura, chuva constante e vento lateral), obteve a marca de 5.11.57 (parcial de 2.58.14 nos 30 km), tendo por companheiros do pódio Dietmar Hirschmugl, M50, do TV Gleisdorf 1877, com 5.47.00, e Johann Siegele, M70, do SVS-Leichtathletik, com 6.27.29. Foram quatro os atletas participantes (um desistente).

De entre as restantes provas (30 km, 20 km, 10 km, 5 km) a contar para a Taça Nacional de Marcha, que registaram a participação de atletas de várias outras nacionalidades (Croácia, Hungria, República Checa, Eslovénia), refira-se os nomes dos vencedores dos 30 km, em masculinos, Tomas Hlavenka, M40, do AC Moravska Slavia Brno, com 2.23.41, e em femininos, Christa Triebl, austríaca de 59 anos de idade, do B-active.at Fürstenfeld, com 3.57.32, e muito particularmente, nos 20 km femininos, o novo recorde nacional absoluto da Eslovénia obtido por Eva Čanadi, com 1.48.18 (anterior recorde, 1.54.23), atleta do AK Koper, ainda sub-20, que é treinada por Fabio Ruzzier.

Resultados completos, aqui.

quarta-feira, 9 de outubro de 2019

Toshikazu Yamanishi e Shenjie Qieyang na liderança do Challenge Mundial

Fotos: Associated Press, Xinhua e IG Karlström, García e De Sena.
Montagem: O Marchador

O japonês Toshikazu Yamanishi e a chinesa Shenjie Qieyang lideram a classificação do Challenge Mundial de Marcha, tendo ascendido às posições cimeiras em função das excelentes prestações obtidas nos recentes Campeonatos do Mundo de Atletismo que tiveram lugar em Doha, o nipónico conquistando o título mundial nos 20 km da especialidade e a chinesa sagrando-se vice-campeã mundial também na distância dos 20 km, ambos igualmente à frente do ranking mundial, que se revelará um importante instrumento com vista à escolha dos atletas para os Jogos Olímpicos de Tóquio, em 2020.

No setor masculino, Toshikazu Yamanishi comanda com 30 pontos (12 obtidos em Doha, outros 12 na Corunha e 6 em Nomi), seguido do sueco Perseus Karlström, medalha de bronze nos 20 km de Doha, com 27 pontos (amealhou pontos em 5 eventos), do espanhol Diego García (24 pontos), do japonês Yusuke Suzuki (23), campeão mundial nos 50 km marcha, do brasileiro Caio Bonfim (21), do russo Vasiliy Mizinov (21), medalha de prata nos 20 km de Doha, competindo na qualidade de atleta neutro, do português João Vieira (18), medalha de prata nos 50 km de Doha, ocupando a oitava posição o chinês Kaihua Wang (15 pontos), o japonês Eiki Takahashi (15 pontos) e o alemão Christopher Linke (12 pontos).

No setor feminino, a seguir a Qieyang, com 34 pontos, seguem-se a sua compatriota, campeã e recordista mundial nos 20 km, Hong Liu, com 28 pontos, a brasileira Erica Rocha de Sena, com 25 pontos, uma vez mais à beira de uma medalha, em Doha, a colombiana Sandra Arenas (20), a australiana Jemima Montag (16), as chinesas Macuo Li (16), vice-campeã mundial nos 50 km, e Zhenxia Ma (15), a australiana Claire Woods (13), a ucraniana Inna Kashyna (13) e a espanhola Laura García-Caro (13).

A final do Challenge Mundial de Marcha, uma iniciativa da Federação Mundial de Atletismo, está marcada para Suzhou, na China, com a Volta ao Lago Taihu, numa das três etapas agendadas para o corrente mês de outubro, a 20, pelas 08:00 horas, com os atletas a percorrerem a distância em linha (ida e volta) de 20 km, a 21 (09:30h) na distância de 12 km, também no sentido ida e volta, e a 22 (09:30h) outros 12 km.

terça-feira, 8 de outubro de 2019

Jaime Cañas e Dolores Marcos triunfam em Nerja, Espanha

Em Nerja, Dolores Marcos e o pódio masculino, com Fabien
Bernabe (2.º), Jaime Cañas (1.º) e Pedro Conesa (3.º).
Fotos: Nieves CM e Mancha Información
Montagem: O Marchador

O 35.º «Trofeo de Marcha Villa de Nerja», também com a designação de Memorial «Tomás Santaolalla» disputado em Nerja, Málaga, no passado domingo (6/10), numa organização do Club Nerja de Atletismo-UMA, contou com a participação de mais de 100 atletas e teve em Jaime Cañas Villafranca e María Dolores Marcos Valero os vencedores absolutos das principais provas de 5 km.

Nos masculinos, Jaime Cañas Villafranca, atleta filiado na Sociedad Gimnástica Pontevedra, que venceu em Portugal o Grande Prémio das Galinheiras 2018, foi cronometrado em 21.42, superando por 13 segundos o segundo classificado, Fabien Bernabe, do SCO Marguerites Marseille (21.55). O terceiro lugar absoluto seria alcançado pelo sub-20 Pedro Conesa Cerón, do Nutriban Atl Alcantarilla, com 22.23.

Nos femininos, Dolores Marcos, atleta veterana W40 do Millennium Torrevieja, histórica espanhola na distância de 50 km, destacou-se da concorrência vencendo com a marca de 25.26. Seguiram-na nas posições imediatas na meta a sub-18 María Moya del Campo, do CA Calatrava, com 26.03, e Alicia Sanchez Guiliarte, do clube organizador, o Cueva de Nerja-UMA, com 26.55.

Principais classificações
5 km geral masculina - escalão etário
1.º, Jaime Cañas Villafranca ( - ), 21.42 - 1.º, sénior
2.º, Fabien Bernabe Rama (SCO Marguerites Marseille), 21.55 - 2.º, sénior
3.º, Pedro Conesa Cerón ( - ), 22.23 - 1.º, sub-20
4.º, Jose Mestre Martin (Pamplona Atletico), 22.44 - 2.º, sub-20
5.º, Luis Manuel Perez Osorio (Fent Cami Mislata), 22.47 - 3.º, sénior
6.º, Antonio Camaño Mesa (J.A. Guadix), 23.55 - 1.º, M35
7.º, Paco Parra Alvarez (Atl Extremadura), 24.02 - 1.º, M40
8.º, Ruben Piñera Alvarez (Real Club Celta De Vigo), 24.12 - 2.º, M40
9.º, Rafael Martin Jimenez (Cueva de Nerja-UMA), 24.29 - 3.º, M40
10.º, Jose Luis Hidalgo Rodriguez (J.A. Guadix), 24.40 - 1.º, sub-18
11.º, Juan Francisco Soto Egea (J.A. Guadix), 24.58 - 2.º, sub-18
12.º, Miguel Periañez  (Atl Extremadura), 25.03 - 4.º, M40
13.º, Enrique Santisteban  (Cueva de Nerja-UMA), 25.30 - 1.º, sub-23
14.º, Antonio Barrera Gallardo (Club Deportivo Arunci), 26.03 - 5.º, M40
15.º, Alejandro Bañasco Guillén (Club Atletismo Málaga), 26.06 - 3.º, sub-18
16.º, Alvaro Danta Duran (Atl Extremadura), 26.45 - 2.º, sub-23
17.º, Leonardo Toro Lopez (Atl Extremadura), 26.48 - 6.º, M40
18.º, Manuel Tomas Pérez Bogas (J.A. Guadix), 26.55 - 7.º, M40
19.º, Luis Abadias Palacin (A.A.Pratenc), 27.26 - 8.º, M40
20.º, José Antonio Mestre (TCR Team), 28.10 - 9.º, M40
21.º, David Perez Osorio (J.A. Guadix), 28.29 - 4.º, sub-18
22.º, Juan Pedro Segura (Millennium Torrevieja), 29.03 - 10.º, M40
23.º, Juan Fernandez Del Aguila (Chapin Jerez), 29.59 - 5.º, sub-18
24.º, Luis Alberto Morcillo (C.D. Todos A Correr), 30.35 - 11.º, M40
25.º, Jose Verdu Ros (Millennium Torrevieja), 33.04 - 12.º, M40
26.º, Rafael Fuentes Montes (Atl Cartama), 34.39 - 13.º, M40
27.º, Victor Manuel Fernandez Vazquez (CA Marbella Del Sol), 36.07 - 14.º, M40
28.º, José Calahuche García ( - ), 39.53 - 15.º, M40
29.º, Jose David Rodriguez Montesino (Individual), 41.00 - 4.º, sénior

5 km geral feminina - escalão etário
1.ª, Dolores Marcos Valero (Millennium Torrevieja), 25.26 - 1.ª, W40
2.ª, María Moya del Campo (CA Calatrava), 26.03 - 1.ª, sub-18
3.ª, Alicia Sanchez Guiliarte (Cueva de Nerja-UMA), 26.55 - 1.ª, sub-20
4.ª, Julia López Marron (Ohmio), 27.13 - 2.ª, sub-18
5.ª, Eva Salcedo Sanchez (Cueva de Nerja-UMA), 27.50 - 3.ª, sub-18
6.ª, Natividad Vidal Aleu (Individual), 29.11 - 1.ª, W35
7.ª, Sarai Mestre Martin (Bidezabal At. Durango), 29.21 - 1.ª, sénior
8.ª, Carmen Martin Piñuela (Suanzes), 30.03 - 2.ª, W40
9.ª, Carmen Garcia Frontons (A.A.Pratenc), 30.37 - 3.ª, W40
10.ª, Alejandra Garrucho  ( - ), 30.37 - 4.ª, sub-18
11.ª, Catherin Duhing (Millennium Torrevieja), 31.07 - 4.ª, W40
12.ª, Celia Sánchez Sánchez (Atletismo Guadix), 32.04 - 2.ª, W35
13.ª, Carla Serra Montoya (Millennium Torrevieja), 35.37 - 5.ª, sub-18
14.ª, Sílvia Aguilar Pérez (C.A.Chapin), 38.31 - 6.ª, sub-18

Classificações completas da corrida e marcha, aqui.

segunda-feira, 7 de outubro de 2019

Sandra Brown com melhor marca mundial W70 nos 50 km marcha

Sandra Brown (W70) nos 50 km de Tilburg 2019.
Foto: Emmanuel Tardi. Montagem: O Marchador

A inglesa Sandra Brown, atleta de 70 anos de idade, que representa o Surrey Walking Club, obteve este domingo (6/10) em Tilburg, na Holanda, uma nova melhor marca mundial na sua faixa etária na prova de 50 km marcha ao registar 6 horas 9 minutos e 48 segundos.

Brown, a melhor representante feminina em prova disputada no circuito de ciclismo do TWC Pijnenburg, sob chuva e vento, retirou significativa fatia à anterior marca de 6.50.24 que oficialmente pertencia a Darlene Backlund, dos Estados Unidos da América (Santee, Califórnia, 28-01-2017). No entanto, Brown já havia conseguido um registo parcial de 6.25.27 quando disputou as 100 milhas marcha em Castletown a 17 de Agosto passado.

Das 5 mulheres que iniciaram a competição, concluiu ainda a holandesa do RWV Larissa Droogendijk, W45, com 6.37.22.

Ver peça e resultados do evento, aqui.

Colaboração: Emmanuel Tardi

Chiesa vence 50 km em Tilburg, Holanda

O início da prova de 50 km em Tilburg cujo vencedor absoluto
foi Stefano Chiesa (dorsal 10). Foto: Emmanuel Tardi
Montagem: O Marchador

O italiano Stefano Chiesa, de 23 anos de idade, do Centro Sportivo Carabinieri, foi o vencedor da prova «aberta» de 50 km dos Campeonatos Nacionais de Marcha da Holanda, ontem (6/10) disputada no circuito de ciclismo do TWC Pijnenburg, em Tilburg, na Holanda, obtendo a excelente marca de 3 horas 48 minutos e 25 segundos.

Chiesa bateu o seu recorde pessoal por expressivos 22 minutos e 42 segundos (antes, 4.11.07, Taicang 2018), registando parciais em cada metade da prova em 1.55.52 e 1.52.33, Na segunda posição classificou-se o finlandês Aleksi Ojala, do Urjalan Urheilijat, com 3.53.23 (1.53.38 – 1.59.45), atleta que, após a desistência do alemão Karl Junghannß (20 km, 1.29.18) liderou até pouco depois dos 30 km de prova. A fechar o pódio absoluto entrou na meta o romeno Marius Lulian Cocioran, do Clubul Sportiv Municipal Resita, com 4.02.46 (1.58.18 – 2.04.28). Refira-se ainda a quarta posição do inglês Dominic King, do Colchester Harriers, com 4.03.02, participante nos 50 km dos mundiais de Doha no passado 28/9, onde foi desclassificado após os 21 km.

No que respeita aos títulos nacionais masculinos de 50 km em disputa, o da Holanda ficou na posse de Rick Liesting, veterano M40 do AV Daventria, com 4.36.53, e o da Dinamarca foi entregue ao veterano M55, Claus Hechmann, do Team Hechmann Sport, com 5.36.16.

Na participação feminina, a primeira classificada foi a inglesa de 70 anos de idade, Sandra Brown, do Surrey WC, com 6.09.48 (ver peça em separado, aqui).

Em condições atmosféricas boas apenas nos primeiros 30 minutos de competição, seguiu-se vento e chuva que em parte determinou 13 desistências dos 26 atletas que iniciaram a prova maior.

Nas provas de 20 km (19 participantes), vitórias, nos masculinos, do eslovaco Michal Morvay, do ŠK DUKLA Banská Bystrica, o.z., com 1.26.55, recorde pessoal (antes, 1.28.19 em Podebrady-2016), e nos femininos, da finlandesa Elisa Neuvonen, do LUM, com 1.37.30. O título da Bélgica na distância foi conseguido por Annelies Sarrazin, do FLAC, com 1.55.29.

Nos 10 km (12 participantes), vitória absoluta e título da Holanda para Anne van Andel, do DAK, com 54.58.

Encontre os resultados completos, aqui.

Um álbum de fotos de Danyell Onbehauen-Frigge pode ser visto aqui.

Colaboração: Emmanuel Tardi

domingo, 6 de outubro de 2019

Campeonato de Clubes de Itália de Sub-18, em Bergamo (resultados)

Os pódios da marcha nos campeonatos em Bergamo.
Fotos: Atletica Bergamo 1959
Montagem: O Marchador

Gabriele Gamba e Martina Casiraghi, que foram os representantes de Itália nas provas de marcha do Festival Olímpico da Juventude Europeia (Verão) em Baku, em Julho passado, ele a obter a medalha de ouro e ela a ser 7.ª classificada, triunfaram nas provas de 5.000 metros da disciplina na Final «A» do Campeonato de Clubes de Itália da categoria de Sub-23 (Bergamo, 28-29/9).

Na pista do Campo Comunale "Putti", Gamba, que veste as cores do Atl. Riccardi Milano 1946, obteve 22:25.21, à frente de Filippo Anto Capostagno, do Fiamme Gialle G. Simoni, com 23:11.88, e de Emiliano Brigante, do Trieste Atletica, com 23:33.54, numa prova participada por 9 atletas.

Casiraghi, do Atl. Bergamo 1959 Oriocenter, destacou-se claramente e cortou a linha de meta com 24:36.18. Nos lugares imediatos entraram Giulia Mezzanotte, do Atl.Stud. Rieti Andrea Milardi, com 25:56.16, e Maria Clelia Saccardo, do Atl.Vicentina, com 26:25.89. Foram 10 as participantes (1 desclassificada).

Classificações
5.000 m masculinos
1.º, Gabriele Gamba, 2002 (Atl. Riccardi Milano 1946), 22:25.21
2.º, Filippo Anto Capostagno, 2002 (Fiamme Gialle G. Simoni), 23:11.88
3.º, Emiliano Brigante, 2003 (Trieste Atletica), 23:33.54 p.z.
4.º, Daniele Viglione, 2002 (S.A.F.Atletica Piemonte A.S.D.), 23:39.58
5.º, Amos Vittori, 2003 (Atl. Lecco-Colombo Costruz.), 24:11.27
6.º, Matteo Piervincenzi, 2003 (Atl.Stud. Rieti Andrea Milardi), 24:39.83 p.z.
7.º, Enrico Disaro', 2002 (G.S. Fiamme Oro Padova), 24:39.84
8.º, Christian Rota, 2003 (Atl. Bergamo 1959 Oriocenter), 25:22.48
9.º, Andrea Mietto, 2002 (Atl.Vicentina), 29:19.90

5.000m femininos
1.ª, Martina Casiraghi, 2002 (Atl. Bergamo 1959 Oriocenter), 24:36.18
2.ª, Giulia Mezzanotte, 2002 (Atl.Stud. Rieti Andrea Milardi), 25:56.16
3.ª, Maria Clelia Saccardo, 2002 (Atl.Vicentina), 26:25.89
4.ª, Francesca Liviani, 2002 (Bracco Atletica), 26:40.00
5.ª, Elisabetta Ippoliti, 2003 (Atl. Lecco-Colombo Costruz.), 27:14.41
6.ª, Ilaria Migliardi, 2002 (Fiamme Gialle G. Simoni), 27:30.97 p.z.
7.ª, Elisa Giuliani, 2003 (C.U.S. Torino), 28:18.15
8.ª, Letizia Gavioli, 2003 (A.S. La Fratellanza 1874), 28:54.36
9.ª, Cristina Bouros, 2003 (C.U.S. Parma), 33:14.33
Desclassificada: Olivia Capella, 2003 (Atletica Firenze Marathon S.S.).

sábado, 5 de outubro de 2019

Yamanishi sagra-se campeão do mundo de 20 km marcha


Yamanishi (dir.) a caminho da vitória. Pódio da prova.
Fotos: IAAF e JAAF
O japonês Toshikazu Yamanishi sagrou-se esta madrugada campeão mundial de 20 km marcha, ao vencer em Doha (Catar) a prova masculina da distância na oitava jornada dos Campeonatos do Mundo de Atletismo, com a marca de 1.26.34 h. Nos lugares imediatos terminaram o russo (atleta neutro autorizado) Vasiliy Mizinov, com 1.26.49 h, e o sueco Perseus Karlström, com 1.27.00 h.

Tal como já se esperava, a prova decorreu em ritmo contido, com os atletas a revelarem sempre a preocupação de evitar excessos perante os 32 graus de temperatura e os 77 por cento de humidade relativa. Nestas condições tão agressivas não se estranhou os tempos intermédios de passagem, a rondar os quatro minutos e meio por quilómetro, ritmo que se manteve durante as primeiras três voltas de 1000 metros.

Na passagem aos cinco quilómetros, o grupo da frente ainda se apresentava composto por quase quarenta unidades, com a liderança do australiano Dane Bird-Smith, creditado em 22.26 m. Portanto, estava completamente fora de causa a obtenção de resultados abaixo de uma hora e 25 minutos e teria de haver considerável variação positiva de ritmo para que as marcas finais dos primeiros classificados não ficassem «escandalosamente» próximas da hora e meia.

E o andamento foi de facto espevitado depois da terceira volta, com uma aceleração que levou os atletas da frente a passarem de forma repentina para médias de 4.15 a 4.20 m por quilómetro, correspondendo a menos 20-30 segundos em cada volta. Começavam a destacar-se os atletas mais empenhados na luta pela vitória, com destaque nesta fase para o chinês Kaihua Wang e sobretudo para Yamanishi, que depois de num primeiro momento ter deixado escapar Wang, logo trataria se reassumir a liderança, para não mais deixar escapar o primeiro lugar.

Com metade da distância cumprida, Yamanishi registava 44.06 m, menos 17 segundos que o quinteto composto por Wang, Karlström, pelo italiano Massimo Stano, pelo japonês Koki Ikeda e pelo turco Salih Korkmaz, tendo um pouco mais atrás o russo neutro Mizinov.

Até final, a vantagem de Yamanishi estabilizou-se entre os 15 e os 20 segundos, para se estender a cerca de meio minuto nos quilómetros finais. Daí que o interesse da competição tenha ficado centrado na luta pelas medalhas de prata e bronze, onde houve de facto alguma emoção.

Aos 15 quilómetros, Karlström tinha jogado a sua cartada, e encontrava-se isolado no segundo posto, com cerca de 50 metros de vantagem sobre Korkmaz, Mizinov e Ikeda. Nas duas voltas finais (últimos quatro quilómetros), o protagonismo seria sobretudo do russo, que, com reserva de energia para impor aceleração, logrou aproximar-se do sueco e ultrapassá-lo pouco antes de entrarem na volta derradeira.

Ficava assim definido o pódio, numa prova que começou com 52 atletas à partida e registou cinco desclassificações e sete desistências – além de resultados individuais a rondarem os dez minutos pior que os recordes pessoais.

Classificação
20 km masculinos
1.º, Toshikazu Yamanishi (JPN - Japão), 1.26.34
2.º, Vasiliy Mizinov (ANA - «Neutro»), 1.26.49
3.º, Perseus Karlström (SWE - Suécia), 1.27.00
4.º, Christopher Linke (GER - Alemanha), 1.27.19
5.º, Salih Korkmaz (TUR - Turquia), 1.27.35
6.º, Koki Ikeda (JPN - Japão), 1.29.02
7.º, Tom Bosworth (GBR - Grã-Bretanha), 1.29.34
8.º, Kaihua Wang (CHN - China), 1.29.52
9.º, Jiaxing Yin (CHN - China), 1.29.53
10.º, Eiki Takahashi (JPN - Japão), 1.30.04
11.º, Marius Žiūkas (LTU - Lituânia), 1.30.22
12.º, Érick Bernabé Barrondo (GUA - Guatemala), 1.30.40
13.º, Caio Bonfim (BRA - Brasil), 1.31.32 p.z.
14.º, Massimo Stano (ITA - Itália), 1.31.36 p.z.
15.º, Dane Bird-Smith (AUS - Austrália), 1.32.11
16.º, Kevin Campion (FRA - França), 1.32.16
17.º, Hagen Pohle (GER - Alemanha), 1.32.20
18.º, Andrés Chocho (ECU - Equador), 1.32.49
19.º, Georgiy Sheiko (KAZ - Cazaquistão), 1.32.53
20.º, Julio César Salazar (MEX - México), 1.33.02
21.º, Byeongkwang Choe (KOR - Coreia do Sul), 1.33.10
22.º, Álvaro Martín (ESP - Espanha), 1.33.20
23.º, Brian Daniel Pintado (ECU - Equador), 1.33.48
24.º, Gabriel Bordier (FRA - França), 1.34.06
25.º, Matteo Giupponi (ITA - Itália), 1.34.29
26.º, Miguel Ángel López (ESP - Espanha), 1.35.00
27.º, Irfan Kolothum Thodi (IND - Índia), 1.35.21
28.º, Ivan Losev (UKR - Ucrânia), 1.35.42
29.º, Luis Henry Campos (PER - Peru), 1.37.20
30.º, Viktor Shumik (UKR - Ucrânia), 1.37.23
31.º, Alex Wright (IRL - Irlanda), 1.37.33
32.º, Dawid Tomala (POL - Polónia), 1.38.15
33.º, Samuel Ireri Gathimba (KEN - Quénia), 1.40.45
34.º, Eduard Zabuzhenko (UKR - Ucrânia), 1.41.04
35.º, Diego García (ESP - Espanha), 1.41.14
36.º, Devender Singh (IND - Índia), 1.41.48
37.º, Hyunsub Kim (KOR - Coreia do Sul), 1.42.13
38.º, Wayne Snyman (RSA - África do Sul), 1.43.57
39.º, Moacir Zimmermann (BRA - Brasil), 1.44.16 p.z.
40.º, Aliaksandr Liakhovich (BLR - Bielorrússia), 1.44.25
Desclassificados: José Alejandro Barrondo (GUA - Guatemala), Jhon Alexander Castañeda (COL - Colômbia), José Leyver (MEX - México), José Carlos Mamani (PER - Peru) e Callum Wilkinson (GBR - Grã-Bretanha).
Desistentes: José Mauricio Arteaga (ECU - Equador), Nils Brembach (GER - Alemanha), Zelin Cai (CHN - China), Rhydian Cowley (AUS - Austrália), José María Raymundo (GUA - Guatemala), Carlos Sánchez Cantera (MEX - México) e Richard Vargas (VEN - Venezuela).